Encerramento do Curso de Direção de Atores e Interpretação para Cinema e Televisão

A Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), por meio do Centro Audiovisual Norte-Nordeste (CANNE), encerrou hoje, em Rio Branco-AC, o curso de Direção de Atores e Interpretação para Cinema e Televisão, ministrado pelo diretor e ator Christian Duurvoort.

O curso, que teve duração de 45 horas de duração, iniciou-se no dia 7 deste mês, na Usina de Arte João Donato. Apesar das 25 vagas oferecidas, somente 17 selecionados acompanharam as aulas, entre produtores audiovisuais, atores, diretores de teatro, estudantes de comunicação, artes cênicas e cinema e professores de artes.

Neste sábado, das 9h às 14h, a turma assistiu e debateu sobre as cenas construídas com os alunos em atuação. O exercício foi um laboratório proposto por Christian Duurvoort para que os participantes vivenciassem na prática algumas situações que envolvem essencialmente a relação diretor-ator e assim entendessem melhor as possibilidades de trabalho com a câmera e as abordagens ao se dirigir atores no cinema e na televisão.

20161111_170214

direção de cena / fotografia: Alex Pimentel

Antecedeu ao laboratório, debates e análise de filmes, tendo como enfoque a técnica do ator e da direção durante o processo criativo, especialmente para o cinema. O objetivo do curso, que era desenvolver uma estratégia de trabalho com atores e não atores, segundo os participantes, foi alcançado.

20161111_165014

Interpretação e direção de cena  / Fotografia: Alex Pimentel

A aluna Dalcimara falou sobre a importância do curso para ela: “este curso me ajudou a entender questões internas. Além disso, abriu meu olhar para a interpretação. Hoje sei avaliar uma cena teatral ou cinematográfica baseando-me no que vi e aprendi no curso.”

Para Ney Ricardo, o curso possibilitou compreender melhor o universo do ator na construção do personagem, ampliando seu conhecimento sobre a preparação do ator.   

Quantos às expectativas, o aluno João Vitor declarou que “o curso foi ótimo. Trouxe um grande aprendizado com um diretor de vasta experiência profissional, sobretudo no cinema. Superou minhas expectativas em relação ao aprofundamento nos debates sobre o trabalho do diretor e do ator.”

20161111_192100

Interpretação e direção de cena / Fotografia: Alex Pimentel

Estes depoimentos demonstram a relevância, para os acreanos, dos cursos trazidos pelo CANNE ao nosso Estado há 8 anos. Em parceria com o governo do Acre, por meio da Fundação Elias Mansour, já recebemos cursos de direção de arte, de figurino, de fotografia em alta definição, de produção executiva, de roteiro, entre outras ações de formação.

Esperamos que em 2017 outros cursos com a mesma qualidade e profissionalismo sejam ofertados pela Fundação Joaquim Nabuco/CANNE em Rio Branco.

PACHAMAMA oferece Oficina de Montagem, com Renato Vallone

valllone

Renato Vallone

A oficina irá instrumentar seus participantes com as principais técnicas de montagem e pós-produção utilizadas na TV e VOD, de forma que os cursandos possam editar e finalizar seus próprios filmes. Desenvolver a capacidade de realizar a montagem e finalização de imagens de produções audiovisuais através de embasamento teórico, e da produção de atividades práticas, promovendo a atuação dos participantes com a área profissional, preparando-o para as mais novas exigências do mercado audiovisual.

Abordará, entre outros, o uso de softwares de edição como Final Cut Pro e Adobe Premiere Pro, o estudo provocativo de linguagens e novas narrativas, o papel do editor/montador, uso de equipamento e softwares de montagem e finalização de filmes: Interface, Configuração, Importando, Timeline, Edição e Exportando, as subdivisões do processo edição: montagem do filme em ilha de edição, inclusão de efeitos especiais, inclusão de sonoplastia e efeitos sonoros, tratamento de imagens, inclusão da trilha sonora, inserção de caracteres: créditos iniciais, finais e demais itens, Neo-Montagem e Live Cinema.

A oficina é gratuita e direcionada a profissionais na área do audiovisual e pessoas iniciantes na área e interessadas na temática da oficina. Tem carga horária de 6h e acontecerá no período de 21 a 23, no horário de 9h às 11, na Sesc Centro.

A seleção dos inscritos será definida pela ordem de inscrição. Os demais inscritos formarão cadastro reserva.

