Workshop de Composição Musical na Usina de Arte com Rodolfo Minari

A Usina de Arte receberá amanhã, 25, um workshop de composição musical ministrado por Rodolfo Minari, músico, compositor, cantor, educador, que tem se destacado na cena artística local com trabalhos, criações e ações educativas ligadas principalmente à música.

folder workshop

Neste workshop, o artista compartilha fundamentos teóricos e práticos da composição musical popular, abordando e praticando: escolha e desenvolvimento de tema, métrica, rima, escrita criativa, estrutura musical, harmonização, ritmo, prosódia, pastiche, entre outros, por meio de técnicas divertidas e acessíveis, de resultados imediatos.

O workshop vem sendo ministrado e aprimorado desde 2014. Alguns locais por onde este trabalho já passou:

  • ISE – Instituto Socioeducativo do Acre – Brasileia (2018)
  • Cidade do Povo – Ministério Público (2018)
  • Universidad de Pando – Cobija, Bolívia (2017)
  • Coletivo Decor – Rio Branco/AC (2017)
  • Casarão do Belvedere – São Paulo/SP (2016)
  • MPE/AC – Servidores do Ministério Público Estadual (2015)
  • 50º FEMUP – Paranavaí/PR (2015)
  • Oficinas Silvio Russo – Mirandópolis e Ilha Solteira/SP (2014)

Sobre Rodolfo Minari

Rodolfo é músico, cantor, compositor, escritor, educador. Lançou os CDs independentes Assovio (2013), cujo show circulou por mais de 10 estados do Brasil e outros 4 países; Terreiro (2016), premiado em diversos festivais da canção no Brasil e exterior; o infantil Céu de Brincadeira (2017) e o mais novo trabalho Flor do Astral (2018), que será lançado mundialmente dia 26/10.

Representou o Acre em dezenas de festivais e concursos, tendo recebido, entre outros prêmios:

  • 1º lugar no XVI Concurso Internacional de Poesia Fritz Teixeira de Salles (2018)
  • 1º lugar no I Festival da Canção de Porto Ferreira/SP (2018)
  • 1º lugar no III Festival da Canção de Mogi das Cruzes/SP (2016)
  • 1º lugar no II Concurso Iberoamericano de Composición de Canción Popular IBERMUSICAS (2015)
  • 1º lugar no 18º Festival Edésio Santos da Canção de Juazeiro/BA (2015)
  • Troféu Barriguda no 50º Festival de Música e Poesia de Paranavaí/PR (2015)

Making Of do filme “O que era não é mais”

Galeria

5ª Mostra Audiovisual Usina de Olhares

Por pouco, a história da Mostra Audiovisual Usina de Olhares não se confunde com a da própria Usina de Arte João Donato. Isso porque sua primeira edição aconteceu no ano de 2008, quando a instituição contava com apenas dois anos de existência. De lá pra cá, dez anos se passaram e muita coisa aconteceu.
A Usina de Arte consagrou-se como berço de novos artistas e aconchego dos que por aqui já faziam arte desde o século passado.
convite 5 mostra usina de olhares
Nesta edição da Mostra, será lançado o curta-metragem “O que era e não é mais”, produção que resultou de um projeto integrado das turmas de Teatro, Produção de Áudio e Vídeo, Artes Visuais e Documentação Musical ofertadas pela manhã na Usina de Arte entre 2017 e 2018 no âmbito do MedioTec, programa mantido pelo governo federal com o apoio do governo do Acre por meio do Instituto Dom Moacyr.
O roteiro do filme foi construído de forma coletiva e colaborativa entre alunos e mediadores e foi baseado no livro de crônicas Suindara, da escritora acreana Leila Jalul. Personagens saídas de várias narrativas se entrelaçam, nos idos de décadas passadas, de um século passado… gentes e paisagens, sentimentos e acontecimentos se misturam e se confundem com a própria identidade da cidade de Rio Branco.    
“O que era não é mais” traz uma Rio Branco antiga no sobrevoo das memórias da personagem Leila, menina, moça, mulher que vive aventuras, rotinas e histórias nas ruas, rios, barrancos, praças e cinemas entre as décadas de 1950 e 1970. Como disse Juarez Nogueira, “histórias que poderiam ser as histórias da gente” revividas em  “memórias rasantes de afeto.”

