5ª Mostra Audiovisual Usina de Olhares

Por pouco, a história da Mostra Audiovisual Usina de Olhares não se confunde com a da própria Usina de Arte João Donato. Isso porque sua primeira edição aconteceu no ano de 2008, quando a instituição contava com apenas dois anos de existência. De lá pra cá, dez anos se passaram e muita coisa aconteceu.
A Usina de Arte consagrou-se como berço de novos artistas e aconchego dos que por aqui já faziam arte desde o século passado.
convite 5 mostra usina de olhares
Nesta edição da Mostra, será lançado o curta-metragem “O que era e não é mais”, produção que resultou de um projeto integrado das turmas de Teatro, Produção de Áudio e Vídeo, Artes Visuais e Documentação Musical ofertadas pela manhã na Usina de Arte entre 2017 e 2018 no âmbito do MedioTec, programa mantido pelo governo federal com o apoio do governo do Acre por meio do Instituto Dom Moacyr.
O roteiro do filme foi construído de forma coletiva e colaborativa entre alunos e mediadores e foi baseado no livro de crônicas Suindara, da escritora acreana Leila Jalul. Personagens saídas de várias narrativas se entrelaçam, nos idos de décadas passadas, de um século passado… gentes e paisagens, sentimentos e acontecimentos se misturam e se confundem com a própria identidade da cidade de Rio Branco.    
“O que era não é mais” traz uma Rio Branco antiga no sobrevoo das memórias da personagem Leila, menina, moça, mulher que vive aventuras, rotinas e histórias nas ruas, rios, barrancos, praças e cinemas entre as décadas de 1950 e 1970. Como disse Juarez Nogueira, “histórias que poderiam ser as histórias da gente” revividas em  “memórias rasantes de afeto.”

Sesc realiza oficina de interpretação na Usina de Arte

Para quem tem interesse em desenvolver, aprimorar ou simplesmente exercitar suas técnicas de interpretação, o Serviço Social do Comércio-SESC promove, de 27 de agosto a 6 de setembro, a Oficina de Interpretação para Cinema e Vídeo, das 8h às 12h, na Usina de Arte João Donato.

Com 25 vagas gratuitas, a oficina será ministrada pela dupla Débora Almeida e Ney Ricardo, cuja proposta é apresentar aos participantes do processo, sejam ou não atores, ferramentas básicas que possam auxiliar no trabalho com o audiovisual.

Débora e Ricardo compartilham suas experiências, ela como atriz e preparadora de elenco e ele como diretor de cinema, de modo a proporcionar uma introdução ao universo cinematográfico a partir de um processo de observação, experimentação e criação, aliando exercícios práticos de interpretação e atuação, jogos de cena, análise e leituras de cenas e filmes.

Aos interessados, basta se dirigir à unidade do Sesc-Centro (ao lado da catedral) ou à Usina de Arte João Donato, onde as fichas de inscrição se encontram à disposição do público. Mais informações pelo telefone 3302-1053.

Com informações da Fecomércio.

Usina de Arte apresenta o espetáculo “Eu Água”, montagem coletiva dos alunos do MedioTec

Imagine um rio que sonha. Enquanto segue seu curso, desviando de obstáculos, lapidando montanhas, distribuindo alguns braços pelo caminho e dando, a si mesmo, novos sentidos, esse rio sonha em ser mar. Alguns vão além e sonham oceano, seguindo seu fluxo até algo mais se tornar, assim como nós, seres humanos, que seguimos com a vida até não mais aqui estar.

Foi seguindo nesse fluxo de sonhos e de vidas, de realidades e de imaginação, que nasceu Eu Água, um espetáculo de teatro de múltiplas linguagens que mergulha fundo nos sentidos, na simbologia e na problemática relacionada à água.

Fruto de um trabalho coletivo dos alunos dos cursos técnicos da Usina de Arte, Eu Água tem direção de Cláudia Toledo e dramaturgia escrita pela atriz Ágata Lima, com colaboração dos alunos do curso técnico de Teatro.

O texto foi construído com referência na obra de artistas brasileiros contemporâneos como Marisa Monte, Caetano Veloso, Maria Bethânia e o poeta Manoel de Barros, cujo poema “O menino que carregava água na peneira” deu à dramaturgia maior poeticidade aos diálogos e às imagens criadas.

Eu Água trata de um tema que está sempre em discussão e nunca deixa de ser atual. Falar de água é falar de vida e de sobrevivência. Por isso, o espetáculo, ao mesmo tempo que convida o público a fazer uma imersão poética nas lembranças de um garoto que tem sua história de vida conectada ao processo de transformação de um rio seguindo seu curso, também provoca uma reflexão acerca do desenvolvimento sustentável e do uso consciente das águas.