Serviço:

Ação: Oficina de Montagem, com Renato Vallone

Data: 21 a 23 de novembro de 2016

Horário: 09h às 11h

Local: Sesc Centro  

Nº de vagas: 20

INSCRIÇÕES ENCERRADAS

Renato Vallone é um dos mais inventivos montadores do cinema brasileiro. Oriundo da periferia do Rio de Janeiro, deixa sua marca autoral em trabalhos de cinema e vídeo. Montou filmes como Campo de Jogo (FESTRIO 2014; 58º BFI London Film Festival 2014; Documentary Fortnight do MoMA – NY 2015…) e Cinema Novo, ganhador do prêmio L’Oeil D’Or para melhor documentário no Festival de Cannes  – 2016 . Ainda com Cinema Novo recebeu o prêmio de montagem no SANFIC Festival Internacional de Cine – Chile. Renato também é diretor e fotógrafo, além de designer de som. Atualmente está como diretor de fotografia e montador da serie NOKUN TXAI realizada no Estado do Acre.

Festival Pachamama oferece Oficina de Fotografia para Cinema, com Pedro Von Krüger

Alvará

Pedro von Krüger

Dividida em cinco módulos, a oficina abordará aspectos técnicos e práticos da direção de fotografia, incluindo história da imagem, percepção visual, enquadramento e composição, câmeras e lentes, movimentos de câmera, filmagem quadro a quadro, macro e high speed, iluminação (qualidade, intensidade, temperatura e correção de cor), análise de roteiro, concepção visual, desenho e mapa de luz, relação do diretor de fotografia com o filme, entre outro. No quinto módulo, os participantes aprenderão na prática a lidar com estúdio, refletores e câmeras e a iluminar uma cena.

A oficina é gratuita e direcionada a profissionais na área do audiovisual e para pessoas interessadas e com trabalhos relacionados à temática. 

A oficina tem carga horária de 15h e acontecerá no período de 21 a 25, no horário de 9h às 12, na filmoteca da Biblioteca pública.

A seleção dos inscritos será definida pela ordem de inscrição. Os demais inscritos formarão cadastro reserva.

Serviço:

 Ação: Oficina de Fotografia para Cinema

Data: de 21 a 25 de novembro de 2016

Horário: 09h às 12h

Local: Filmoteca da Biblioteca Pública

Nº de vagas: 20

INSCRIÇÕES ENCERRADAS

Sobre Pedro von Krüger

Pedro von Krüger nasceu em Salvador (BA) e em 1997 chegou ao Rio de Janeiro, onde se formou em Cinema pela UNESA no ano de 2001. Iniciou sua carreira trabalhando como assistente de direção em vários DVDs musicais. No ano de 2003, ingressou no departamento de fotografia como assistente de câmera e trabalhou em diversos longas metragens, entre eles “Cazuza, o tempo não para”, Tropa de Elite 1 e 2, “Baixio das Bestas”, “À Deriva”, , “Uma Professora Muito Maluquinha”, “Raul, o início, o fim e o meio” entre outros.

Como diretor, realizou os longas “Pulmão da Arquibancada”, “Estrada de Sonhos” e “Memória em Verde e Rosa” além de diversos clipes e DVDs musicais. 2016 – Trabalho Escravo – Série para HBO – Diretor de Fotografia e Câmera – Dir. Bruno Barreto e Marcelo Santiago – Nokun Txai – Série Documental – Diretor de Fotografia – Dir. Sérgio de Carvalho, entre muitos outros trabalhos de destaque nacional.

CANNE divulga resultado da seleção para o curso de Direção de Atores e Interpretação para Cinema e Televisão

O Centro Audiovisual Norte-Nordeste (CANNE) divulgou no site da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), nesta quinta-feira, 03, o resultado da seleção para o curso de Direção de Atores e Interpretação para Cinema e Televisão em Rio Branco-AC.
Com 45 horas de duração, o curso será realizado de 7 a 12 de novembro de 2016 na Usina de Arte João Donato, Avenida das Acácias, nº 1.155, Setor B, Distrito Industrial.

As aulas serão de segunda a sexta-feira das 14h às 22h e no sábado das 8h às 13h.
O curso será ministrado pelo diretor e ator Christian Duurvoort e as vagas disponibilizadas para profissionais, professores e estudantes de comunicação, artes e audiovisual.

A seguir, a lista, organizada por ordem alfabética, dos 25 alunos selecionados.

Aldo Vladimir Mendieta Meruvia
Alex dos Santos Pimentel
Daniel Alves Scarcello
Francesco da Silva Gomes
Isabel Paixão de Souza Albuquerque
Ivan Ferreira de Castela
Jairo Ferreira da Silva
Jobson Costa de Souza
Lonara da Silva Teixeira
Luana Ferreira de Souza
Mágila Maria Alves de Souza
Marcelo Luís Lopes dos Santos
Marcos Paulo Furtado Chaves
Mariana Dantas de Lima
Marianne Salomão Kriebel
Marques Izitio Alves
Melania Oriá Brasil
Milla Christie de Souza Silva
Nardia Taina de Araújo Lima Chaves
Nelson Javier Ugarte Sanabria
Ney Ricardo da Silva
Priscila Cristina Miranda de Araújo
Rogerio Barcellos Ferraz Junior
Sacha Cordeiro de Alencar
Ycla Hemmily Pinto de Araújo

O CANNE solicita aos os alunos selecionados que confirmem a participação no curso através do envio de e-mail para canne.cursos@fundaj.gov.br até o fim da tarde de hoje, 03 de novembro de 2016.

