Mostra – Sesc Amazônia das Artes

SESC – Programação Amazônia das Artes 2017

A 10ª edição da Mostra Sesc Amazônia das Artes acontece em Rio Branco de 06 a 16 de maio. Dez dias de teatro, cinema, literatura e música.

Há dez anos, o sonho da iniciativa era fomentar a circulação e produção artística da Amazônia legal. Hoje, o Sesc Amazônia das Artes é um sonho realizado, se firmando como um dos principais programas de circulação da produção artística brasileira. Confira acima toda a programação, que tem entrada franca.

Anúncios

Figurinos em debate: reflexões sobre a criação, concepção e produção de figurinos nos grupos de teatro do Acre

Nesta quarta-feira, 29, A Usina de Arte, por meio do Núcleo de Artes Cênicas, realiza um encontro sobre figurinos. A atividade foi idealizada e organizada pela atriz e professora de teatro Claudia Toledo, que ministrará o curso de Formação Inicial e Continuada Figurinista na Usina, ofertado pelo governo do Acre por meio do Instituto Dom Moacyr e Fundação Elias Mansour.

A ideia é promover um debate sobre os processos de criação e produção dos figurinos dos grupos de teatro de Rio Branco e instigar uma reflexão sobre as dificuldades enfrentadas diante da falta de profissionais com formação nessa área.

IMG-20170329-WA0001

O trabalho do figurinista é interpretar a proposta do roteiro, seja de uma peça de teatro, de um filme, show etc e, partir dela, pesquisar, idealizar e criar, ou mesmo recriar, peças (roupas, adereços e acessórios) que irão caracterizar os personagens para que haja harmonia de sentido e significação com o todo da obra.

A profissão de figurinista no Brasil ainda não tem o reconhecimento que merece, muitos que atuam são autodidatas e aprendem, na prática, as habilidades da profissão, visto que há poucos cursos voltados para a formação específica desses profissionais. Em Rio Branco, raramente acontecem ações de formação nessa área. No Acre, essa carência é enorme, por isso, a oferta do curso FIC Figurinista na Usina de Arte representa uma rara oportunidade de capacitação e atualização profissional na área de figurino.

A atividade é destinada aos alunos do curso Figurinista, a estudantes de Artes Cênicas, profissionais do teatro, cinema, dança, manifestações populares e demais interessados no tema.

O debate terá início às 18h30, no teatro da Usina. O evento traz ainda uma exposição de figurinos de personagens icônicos de espetáculos conhecidos do público acreano.

Claudia Toledo ressalta que “o evento é uma oportunidade para os alunos do curso conhecerem sobre os processos de concepção e criação dos figurinos e sobre o trabalho dos grupos teatrais da cidade.”

Figurinos em Debate terá a participação dos grupos: Cia Visse e Versa, Cia Garatuja, GPT, Aguadeiro, Cia Expressão e Macaco Prego da Macaca. 

Exibição do curta-metragem Coisa-Malu na escola Francisco Augusto Bacurau

Aconteceu hoje à tarde, na escola municipal Francisco Augusto Bacurau, a exibição do curta-metragem Coisa-Malu.

Quando as luzes se apagaram, as crianças não faziam ideia da viagem que iriam fazer durante os próximos 25 minutos… A tela logo se encheu de cores, música, dança e seres fantásticos.  

WP_20170324_14_12_17_Pro

Ao fim da exibição, Tobias Rezende, um dos realizadores do filme, fez um bate papo com as crianças, que tinham entre 6 e 7 anos. Elas mais falaram sobre o que gostaram e o que lhes encantou, do que mesmo perguntaram. Entre as poucas perguntas que fizeram, insistiram na curiosidade em torno da transformação de Malu em uma mosca, em uma coisa, como disseram.

WP_20170324_14_34_09_Pro (2)

Malu também sente curiosidade em saber quem é ela, quando instigada pelo personagem Pífano a definir que “coisa” ela é. Enfim, conclui que pode ser muitas coisas, mas que principalmente ela é a coisa-malu.

Segundo o dicionário Aurélio, coisa é “tudo aquilo que não sabemos a resposta, ou que esta seja demasiada complicada ou inibidora de responder a outrem.” Então é isso. Isso é Malu. Tobias Rezende explica que o filme gira em torno do questionamento “que coisa eu sou?”, por isso o nome do curta-metragem ser Coisa-Malu.

E para encerrar a aventura das crianças, Tobias presenteou cada uma delas um marca texto e um cartão postal personalizados com a arte de Coisa-Malu.

WP_20170324_14_40_50_Pro

Esperamos que este seja apenas o começo da história da Usina de Arte com a escola Francisco Augusto Bacurau, que nos recebeu tão bem e muito agradeceu a visita em forma de cinema.

