Workshop de Composição Musical na Usina de Arte com Rodolfo Minari

A Usina de Arte receberá amanhã, 25, um workshop de composição musical ministrado por Rodolfo Minari, músico, compositor, cantor, educador, que tem se destacado na cena artística local com trabalhos, criações e ações educativas ligadas principalmente à música.

folder workshop

Neste workshop, o artista compartilha fundamentos teóricos e práticos da composição musical popular, abordando e praticando: escolha e desenvolvimento de tema, métrica, rima, escrita criativa, estrutura musical, harmonização, ritmo, prosódia, pastiche, entre outros, por meio de técnicas divertidas e acessíveis, de resultados imediatos.

O workshop vem sendo ministrado e aprimorado desde 2014. Alguns locais por onde este trabalho já passou:

  • ISE – Instituto Socioeducativo do Acre – Brasileia (2018)
  • Cidade do Povo – Ministério Público (2018)
  • Universidad de Pando – Cobija, Bolívia (2017)
  • Coletivo Decor – Rio Branco/AC (2017)
  • Casarão do Belvedere – São Paulo/SP (2016)
  • MPE/AC – Servidores do Ministério Público Estadual (2015)
  • 50º FEMUP – Paranavaí/PR (2015)
  • Oficinas Silvio Russo – Mirandópolis e Ilha Solteira/SP (2014)

Sobre Rodolfo Minari

Rodolfo é músico, cantor, compositor, escritor, educador. Lançou os CDs independentes Assovio (2013), cujo show circulou por mais de 10 estados do Brasil e outros 4 países; Terreiro (2016), premiado em diversos festivais da canção no Brasil e exterior; o infantil Céu de Brincadeira (2017) e o mais novo trabalho Flor do Astral (2018), que será lançado mundialmente dia 26/10.

Representou o Acre em dezenas de festivais e concursos, tendo recebido, entre outros prêmios:

  • 1º lugar no XVI Concurso Internacional de Poesia Fritz Teixeira de Salles (2018)
  • 1º lugar no I Festival da Canção de Porto Ferreira/SP (2018)
  • 1º lugar no III Festival da Canção de Mogi das Cruzes/SP (2016)
  • 1º lugar no II Concurso Iberoamericano de Composición de Canción Popular IBERMUSICAS (2015)
  • 1º lugar no 18º Festival Edésio Santos da Canção de Juazeiro/BA (2015)
  • Troféu Barriguda no 50º Festival de Música e Poesia de Paranavaí/PR (2015)

5ª Mostra Audiovisual Usina de Olhares

Por pouco, a história da Mostra Audiovisual Usina de Olhares não se confunde com a da própria Usina de Arte João Donato. Isso porque sua primeira edição aconteceu no ano de 2008, quando a instituição contava com apenas dois anos de existência. De lá pra cá, dez anos se passaram e muita coisa aconteceu.
A Usina de Arte consagrou-se como berço de novos artistas e aconchego dos que por aqui já faziam arte desde o século passado.
convite 5 mostra usina de olhares
Nesta edição da Mostra, será lançado o curta-metragem “O que era e não é mais”, produção que resultou de um projeto integrado das turmas de Teatro, Produção de Áudio e Vídeo, Artes Visuais e Documentação Musical ofertadas pela manhã na Usina de Arte entre 2017 e 2018 no âmbito do MedioTec, programa mantido pelo governo federal com o apoio do governo do Acre por meio do Instituto Dom Moacyr.
O roteiro do filme foi construído de forma coletiva e colaborativa entre alunos e mediadores e foi baseado no livro de crônicas Suindara, da escritora acreana Leila Jalul. Personagens saídas de várias narrativas se entrelaçam, nos idos de décadas passadas, de um século passado… gentes e paisagens, sentimentos e acontecimentos se misturam e se confundem com a própria identidade da cidade de Rio Branco.    
“O que era não é mais” traz uma Rio Branco antiga no sobrevoo das memórias da personagem Leila, menina, moça, mulher que vive aventuras, rotinas e histórias nas ruas, rios, barrancos, praças e cinemas entre as décadas de 1950 e 1970. Como disse Juarez Nogueira, “histórias que poderiam ser as histórias da gente” revividas em  “memórias rasantes de afeto.”

Estudantes do curso de Artes visuais trabalham com esculturas

Nossos alunos de Artes Visuais estão trabalhando com esculturas neste módulo. O mediador do curso, Jesaias Texeira, explica que todo o conhecimento adquirido de traço, linhas, anatomia e geometria são postos em prática da maneira mais delicada possível para reproduzir formas e detalhes nas esculturas. Confira a galeria.

 

Imagem

Vagas remanescentes para cursos técnicos da Usina de Arte

O Centro de Educação Profissional e Tecnológica Usina de Arte oferece inúmeras vagas remanescentes em cursos técnicos profissionalizantes ofertados pelo Instituto Dom Moacyr por meio do Pronatec/MedioTec.