OBSERVAÇÃO: A coordenação do Usina de Arte solicita aos alunos selecionados, que se possuírem colchonete, traga para as aulas, pois irão necessitar. 

 

CANNE oferece na Usina de Arte curso de Direção de Atores e Interpretação para Cinema e Televisão

A Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), por meio do Centro Audiovisual Norte-Nordeste (Canne), em parceria com a Fundação de Cultura do Estado do Acre, Fundação Elias Mansour, promoverá entre os dias 7 e 12 de novembro de 2016 o curso de Direção de Atores e Interpretação para Cinema e Televisão. O curso será ministrado pelo diretor e ator Christian Duurvoort na Usina de Arte João Donato.

Resultado de imagem para curso Direção de Atores e Interpretação para Cinema e Televisão

O objetivo do curso é ensinar ao aluno a desenvolver uma estratégia de trabalho com atores e não atores, através de práticas, debates, análise de filmes, improvisação e trabalho com câmera tendo como enfoque a técnica do ator e da direção de atores para facilitar o processo criativo.

O curso é gratuito, tem uma duração de 45h/aula distribuídas entre 6 dias, de segunda a sábado.  São 25 vagas disponibilizadas para profissionais, professores e estudantes de comunicação, artes e audiovisual.

Os interessados devem realizar a inscrição até 25 de outubro exclusivamente pela internet através do link:

https://docs.google.com/forms/d/1gdXHuXENiKTajInk7fqkFid79t_6SrxQ8Tm9sSl4vjg/viewform

Todas as informações sobre o processo de seleção dos inscritos encontram-se no edital disponível no link abaixo.

http://www.fundaj.gov.br/images/stories/canne/editais2016/edital_diratoresintcintv_riobranco_2016.pdf

Sobre o instrutor – Christian Duurvoort tem experiência internacional em preparação de elenco para teatro e dança e no audiovisual foi o responsável pelo elenco de trabalhos como Cidade de Deus, Cidade dos Homens, O Ensaio Sobre a Cegueira, Xingu entre outros. Além de experiência profissional na área da temática do curso, Christian também tem experiência em formação, tendo ministrado diversos cursos em países como Cuba, Venezuela e também no Brasil, sempre passando aos alunos o método criado por ele mesmo de preparação de atores: Ator Imaginário.

 Serviço

Curso de Direção de Atores e Interpretação para Cinema e Televisão

Instrutor: Christian Duurvoort

Carga horária: 45 horas

Público alvo: profissionais, professores e estudantes de comunicação, artes e audiovisual.

Vagas: 25

Período de inscrição: de 11 a 25 de outubro de 2016.

Horário: de segunda a sexta-feira, das 14h às 22h (com intervalo para almoço e lanche) e no sábado das 8h às 13h

Período: 7 a 12 de novembro

Local: Usina de Arte João Donato, avenida das Acácias, nº 1.155, Setor B, Distrito Industrial, Rio Branco-AC. CEP 69.920-202.

Para outras informações:

Telefones: (68) 3229-6892 / 9923-4987

Última apresentação da criatividade técnica e magia de Yunu Pani

Hoje à noite, dia 30, acontece a última apresentação do espetáculo Yunu Pani – A origem dos legumes, inspirado em um mito indígena do povo Huni Kuin e publicado no livro Una Ïsi Kayawa (2014), de Agostinho Ika Muru e Alexandre Quinet.

dsc_1587

A produção integra as quatro linguagens artísticas abrigadas pela Usina de Arte e é o  resultado da prática profissional dos cursos técnicos ofertados no âmbito do PRONATEC por meio do Instituto Dom Moacyr (IDM) e da Fundação Elias Mansour (FEM).

As cinco apresentações já realizadas receberam como plateia as escolas públicas Raimunda Pará e Heloísa Mourão Marques, alunos do curso de Artes Cênicas da Universidade Federal do Acre, turmas da Educação para Jovens e Adultos (EJA), funcionários da FEM, do IDM e da Usina de Arte, além do público livre.

