Aldeia Jacobina I, parte II As Gravações…

Chegamos à Aldeia Jacobina I aproximadamente às 16h30min do dia 23/09/2008. Esta é a última Aldeia dos índios Kaxinawá localizada na margem direita do rio Breu. A viagem foi muita cansativa passamos a maior parte do tempo fora da canoa empurrando-a, na primeira Aldeia que paramos fomos pintados (com urucum e jenipapo) com o objetivo de sermos protegidos durante o nosso percurso no rio Breu, pelo jeito deu certo chegamos todos bem apesar do cansaço e da enorme fome.

Iniciamos a quarta-feira (24/09) preparando para o ensaio. A primeira providencia foi ir à mata apanhar uma espécie vegetal para preparar uma tinta preta, pois estávamos sem jenipapo para os ensaios. Com todo o material preparado, discutimos o roteiro e fomos até o parque medicinal da Aldeia, onde seriam feito os ensaios e, no caminho conhecemos um pé da erva “SANTA”, muito utilizada pelos membros da Aldeia, principalmente em reuniões. Segundo os membros da Aldeia a “SANTA” facilita a concentração e ajuda nas discussões. Nesta manhã ensaiamos duas cenas e voltamos para a Aldeia para almoçar e descansarmos um pouco. Porque logo após o almoço haveria uma reunião com os membros da Aldeia, na qual foi discutido o projeto do Vandete, o seu significado, a sua importância para a comunidade indígena e a nossa presença na Aldeia. No fim da tarde fomos para a tradicional partida de futebol (que ocorre todos os dias) na margem direita do rio Breu, rio este em que tomamos banho no final da partida de futebol. À noite, após o jantar assistimos as cenas do ensaio junto com a comunidade, foi um momento interessante de ver os moradores da Aldeia interagindo com o filme, dando palpites, rindo, sugerindo e descobrindo a arte do cinema.

Na quinta-feira (25/09) pela manhã decidimos o elenco, separamos o figurino e conseguimos gravar três cenas. Após o almoço planejamos as cenas a serem gravadas a tarde, mas infelizmente choveu e não gravamos nos restando apenas à difícil tarefa da partida de futebol.

A sexta-feira amanheceu chovendo e a tarde o ator principal precisou deixar a aldeia para buscar o irmão que estava chegando de viagem.

O sábado foi interessante, gravamos algumas entrevistas para o making of, mas o principal estava para acontecer, a chegada do Ruinete Kaxinawá, membro da comunidade candidato a vereador pelo partido dos trabalhadores. Com sua chegada toda Aldeia foi convocada para uma reunião logo após o almoço, cujo objetivo era discutir com as lideranças as expectativas da campanha e, em segundo plano, a nossa presença na comunidade. À noite gravamos o ritual “Santo Daime” com todos ao redor da fogueira.

No dia 28/09 pensávamos em terminar o nosso trabalho na aldeia Jacobina I, mas o domingo é sagrado para a comunidade e ninguém trabalha, apenas para a preparação das refeições; o dia é para as atividades típicas relacionadas com o lazer.

A segunda-feira iniciou produtiva, durante o almoço na conferência das cenas gravadas uma surpresa, a fita usada com as cenas do ritual realizado a noite e toda a gravação feita pela manhã ficaram comprometidas e fomos obrigados a refazê-las. Além de tudo, tivemos um contra tempo entre duas pessoas da equipe local, felizmente conseguimos resolver pacificamente.

Na terça-feira (30/09) finalizamos as gravações na aldeia Jacobina I e partimos logo após o almoço, pois faltava gravar uma cena com a anta selvagem na aldeia Glória de Deus, infelizmente a anta não compareceu e seguimos viagem até a foz do rio Breu, onde reabastecemos os mantimentos e descansamos até o dia seguinte. Antes da chegada na foz do rio Breu sofremos um acidente. Um galho caído na margem me acertou (Wander) no peito atirando-me para fora da canoa, felizmente foi apenas um susto com alguns arranhões.

