Arraial Usina na Roça

O clima de São João chega nesta sexta, 19, na Usina de Arte João Donato a partir das 18h. É a 5 edição do arraial artístico da Usina, que este ano traz o tema “Do nordeste ao Acre: chita, xilo e cordel.”

foto: Edson Bruno

Seguindo a tradição das outras edições, a festa promoverá um divertido encontro da comunidade com apresentações artísticas, tecido acrobático com Tecidos Apaixonados comidas típicas, quadrilha junina, brechó, sebo, exposição de artes plásticas, bingo de obras de arte e muito forró, xote e chorinho.

Um dos destaques do arraial será a performance, no palco, de alunos do curso de Cordel e Xilogravura. Junto com o artista popular e professor da turma, Cícero Farias, eles irão brincar com versos improvisando rimas.

foto: Edson Bruno

O arraial Usina na roça é uma realização do governo do Acre por meio da Fundação Elias Mansour e acontecerá na Usina de Arte, localizada no bairro Distrito Industrial, 1155, Av. das Acácias, próximo à UFAC.

foto: Rosilene Nobre

Venha brincar conosco e dançar um bom arrasta pé no arraial mais artístico da cidade. Chega mais, pessoar!

Vem conhecer a D. Helena

64262865_2287656357976720_4021588843743412224_n-e1560810628767.jpg

Foto: internet

Sabe aquele momento que você vivenciou na semana passada? Talvez hoje, há dois anos e ontem também. Pode ter sido um chute no balde, uma viagem de mochilão; e até uma mudança para outra cidade para tornar o sonho de estar nos palcos uma realidade. O momento vem em seguida, com a dúvida: e agora? Você se pergunta. E agora? Agora o acreano está de volta, do Rio de Janeiro para Rio Branco, diretamente para o centro do palco da Usina de Artes João Donato.

Em Dona Helena, o ator César Júnior nos conta sobre esses momentos, entre o sonho e a realidade alcançada. “O pensamento ao sair do Acre era sempre o pensamento de chegar nas telinhas, afinal, foi dali que surgiu meu encanto pela profissão. Só que, ao chegar lá [no Rio de Janeiro], percebi que a realidade era completamente diferente e que só talento – que eu julgava ter na época – não era suficiente” diz.

Era chegado o momento: e agora? “Estudar era minha única solução, já que eu não queria desistir”. Assim, César ingressou na Escola de Teatro Martins Penna. “Fui picado pelo bichinho da arte” diz sobre a experiência de estudar na instituição – primeira escola pública de teatro da América Latina. “Lá aprendi o significado de empatia, resiliência e ser político”. E agora? Agora ele compartilha com a plateia o resultado do que aprendeu.

Dona Helena tem empatia, resiliência e política. Inspirado nas próprias experiências do ator, o monólogo ainda abraça vivências do músico Kurt Cobain, de Caio Fernando de Abreu – o nome do espetáculo é uma referência à mãe do escritor – e de Dandara dos Santos, travesti que teve a vida ceifada a tiros após ser espancada e apedrejada no Ceará, em 2017. “Nós atores, temos uma grande responsabilidade com a população. Estamos aqui para fazer refletir”, diz César.

A peça narra as inquietações de um ator recém-formado, que perde a mãe pouco antes do término do curso de Artes Cênicas. Entre pensamentos suicidas, crises existenciais e a falta física que mãe lhe faz, ele tenta sempre ver o lado bom disso tudo: a busca. Começa então a busca para realizar um projeto, o seu projeto. O espetáculo é uma parceria entre os cursos de Artes Cênicas das Universidades Federais do Rio de Janeiro (UFRJ) e do Acre (UFAC).

D. Helena fica em cartaz até o dia 6 de julho, com sessões às sextas e sábados, sempre às 20 horas, mas o público já pode ir se aprochegando a partir das 17h30, quando os portões da Usina de Arte se abrem para um happy hour com som ao vivo e venda de alguns produtos, entre artesanato, cd, camisetas personalizadas etc. Os ingressos custam R$ 20 (inteiro) e R$ 10 (meia) para estudantes.

Workshop de Composição Musical na Usina de Arte com Rodolfo Minari

A Usina de Arte receberá amanhã, 25, um workshop de composição musical ministrado por Rodolfo Minari, músico, compositor, cantor, educador, que tem se destacado na cena artística local com trabalhos, criações e ações educativas ligadas principalmente à música.

folder workshop

Neste workshop, o artista compartilha fundamentos teóricos e práticos da composição musical popular, abordando e praticando: escolha e desenvolvimento de tema, métrica, rima, escrita criativa, estrutura musical, harmonização, ritmo, prosódia, pastiche, entre outros, por meio de técnicas divertidas e acessíveis, de resultados imediatos.