WP_20170324_14_43_01_Pro

Usina de Arte leva cinema para crianças em escola pública

Nesta sexta-feira, a Usina de Arte, por meio de seu programa Arte e Cultura na Comunidade, leva o cinema para a escola municipal de ensino fundamental Francisco Augusto Bacurau, localizada na rua Senador Guiomard, Vila Betel, bairro Floresta, em Rio Branco.

cartaz

Será exibido o curta-metragem infantil Coisa-Malu (2015), filme realizado por alunos do Instituto de Artes da Universidade de Campinas (Unicamp). O enredo narra a história de Malu, uma criança tímida que passa seus dias fantasiando, mas esconde isso por medo de ser julgada esquisita. Certo dia, conduzida pela melodia de um pífano, atravessa um portal que a transporta para uma terra mágica. Nela, Malu encontrará seres fantásticos e diversos desafios, enquanto procura a música que a levou até lá.

Coisa-Malu traz à tona elementos da cultura popular brasileira imersos no imaginário da protagonista Malu.

coisa-malu

O curta já passou por inúmeros festivais nacionais, além de ter sido exibido, em 2016, no Short Film Corner – Festival de Cannes.

O filme será apresentado por um de seus diretores, Tobias Rezende, que realizará um bate papo sobre o curta, com as crianças, após a exibição.

Encerramento do Curso de Direção de Atores e Interpretação para Cinema e Televisão

A Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), por meio do Centro Audiovisual Norte-Nordeste (CANNE), encerrou hoje, em Rio Branco-AC, o curso de Direção de Atores e Interpretação para Cinema e Televisão, ministrado pelo diretor e ator Christian Duurvoort.

O curso, que teve duração de 45 horas de duração, iniciou-se no dia 7 deste mês, na Usina de Arte João Donato. Apesar das 25 vagas oferecidas, somente 17 selecionados acompanharam as aulas, entre produtores audiovisuais, atores, diretores de teatro, estudantes de comunicação, artes cênicas e cinema e professores de artes.

Neste sábado, das 9h às 14h, a turma assistiu e debateu sobre as cenas construídas com os alunos em atuação. O exercício foi um laboratório proposto por Christian Duurvoort para que os participantes vivenciassem na prática algumas situações que envolvem essencialmente a relação diretor-ator e assim entendessem melhor as possibilidades de trabalho com a câmera e as abordagens ao se dirigir atores no cinema e na televisão.

20161111_170214

direção de cena / fotografia: Alex Pimentel

Antecedeu ao laboratório, debates e análise de filmes, tendo como enfoque a técnica do ator e da direção durante o processo criativo, especialmente para o cinema. O objetivo do curso, que era desenvolver uma estratégia de trabalho com atores e não atores, segundo os participantes, foi alcançado.

20161111_165014

Interpretação e direção de cena  / Fotografia: Alex Pimentel

A aluna Dalcimara falou sobre a importância do curso para ela: “este curso me ajudou a entender questões internas. Além disso, abriu meu olhar para a interpretação. Hoje sei avaliar uma cena teatral ou cinematográfica baseando-me no que vi e aprendi no curso.”

Para Ney Ricardo, o curso possibilitou compreender melhor o universo do ator na construção do personagem, ampliando seu conhecimento sobre a preparação do ator.   

Quantos às expectativas, o aluno João Vitor declarou que “o curso foi ótimo. Trouxe um grande aprendizado com um diretor de vasta experiência profissional, sobretudo no cinema. Superou minhas expectativas em relação ao aprofundamento nos debates sobre o trabalho do diretor e do ator.”

20161111_192100

Interpretação e direção de cena / Fotografia: Alex Pimentel

Estes depoimentos demonstram a relevância, para os acreanos, dos cursos trazidos pelo CANNE ao nosso Estado há 8 anos. Em parceria com o governo do Acre, por meio da Fundação Elias Mansour, já recebemos cursos de direção de arte, de figurino, de fotografia em alta definição, de produção executiva, de roteiro, entre outras ações de formação.

Esperamos que em 2017 outros cursos com a mesma qualidade e profissionalismo sejam ofertados pela Fundação Joaquim Nabuco/CANNE em Rio Branco.

PACHAMAMA oferece Oficina de Montagem, com Renato Vallone

valllone

Renato Vallone

A oficina irá instrumentar seus participantes com as principais técnicas de montagem e pós-produção utilizadas na TV e VOD, de forma que os cursandos possam editar e finalizar seus próprios filmes. Desenvolver a capacidade de realizar a montagem e finalização de imagens de produções audiovisuais através de embasamento teórico, e da produção de atividades práticas, promovendo a atuação dos participantes com a área profissional, preparando-o para as mais novas exigências do mercado audiovisual.