Na quarta-feira a viagem seguiu tranquila pelo rio Juruá. Chegando a Marechal Thaumaturgo no início da tarde do dia 02/10, a cidade estava bem movimentada por causa da campanha política com comício e passeata. No dia seguinte embarcamos para Cruzeiro do Sul chegando a Rio Branco no fim da tarde do mesmo dia. Vandete nos acompanhou, pois no dia 06/10 iniciaríamos a edição e finalização do filme.

Ah, o candidato a vereador da comunidade indígena não se elegeu.

 

Abraços, Wander e Felipe.

 

 

aldeia-jacobina-df-695aldeia-jacobina-df-696

aldeia-jacobina-df-708aldeia-jacobina-df-709aldeia-jacobina-df-712aldeia-jacobina-df-719aldeia-jacobina-df-724aldeia-jacobina-df-7451aldeia-jacobina-df-749aldeia-jacobina-df-751aldeia-jacobina-df-759aldeia-jacobina-df-7791aldeia-jacobina-df-7851aldeia-jacobina-df-795aldeia-jacobina-df-800aldeia-jacobina-df-806aldeia-jacobina-df-830aldeia-jacobina-df-834aldeia-jacobina-df-851aldeia-jacobina-df-852aldeia-jacobina-df-853aldeia-jacobina-df-859aldeia-jacobina-df-862aldeia-jacobina-df-864aldeia-jacobina-df-865aldeia-jacobina-df-876aldeia-jacobina-df-880aldeia-jacobina-df-889aldeia-jacobina-df-8921aldeia-jacobina-df-8961aldeia-jacobina-df-9181aldeia-jacobina-df-9321aldeia-jacobina-df-9511aldeia-jacobina-df-9531aldeia-jacobina-df-955aldeia-jacobina-df-957aldeia-jacobina-df-959aldeia-jacobina-df-962aldeia-jacobina-df-968aldeia-jacobina-df-977aldeia-jacobina-df-521

Glauber, o Filme – Labirinto do Brasil no Hélio Melo

Documentário de Silvio Tendler enfoca a vida e a morte do polêmico cineasta baiano

 Glauber o Filme – Labirinto do Brasil (100 min) será exibido no Circuito Documentário nesta quarta-feira, 28, às 19 horas, no Ponto de Exibição Hélio Melo. Com direção de Silvio Tendler, o filme enfoca a vida e a morte do polêmico cineasta baiano que  glauber2revolucionou o cinema brasileiro. Além de depoimentos de amigos, o filme traz imagens do enterro do cineasta, uma espécie de tributo à sua memória.

As entrevistas dadas pelo próprio diretor à Rede Globo e imagens do Festival de Veneza de 1980, ocasião em que Glauber apresentou A Idade da Terra, sua última direção também figuram no documentário, além de imagens captadas por Tendler na época, que foram proibidas pela mãe de Glauber, Lúcia Rocha, e liberadas mais de 20 anos depois.

O documentário traz ainda um depoimento emocionado do antropólogo Darcy Ribeiro durante o sepultamento do diretor, lembrando que Glauber foi o “mais indignado” de todos os brasileiros.

Glauber, que faleceu aos 42 anos, dizia que não tinha o menor interesse em ganhar dinheiro com o cinema e muito menos em participar da formação da indústria cinematográfica brasileira. Para ele, a indústria dos tempos tradicionais correspondia ao “assassinato do cinema”.

Uma das curiosidades é o depoimento do cineasta Orlando de Senna em que conta que Glauber não gostaria de numerar os rolos de A Idade da Terra, já que o filme poderia ser visto em qualquer ordem. Ainda sobre esse filme, o próprio cineasta fala: “cinema é para ver e ouvir, não obedeço às leis da dramaturgia convencional; esse é um filme religioso e, sendo assim, é uma novidade”.

O documentário traz ainda imagens do Tributo ao Glauber feito na casa de shows Canecão, no Rio de Janeiro, uma semana após a sua morte.