As vagas são destinadas a jovens que desejam ingressar no mercado de trabalho em algum segmento da cultura, com idade entre 15 e 19 anos, que estejam cursando o primeiro ou segundo ano do ensino médio ou o primeiro módulo do PEEM da rede pública de ensino.

Esta é uma oportunidade para os candidatos que não conseguiram ingressar na primeira etapa das inscrições. As inscrições para as vagas remanescentes estarão abertas até 28/07. Para se inscrever, os interessados devem preencher o formulário de inscrição disponível na escola em que estudam ou na secretaria da Usina de Arte.

novo

II Feira de Ecoflores começa hoje no Horto Florestal

 Começa hoje, 25 de maio, às 16 horas, a segunda edição da Ecoflores. Com o objetivo de superar o sucesso da primeira edição,desta vez, além da comercialização de produtos do segmento  da alimentação, jardinagem e artesanato, também serão oferecidos  palestra e oficinas. Hoje na abertura do evento haverá uma apresentação dos estudantes de música da Usina de Arte João Donato. Contamos com a sua presença.

 

Mostra – Sesc Amazônia das Artes

SESC – Programação Amazônia das Artes 2017

A 10ª edição da Mostra Sesc Amazônia das Artes acontece em Rio Branco de 06 a 16 de maio. Dez dias de teatro, cinema, literatura e música.

Há dez anos, o sonho da iniciativa era fomentar a circulação e produção artística da Amazônia legal. Hoje, o Sesc Amazônia das Artes é um sonho realizado, se firmando como um dos principais programas de circulação da produção artística brasileira. Confira acima toda a programação, que tem entrada franca.

Usina de Arte recebe a Camerata de Cordas da UFAC nesta sexta

Nesta sexta-feira, 5 de maio, às 19:00 horas, a Usina de Arte receberá a apresentação da Camerata de Cordas da UFAC, um grupo instrumental formado por professores, técnicos músicos e alunos da Universidade Federal do Acre e coordenado por Leonardo Feichas, violonista e professor do Curso de Música da instituição.

camerata

A Camerata, ligada a um projeto de extensão da Pró-reitoria de Extensão e Cultura (Proex) da UFAC, foi criada com o objetivo de trabalhar repertórios para cordas (violino, viola e violoncelo) de diferentes períodos, além de buscar divulgar obras de compositores contemporâneos.

O projeto fez a primeira apresentação em 17 abril, na UFAC e tem como proposta chegar a diferentes locais da cidade de Rio Branco.

Leonardo Feichas afirmou que “este é apenas o início do trabalho. Esta segunda apresentação contará com várias novidades em relação à primeira. Nós já estamos trabalhando também num novo repertório e planejado as próximas apresentações.”

A apresentação é gratuita e livre a todas as faixas etárias.

Compõem a Camerata: Leonardo Vieira Feichas, Letícia Porto Ribeiro, José Paulo Pereira Martins, Catarina Costa Amaral, Alan Deivis Uchôa de Bem, Wilson Medeiros dos Santos, Suellen Frota de Castro, José Luis Cabral, André Ricardo de Alencar Dantas, Marcello Messina, Marcelo Alves Brum.

Serviço

Evento: Camerata de Cordas da UFAC

Local: Usina de Arte (Endereço (Av. da Acácias, 1.155, Bloco B, bairro Distrito Industrial, Rio Branco)

Data: 5 de maio de 2017

Horário: 19 horas

Classificação indicativa: livre

Sobre Leonardo Feichas

leonardo

Natural de Itajubá–MG, iniciou os estudos musicais aos 12 anos no Conservatório Estadual Juscelino Kubitschek em Pouso Alegre – MG estudando violino. Em 2009 graduou-se em violino na Unicamp e em 2013 concluiu o mestrado em performance também na Unicamp. Participou de diversas orquestras no estado de São Paulo e de festivais no Brasil e no exterior. Atualmente é professor de violino (Práticas Interpretativas) na UFAC, onde desenvolve intensa atividade de ensino, extensão e pesquisa. Como violinista, tem uma intensa atividade como músico de orquestras, violino solo e camerista em formações instrumentais como violino-violão, violino-piano e violino-guitarra. Como pesquisador, tem como objeto de estudo o repertório para violino solo brasileiro, especificamente o conjunto de 26 Prelúdios Característicos e Concertantes para Violino Só do compositor Flausino Valle. Já se apresentou como palestrante, recitalista congressista em 2013 em diversos países, como Esatdos Unidos, Inglaterra, Colômbia, Escócia. Neste ano selecionado para participar do renomado Starling-DeLay Symposium on violin studies na Julliard School of Music, em Nova York (EUA). Hoje atua como recitalista e palestrante, divulgando a música brasileira através de repertório que transita entre o erudito e o popular.

Entradas Mais Antigas Anteriores