Quem já assistiu, pôde se encantar com a magia e ludicidade do teatro de sombras e sua mística aldeia de guerreiros caçadores, com a ilusão ótica na projeção de um roçado de legumes, com a beleza do beija-flor encantado, que deslumbra e ajuda os curumins a subirem aos céus, com os figurinos e com os atores, que ora são gente, ora bichos, ora estrelas.

Do início ao fim, os espectadores são enlevados pela trilha sonora original de músicas entoadas, cantadas e executadas pelos alunos de Composição e Arranjo, que enchem o ambiente de sonoridades capazes de captar os espíritos da floresta.

14448903_966904653444618_3087803221364295364_n

Muitos expectadores deixaram seus depoimentos e impressões sobre Yunu Pani – a origem dos legumes. Registramos alguns deles aqui.

Para Daniel Gomes, professor da escola Heloísa Mourão Marques, Yunu Pani é “um espetáculo diferente. Uniu tecnologia com interação direta entre personagens e o público. Como vivemos em um país politicamente fracassado, artistas são mal vistos ou destratados socialmente. Uma apresentação bem característica da nossa região, que desperta não só a curiosidade, mas a descoberta de um mundo novo, o mundo da arte. Arte também é vida. Arte também faz parte da formação humana de uma pessoa. Nossa vida é uma arte. A arte de viver já é um espetáculo.”

Elias Lima, pai de uma aluna do curso de Artes Visuais, e que assistiu a terceira sessão do espetáculo, manifestou sua opinião sobre o que viu e ouviu: “gostei muito, principalmente dos bonequinhos animados da primeira cena. O espetáculo é curto, mas é cheio de criatividade. É um ótimo resultado dos estudos.”

Para Aline Maia, que assistiu Yunu Pani como público livre, “o espetáculo é muito misterioso e poético, com uma trilha sonora linda. Muito bacana a engenhosidade criativa do cenário e a beleza dos figurinos. A gente percebe que teve um grande envolvimento afetivo de toda a equipe, dos alunos e dos professores.”

dsc_0347

Maria, aluna da escola Raimunda Pará, disse que gostou muito da “técnica do cinema com aquela cena das imagens na tela e ao mesmo tempo fora dela, dá uma ilusão de ótica. A gente tem a sensação que os atores realmente entram na projeção ali na nossa frente, como mágica. Muito legal e criativo.”

wp_20160930_16_36_06_pro

Patrícia Kely, que estuda o ensino médio no programa EJA, também falou sobre suas sensações ao assistir Yunu Pani: “pelo que vi e entendi, eles dançam com a alma né, como os índios. Eu acho muito bonito, porque eu já morei na mata e eu sei que isso é uma coisa muito verdadeira. E toda vez que eu venho pra um espetáculo de teatro eu me emociono, eu fico assim encantada, principalmente com esse aí, porque os cantos são muito lindos.”

Espetáculo Yunu Pani – A origem dos legumes na Usina de Arte

Mais antigo que o teatro, são os legumes. O primeiro alimenta a alma; o segundo, o corpo. Os dois, juntos, saciarão a fome dos olhos da plateia de Yunu Pani – A origem dos legumes.

O espetáculo, inspirado em um mito indígena do povo Huni Kuin e publicado no livro Una Ïsi Kayawa (2014), de Agostinho Ika Muru e Alexandre Quinet, será  apresentado na Usina de Arte João Donato nos dias 28, 29 e 30 deste mês.

dsc_1426

A produção integra quatro linguagens artísticas, audiovisual, artes visuais, música e teatro em uma lúdica brincadeira cênica de finalização dos quatro cursos técnicos 2015-2016, ofertados no âmbito do PRONATEC por meio do Instituto Dom Moacyr e da Fundação Elias Mansour.

A concepção e a execução do projeto deram-se de modo integrado entre os professores e alunos das turmas. Foram quatro meses de pesquisas, experimentações cênicas e audiovisuais, ensaios, criação cenográfica e musical.

O espetáculo é itinerante e o espaço cênico ocupa todo o teatro, fazendo com que as cenas ocorram muito próximas ao público, criando assim uma relação direta dos atores e músicos com a plateia e convidando os espectadores-experimentadores a adentrarem na atmosfera poética de Yunu Pani – A origem dos legumes.

Algumas sessões são dedicadas às escolas públicas, onde os alunos dos cursos técnicos fazem o ensino médio. A ideia é que seus colegas, além de prestigiar o espetáculo, possam conhecer e reconhecer as possibilidades de criação artística com adolescentes ainda cursando a educação básica.

Serviço: 

Dias e horários: 28 (às 15h e às 16h30), 29 (às 15h e às 16h30) e 30 (às 16h e às 19h)

Local: Usina de Arte

Entrada: gratuita

Cada sessão receberá um público de apenas 50 espectadores, selecionado por ordem de chegada  

Entradas Mais Antigas Anteriores