Serviço
O que:
Glauber, o Filme – Labirinto do Brasil
Quando: quarta-feira, 28, às19 horas
Onde: Ponto de Exibição HélioMelo – Theatro Hélio Melo 

Av. Getúlio Vargas, s/n – Centro – Tel.: 3224-2133

 

Alunos do Curso de Cinema e Vídeo da Usina de Arte produzem documentário durante Fórum Social Mundial

  Imprimir E-mail
 
 
Produção será em parceria com o Núcleo de Produção Digital de Belém 

entrevista-fsm1

Produtores da Usina de Artes querem abordar um olhar diferente sobre o Fórum Social Mundial (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

“Você tem fome de que?” É com essa pergunta que os integrantes do Núcleo de Produção Digital da Usina de Artes João Donato pretendem abordar os participantes da 9ª edição do Fórum Social Mundial, que começa no próximo dia 27, terça-feira, em Belém do Pará. “A idéia começou com o tema culinária. Mas aí decidimos ‘linkar’ essa questão da comida com várias outras temáticas, entre elas a questão da fome. Do que as pessoas têm fome?”, explica a produtora Juliana Machado.

De acordo com o grupo, o documentário será um longa de mais de 50 minutos narrado com entrevistas dos participantes. “Iremos ouvir autoridades e também o povo de um modo geral, vendedores ambulantes, estudantes, comunidade… A idéia é ouvir pessoas das mais diversas culturas e nacionalidades”, afirmou  também a produtora do documentário Talita Oliveira.

Serão quatro integrantes do Núcleo de Produção Digital da Usina de Artes que embarcam neste sábado para Belém. E na capital do Pará, o grupo deverá se reunir com os integrantes do Núcleo de Produção Digital da cidade, que vão ser parceiros neste trabalho. “Esta é a primeira vez que dois núcleos vão se reunir para trabalhar juntos. E depois das filmagens, nós faremos a edição e finalização desse documentário aqui em Rio Branco. Aí, os colegas do Pará virão ao Acre para ajudar nessa segunda etapa”, explicou o produtor Wander Silva.

O grupo também estará atualizando um blog com notícias direto do Fórum Social Mundial. Para acompanhar, basta acessar o endereço semfastio.wordpress.com. E para ver as notícias do Núcleo de Produção Digital da Usina de Artes, acesse usinadeolhares.wordpress.com.

 

Por, Mariama Morena (Agência de Notícias do Acre)   

NPD-AC realiza parceria com NPD-PA

O ano começa com novidade para o Núcleo de Produção Digital-AC (NPD-AC). O NPD-AC irá desenvolver pela primeira vez no Fórum Social Mundial (FSM), que acontece entre os dias 27 de janeiro e 1.º de fevereiro, em Belém, no Pará; um trabalho de parceria com o NPD-PA, na qual envolverá alunos acreanos e paraenses na realização de um documentário sobre o FSM.

No dia 25/01, a equipe acreana composta por quatro integrantes: Ítalo Rocha, Juliana Machado, Luiz Felipe e Talita Oliveira, encontrarão com a equipe paraense composta por cinco integrantes: Bruno de Assis, Camila Leal, Gustavo Nogueira, Mário Ribeiro e Roger Elarrat. Neste primeiro momento as equipes se conhecerão e definirão o tema, a narrativa e elaborarão um planejamento a ser seguido na medida do possível durante o FSM. A captação de imagens, assim como, as principais funções (direção, produção e som) serão alternadas entre as equipes e a edição e finalização do documentário será realizada no NPD-AC com a vinda dos alunos paraenses.

Esta experiência inédita entre dois Núcleos de Produção Digital vem demonstrar a possibilidade de envolver dois ou mais NPDs em diversas atividades, cujos resultados serão super interessantes no ponto de vista produtivo e experimental, podendo haver intercâmbios entre os alunos e principalmente a divulgação, exibição e debates dos trabalhos de cada NPD. Com isso, os NPDs deixam de serem agentes locais e passam a interagir de maneira macro abrangendo uma escala nacional, pois existem NPDs nas cinco regiões brasileira e, até o momento, não houve nenhuma interação entre os NPDs.

                                                                                           Abraços, Wander Silva.

FICTV/MAIS CULTURA – Edital de Seleção de Projetos de Desenvolvimento e Produção de Teledramaturgia Seriada

A Sociedade Amigos da Cinemateca – SAC e a Empresa Brasil de Comunicação – EBC, no âmbito da realização do Programa Mais Cultura lançam o EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO E PRODUÇÃO DE TELEDRAMATURGIA SERIADA PARA TVS PÚBLICAS – FICTV/MAIS CULTURA.