Sábado com música e cultura urbana!

A Usina de Arte João Donato, como promotora da cultura e apoiadora de eventos que contribuam para a difusão cultural do estado, convida a todos para uma celebração dos grupos de motociclistas do Acre. Contabilizando mais de 350 membros no estado, o Abutres Moto Clube – Subsede Acre promove, com apoio do Abutres Moto Clube do Brasil, o I Abutre’s Rock Fest, a ser realizado neste sábado, 1º, a partir das 17h, em frente ao Lê Restaurante, na Estrada da Floresta.

O evento conta com a participação de quatro bandas de rock, que intercalam a programação com um repertório nacional e internacional. A abertura fica por conta da banda Cálice, com uma seleção musical de rock evangélico, seguida da Raul Seixas Experiência, com as canções inesquecíveis de um dos maiores ídolos do rock. Depois é a vez da banda Santorini, com o melhor do do pop/rock nacional e, para fechar o evento com chave de ouro, The Classic’s resgata os maiores clássicos desde a década de 50 até os anos 90, numa apresentação com nada menos que duas horas de duração.

Para participar do evento basta adquirir a pulseira individual no valor de R$ 20,00, o que dá direito a espetinhos de churrasquinho o evento inteiro. A organização estará vendendo cerveja, água e refrigerante no local e avisa que serão aceitas todas as bandeiras de cartão de crédito e débito.

OBS.: O local do evento é na Estrada da Floresta, n. 620, em frente ao LÊ RESTAURANTE, após a Distribuidora de Bebidas Floresta, próximo à rotatória do posto de gasolina BR.

 

Confira um vídeo do grupo no desfile de 7 de setembro de 2015:

Sesc realiza oficina de interpretação na Usina de Arte

Para quem tem interesse em desenvolver, aprimorar ou simplesmente exercitar suas técnicas de interpretação, o Serviço Social do Comércio-SESC promove, de 27 de agosto a 6 de setembro, a Oficina de Interpretação para Cinema e Vídeo, das 8h às 12h, na Usina de Arte João Donato.

Com 25 vagas gratuitas, a oficina será ministrada pela dupla Débora Almeida e Ney Ricardo, cuja proposta é apresentar aos participantes do processo, sejam ou não atores, ferramentas básicas que possam auxiliar no trabalho com o audiovisual.

Débora e Ricardo compartilham suas experiências, ela como atriz e preparadora de elenco e ele como diretor de cinema, de modo a proporcionar uma introdução ao universo cinematográfico a partir de um processo de observação, experimentação e criação, aliando exercícios práticos de interpretação e atuação, jogos de cena, análise e leituras de cenas e filmes.

Aos interessados, basta se dirigir à unidade do Sesc-Centro (ao lado da catedral) ou à Usina de Arte João Donato, onde as fichas de inscrição se encontram à disposição do público. Mais informações pelo telefone 3302-1053.

Com informações da Fecomércio.

Usina de Arte apresenta o espetáculo “Eu Água”, montagem coletiva dos alunos do MedioTec

Imagine um rio que sonha. Enquanto segue seu curso, desviando de obstáculos, lapidando montanhas, distribuindo alguns braços pelo caminho e dando, a si mesmo, novos sentidos, esse rio sonha em ser mar. Alguns vão além e sonham oceano, seguindo seu fluxo até algo mais se tornar, assim como nós, seres humanos, que seguimos com a vida até não mais aqui estar.

Foi seguindo nesse fluxo de sonhos e de vidas, de realidades e de imaginação, que nasceu Eu Água, um espetáculo de teatro de múltiplas linguagens que mergulha fundo nos sentidos, na simbologia e na problemática relacionada à água.

Fruto de um trabalho coletivo dos alunos dos cursos técnicos da Usina de Arte, Eu Água tem direção de Cláudia Toledo e dramaturgia escrita pela atriz Ágata Lima, com colaboração dos alunos do curso técnico de Teatro.