Abordará, entre outros, o uso de softwares de edição como Final Cut Pro e Adobe Premiere Pro, o estudo provocativo de linguagens e novas narrativas, o papel do editor/montador, uso de equipamento e softwares de montagem e finalização de filmes: Interface, Configuração, Importando, Timeline, Edição e Exportando, as subdivisões do processo edição: montagem do filme em ilha de edição, inclusão de efeitos especiais, inclusão de sonoplastia e efeitos sonoros, tratamento de imagens, inclusão da trilha sonora, inserção de caracteres: créditos iniciais, finais e demais itens, Neo-Montagem e Live Cinema.

A oficina é gratuita e direcionada a profissionais na área do audiovisual e pessoas iniciantes na área e interessadas na temática da oficina. Tem carga horária de 6h e acontecerá no período de 21 a 23, no horário de 9h às 11, na Sesc Centro.

A seleção dos inscritos será definida pela ordem de inscrição. Os demais inscritos formarão cadastro reserva.

Serviço:

Ação: Oficina de Montagem, com Renato Vallone

Data: 21 a 23 de novembro de 2016

Horário: 09h às 11h

Local: Sesc Centro  

Nº de vagas: 20

INSCRIÇÕES ENCERRADAS

Renato Vallone é um dos mais inventivos montadores do cinema brasileiro. Oriundo da periferia do Rio de Janeiro, deixa sua marca autoral em trabalhos de cinema e vídeo. Montou filmes como Campo de Jogo (FESTRIO 2014; 58º BFI London Film Festival 2014; Documentary Fortnight do MoMA – NY 2015…) e Cinema Novo, ganhador do prêmio L’Oeil D’Or para melhor documentário no Festival de Cannes  – 2016 . Ainda com Cinema Novo recebeu o prêmio de montagem no SANFIC Festival Internacional de Cine – Chile. Renato também é diretor e fotógrafo, além de designer de som. Atualmente está como diretor de fotografia e montador da serie NOKUN TXAI realizada no Estado do Acre.

Festival Pachamama oferece Oficina de Fotografia para Cinema, com Pedro Von Krüger

Alvará

Pedro von Krüger

Dividida em cinco módulos, a oficina abordará aspectos técnicos e práticos da direção de fotografia, incluindo história da imagem, percepção visual, enquadramento e composição, câmeras e lentes, movimentos de câmera, filmagem quadro a quadro, macro e high speed, iluminação (qualidade, intensidade, temperatura e correção de cor), análise de roteiro, concepção visual, desenho e mapa de luz, relação do diretor de fotografia com o filme, entre outro. No quinto módulo, os participantes aprenderão na prática a lidar com estúdio, refletores e câmeras e a iluminar uma cena.

A oficina é gratuita e direcionada a profissionais na área do audiovisual e para pessoas interessadas e com trabalhos relacionados à temática. 

A oficina tem carga horária de 15h e acontecerá no período de 21 a 25, no horário de 9h às 12, na filmoteca da Biblioteca pública.

A seleção dos inscritos será definida pela ordem de inscrição. Os demais inscritos formarão cadastro reserva.

Serviço:

 Ação: Oficina de Fotografia para Cinema

Data: de 21 a 25 de novembro de 2016

Horário: 09h às 12h

Local: Filmoteca da Biblioteca Pública

Nº de vagas: 20

INSCRIÇÕES ENCERRADAS

Sobre Pedro von Krüger

Pedro von Krüger nasceu em Salvador (BA) e em 1997 chegou ao Rio de Janeiro, onde se formou em Cinema pela UNESA no ano de 2001. Iniciou sua carreira trabalhando como assistente de direção em vários DVDs musicais. No ano de 2003, ingressou no departamento de fotografia como assistente de câmera e trabalhou em diversos longas metragens, entre eles “Cazuza, o tempo não para”, Tropa de Elite 1 e 2, “Baixio das Bestas”, “À Deriva”, , “Uma Professora Muito Maluquinha”, “Raul, o início, o fim e o meio” entre outros.

Como diretor, realizou os longas “Pulmão da Arquibancada”, “Estrada de Sonhos” e “Memória em Verde e Rosa” além de diversos clipes e DVDs musicais. 2016 – Trabalho Escravo – Série para HBO – Diretor de Fotografia e Câmera – Dir. Bruno Barreto e Marcelo Santiago – Nokun Txai – Série Documental – Diretor de Fotografia – Dir. Sérgio de Carvalho, entre muitos outros trabalhos de destaque nacional.

Entradas Mais Antigas Anteriores