O workshop vem sendo ministrado e aprimorado desde 2014. Alguns locais por onde este trabalho já passou:

  • ISE – Instituto Socioeducativo do Acre – Brasileia (2018)
  • Cidade do Povo – Ministério Público (2018)
  • Universidad de Pando – Cobija, Bolívia (2017)
  • Coletivo Decor – Rio Branco/AC (2017)
  • Casarão do Belvedere – São Paulo/SP (2016)
  • MPE/AC – Servidores do Ministério Público Estadual (2015)
  • 50º FEMUP – Paranavaí/PR (2015)
  • Oficinas Silvio Russo – Mirandópolis e Ilha Solteira/SP (2014)

Sobre Rodolfo Minari

Rodolfo é músico, cantor, compositor, escritor, educador. Lançou os CDs independentes Assovio (2013), cujo show circulou por mais de 10 estados do Brasil e outros 4 países; Terreiro (2016), premiado em diversos festivais da canção no Brasil e exterior; o infantil Céu de Brincadeira (2017) e o mais novo trabalho Flor do Astral (2018), que será lançado mundialmente dia 26/10.

Representou o Acre em dezenas de festivais e concursos, tendo recebido, entre outros prêmios:

  • 1º lugar no XVI Concurso Internacional de Poesia Fritz Teixeira de Salles (2018)
  • 1º lugar no I Festival da Canção de Porto Ferreira/SP (2018)
  • 1º lugar no III Festival da Canção de Mogi das Cruzes/SP (2016)
  • 1º lugar no II Concurso Iberoamericano de Composición de Canción Popular IBERMUSICAS (2015)
  • 1º lugar no 18º Festival Edésio Santos da Canção de Juazeiro/BA (2015)
  • Troféu Barriguda no 50º Festival de Música e Poesia de Paranavaí/PR (2015)

5ª Mostra Audiovisual Usina de Olhares

Por pouco, a história da Mostra Audiovisual Usina de Olhares não se confunde com a da própria Usina de Arte João Donato. Isso porque sua primeira edição aconteceu no ano de 2008, quando a instituição contava com apenas dois anos de existência. De lá pra cá, dez anos se passaram e muita coisa aconteceu.
A Usina de Arte consagrou-se como berço de novos artistas e aconchego dos que por aqui já faziam arte desde o século passado.
convite 5 mostra usina de olhares
Nesta edição da Mostra, será lançado o curta-metragem “O que era e não é mais”, produção que resultou de um projeto integrado das turmas de Teatro, Produção de Áudio e Vídeo, Artes Visuais e Documentação Musical ofertadas pela manhã na Usina de Arte entre 2017 e 2018 no âmbito do MedioTec, programa mantido pelo governo federal com o apoio do governo do Acre por meio do Instituto Dom Moacyr.
O roteiro do filme foi construído de forma coletiva e colaborativa entre alunos e mediadores e foi baseado no livro de crônicas Suindara, da escritora acreana Leila Jalul. Personagens saídas de várias narrativas se entrelaçam, nos idos de décadas passadas, de um século passado… gentes e paisagens, sentimentos e acontecimentos se misturam e se confundem com a própria identidade da cidade de Rio Branco.    
“O que era não é mais” traz uma Rio Branco antiga no sobrevoo das memórias da personagem Leila, menina, moça, mulher que vive aventuras, rotinas e histórias nas ruas, rios, barrancos, praças e cinemas entre as décadas de 1950 e 1970. Como disse Juarez Nogueira, “histórias que poderiam ser as histórias da gente” revividas em  “memórias rasantes de afeto.”

Estudantes do curso de Artes visuais trabalham com esculturas

Nossos alunos de Artes Visuais estão trabalhando com esculturas neste módulo. O mediador do curso, Jesaias Texeira, explica que todo o conhecimento adquirido de traço, linhas, anatomia e geometria são postos em prática da maneira mais delicada possível para reproduzir formas e detalhes nas esculturas. Confira a galeria.

 

Imagem

Vagas remanescentes para cursos técnicos da Usina de Arte

O Centro de Educação Profissional e Tecnológica Usina de Arte oferece inúmeras vagas remanescentes em cursos técnicos profissionalizantes ofertados pelo Instituto Dom Moacyr por meio do Pronatec/MedioTec.

As vagas são destinadas a jovens que desejam ingressar no mercado de trabalho em algum segmento da cultura, com idade entre 15 e 19 anos, que estejam cursando o primeiro ou segundo ano do ensino médio ou o primeiro módulo do PEEM da rede pública de ensino.

Esta é uma oportunidade para os candidatos que não conseguiram ingressar na primeira etapa das inscrições. As inscrições para as vagas remanescentes estarão abertas até 28/07. Para se inscrever, os interessados devem preencher o formulário de inscrição disponível na escola em que estudam ou na secretaria da Usina de Arte.

novo

II Feira de Ecoflores começa hoje no Horto Florestal

 Começa hoje, 25 de maio, às 16 horas, a segunda edição da Ecoflores. Com o objetivo de superar o sucesso da primeira edição,desta vez, além da comercialização de produtos do segmento  da alimentação, jardinagem e artesanato, também serão oferecidos  palestra e oficinas. Hoje na abertura do evento haverá uma apresentação dos estudantes de música da Usina de Arte João Donato. Contamos com a sua presença.

 

Entradas Mais Antigas Anteriores