O texto foi construído com referência na obra de artistas brasileiros contemporâneos como Marisa Monte, Caetano Veloso, Maria Bethânia e o poeta Manoel de Barros, cujo poema “O menino que carregava água na peneira” deu à dramaturgia maior poeticidade aos diálogos e às imagens criadas.

Eu Água trata de um tema que está sempre em discussão e nunca deixa de ser atual. Falar de água é falar de vida e de sobrevivência. Por isso, o espetáculo, ao mesmo tempo que convida o público a fazer uma imersão poética nas lembranças de um garoto que tem sua história de vida conectada ao processo de transformação de um rio seguindo seu curso, também provoca uma reflexão acerca do desenvolvimento sustentável e do uso consciente das águas.

O espetáculo serve como vitrine para as habilidades artísticas dos alunos da instituição e é o resultado da prática profissional dos cursos técnicos, ofertados pelo Instituto Dom Moacyr no âmbito do Pronatec/Mediotec.

Serviço:

O quê? Espetáculo Eu Água

Quando: dias 15, 16 e 17 de agosto de 2018

Horário: às 16h (quarta, quinta e sexta)

às 19h (sexta)

Onde: Teatro da Usina de Arte João Donato

Entrada gratuita

Classificação livre

Informações: 3229-6892

Oficina de Palhaçaria em Rio Branco

odiadacaca_lascabacas_fotopablosaborido_11

Foto: Pablo Saborido

Voltada a estudantes ou profissionais de teatro, dança, circo, música, boneco ou performance, a Oficina de Palhaçaria: O Corpo Cômico e Jogos de Dupla e Trio” está com inscrições abertas até o dia 11 de julho. Com apenas 25 vagas, a oficina é gratuita e será ministrada entre os dias 16 e 18 deste mês, das 19h às 22h, no Serviço Social do Comércio (Sesc) do Centro. A atividade é parte do projeto de circulação pelo Acre do espetáculo teatral “O Dia da Caça”, da dupla de palhaças Las Cabaças.

As fichas de inscrição devem ser solicitadas pelo e-mail bifiquinan@gmail.com ou pela página no Facebook Las Cabaças. Após preencher o formulário, o interessado deve digitalizá-lo e encaminhar para o referido e-mail. O resultado da seleção será divulgado no dia 13 e os aprovados terão até o dia seguinte para confirmarem sua participação.

Além da oficina, a dupla apresenta o espetáculo “O Dia da Caça” em três cidades acreanas. A primeira delas é Rio Branco, que receberá o teatro de rua no dia 20 de julho (sexta-feira), às 19h, na Praça da Revolução, no Centro. Depois, as atrizes pegam a estrada rumo a Xapuri para, no dia 22 (domingo), às 18h, encenarem a peça na Praça de Eventos, também no Centro. Por fim, a dupla leva, no dia 27 (sexta), o espetáculo para Cruzeiro do Sul. A apresentação acontece às 18h, na praça central de Cruzeiro do Sul.

Encenada pelas atrizes Juliana Balsalobre e Marina Quinan, que interpretam, respectivamente, as palhaças Bifi e Quinan, “O Dia da Caça” emprega elementos da palhaçaria clássica e tem como tema uma típica caçada noturna na floresta. O uso de vocabulários da região amazônica e objetos cênicos típicos, como boroca, canoa, terçado, arco e flecha, aliado a situações típicas do universo ribeirinho, trazem ao espetáculo um contexto totalmente regional.

As duas atrizes são naturais do Amazonas, fizeram parte dos Doutores da Alegria e, desde 2006, fazem intervenções em espaços públicos e no cotidiano de comunidades do interior do país, visando a troca humana e cultural a fim de transformar as experiências em roteiros teatrais por meio da linguagem da palhaçaria. Toda a programação é promovida pela Nascedouro Gestão Cultural, Namazônia e Las Cabaças, por meio do Edital Petrobras Distribuidora de Cultura 2018/2019, através da Lei Rouanet do Ministério da Cultura (MinC).

Com informações do Notícias do Acre.

Entradas Mais Antigas Anteriores