INSCRIÇÕES

ATÉ 15 DE MARÇO DE 2009

fictv@cultura.gov.br

BAIXE AQUI O REGULAMENTO, A FICHA DE INSCRIÇÃO E OS ANEXOS (TEXTOS DE REFERÊNCIA)

A Liberdade é Azul no Ponto de Exibição Hélio Melo

 
 
Filme do diretor polonês Kieslowski é a primeira parte da Trilogia das Cores, inspirado nos princípios da revolução francesa.

 

 

A Liberdade é Azul (Trois couleurs: Bleu – 1993, 97min) do diretor polonês Krzysztof Kieslowski é o filme do Ponto de Exibição Hélio Melo, no projeto Cinema do Mundo, nesta quinta-feira, 22, às 19 horas. O filme é a primeira parte da Trilogia das Cores, na qual o diretor Kieslowski usa como tema as cores, inspirado nos princípios da revolução francesa  (Liberdade, Igualdade e Fraternidade). Os dois outros filmes que completam a trilogia são: A Igualdade é Branca e A Fraternidade é Vermelha.

O filme como o próprio título indica, exalta a liberdade, o que é feito com extrema sensibilidade e com grandes atuações do elenco.  Juliette Binoche está perfeita no papel de Julie Vignon, numa das maiores interpretações de sua carreira. Além da atuação de Juliette, o filme é elogiado também pela excelente fotografia em tons de azul e a direção segura de Kieslowski.

A Liberdade é Azul que recebeu três indicações ao Globo de Ouro, ganhou o Leão de Ouro no Festival de Veneza (1993) e o Cézar de Melhor Atriz (Juliette Binoche) traz uma belíssima trilha sonora Song for Unification of Europe (Concerto ou Canção para a Unificação da Europa), com inúmeras variações, que percorre toda a projeção. O modo como o filme se desenrola, as partes dramáticas acompanhadas ao som do coral da Orquestra Sinfônica e Coral da Thecoslováquia, cujas letras da melodia são extraídas – e reelaboradas – das Epístolas Paulinas (I Coríntios 13), do Hino à Caridade: “Ainda que eu falasse línguas, as dos homens e as dos anjos, seu eu não tivesse a caridade, seria como um bronze que soa…”, é formidável.

Sinopse – Uma vida comum é alterada pela tragédia: Julie (Juliette Binoche), famosa modelo, após um trágico acidente de automóvel, perde a família: o esposo – um maestro de fama internacional – e a filha pequena. A partir daí, após uma tentativa de suicídio frustrado, Julie, experimentando a dor da perda – entre outras dores: a mãe, insana, está internada num asilo -, descobre que o ex-marido a traíra, que a amante do marido está grávida. Em meio a tudo isso, tendo por base a dura realidade, Julie volta a se interessar pela vida ao se envolver com uma obra musical inacabada do marido. Com isso, Julie sublima o sofrimento, desvia a atenção para novas coisas, aprende a contemplar o mundo por outras perspectivas. 

Serviço

O que: A Liberdade é Azul

Quando: quinta-feira, 22, às 19 horas

Onde: Ponto de Exibição Hélio Melo – Theatro Hélio Melo – Av. Getúlio Vargas, s/n – Centro – Tel.: 3224-2133 – Entrada franca. O Ponto de Exibição Hélio Melo é coordenado pelo Governo do Acre, através da Fundação Elias Mansour em parceria com a ABDeC/AC.

Cineclube Batelão AVISA…

Avisamos que a sessão do Cine Batelão, com o filme Música e Fantasia, que se realizaria hoje, 15 de janeiro será cancelada e transferida para o dia 22 de janeiro, em virtude de uma série de atividades, também nesta quinta, em defesa da causa e do povo palestino, incluindo a projeção dos filmes “Sob o Céu do Libano” e “O Tempero da Vida”. As atividades começam às 18h00min e ocorrem no Espaço de Convivência do Campus da Ufac.

Entradas Mais Antigas Anteriores