O espetáculo serve como vitrine para as habilidades artísticas dos alunos da instituição e é o resultado da prática profissional dos cursos técnicos, ofertados pelo Instituto Dom Moacyr no âmbito do Pronatec/Mediotec.

Serviço:

O quê? Espetáculo Eu Água

Quando: dias 15, 16 e 17 de agosto de 2018

Horário: às 16h (quarta, quinta e sexta)

às 19h (sexta)

Onde: Teatro da Usina de Arte João Donato

Entrada gratuita

Classificação livre

Informações: 3229-6892

Alunos da Usina de Arte criam série independente

Alunos do curso técnico em Produção de Áudio e Vídeo da Usina de Arte, turma da manhã, criam seriado de ficção. A produção, que ainda está em seu início, resultará no trabalho final do módulo III do curso.

Nesta etapa de estudos, o foco são as competências voltadas à pesquisas relacionadas a temáticas sociais e culturais para a execução de um projeto audiovisual, passando pela escolha do tema, roteirização, cronograma de ações, identificação de locações, produção e pós-produção.

Os alunos, a partir de suas experiências de vida, foram desafiados a escrever roteiros. Democraticamente, fora escolhida a melhor proposta de roteiro. As ideias afins de outras propostas menos votadas foram reunidas e os roteiristas sentaram-se e colocaram a mão na massa para criar a história final.

O mediador Ítalo Rocha lembra que passou pelo mesmo processo, quando era aluno do curso técnico da Usina. Para entrar bem no mercado, antecipou etapas do perfil profissional e passou a produzir conteúdos audiovisuais enquanto cursava Cinema. Agora aplica a mesma estratégia para seus alunos, que já estão produzindo uma série de ficção meses antes de concluírem o curso técnico.

O aluno Douglas Cristofher, um dos roteiristas, diz que a escolha do tema foi em solidariedade a uma a colega. Já o Diretor Jeferson Xavier Gomes só pensam em se profissionalizar e entrar no mercado.

 

Mostra – Sesc Amazônia das Artes

SESC – Programação Amazônia das Artes 2017

A 10ª edição da Mostra Sesc Amazônia das Artes acontece em Rio Branco de 06 a 16 de maio. Dez dias de teatro, cinema, literatura e música.

Há dez anos, o sonho da iniciativa era fomentar a circulação e produção artística da Amazônia legal. Hoje, o Sesc Amazônia das Artes é um sonho realizado, se firmando como um dos principais programas de circulação da produção artística brasileira. Confira acima toda a programação, que tem entrada franca.

Figurinos em debate: reflexões sobre a criação, concepção e produção de figurinos nos grupos de teatro do Acre

Nesta quarta-feira, 29, A Usina de Arte, por meio do Núcleo de Artes Cênicas, realiza um encontro sobre figurinos. A atividade foi idealizada e organizada pela atriz e professora de teatro Claudia Toledo, que ministrará o curso de Formação Inicial e Continuada Figurinista na Usina, ofertado pelo governo do Acre por meio do Instituto Dom Moacyr e Fundação Elias Mansour.

A ideia é promover um debate sobre os processos de criação e produção dos figurinos dos grupos de teatro de Rio Branco e instigar uma reflexão sobre as dificuldades enfrentadas diante da falta de profissionais com formação nessa área.

IMG-20170329-WA0001

O trabalho do figurinista é interpretar a proposta do roteiro, seja de uma peça de teatro, de um filme, show etc e, partir dela, pesquisar, idealizar e criar, ou mesmo recriar, peças (roupas, adereços e acessórios) que irão caracterizar os personagens para que haja harmonia de sentido e significação com o todo da obra.

A profissão de figurinista no Brasil ainda não tem o reconhecimento que merece, muitos que atuam são autodidatas e aprendem, na prática, as habilidades da profissão, visto que há poucos cursos voltados para a formação específica desses profissionais. Em Rio Branco, raramente acontecem ações de formação nessa área. No Acre, essa carência é enorme, por isso, a oferta do curso FIC Figurinista na Usina de Arte representa uma rara oportunidade de capacitação e atualização profissional na área de figurino.

A atividade é destinada aos alunos do curso Figurinista, a estudantes de Artes Cênicas, profissionais do teatro, cinema, dança, manifestações populares e demais interessados no tema.

O debate terá início às 18h30, no teatro da Usina. O evento traz ainda uma exposição de figurinos de personagens icônicos de espetáculos conhecidos do público acreano.

Claudia Toledo ressalta que “o evento é uma oportunidade para os alunos do curso conhecerem sobre os processos de concepção e criação dos figurinos e sobre o trabalho dos grupos teatrais da cidade.”

Figurinos em Debate terá a participação dos grupos: Cia Visse e Versa, Cia Garatuja, GPT, Aguadeiro, Cia Expressão e Macaco Prego da Macaca. 

Exibição do curta-metragem Coisa-Malu na escola Francisco Augusto Bacurau

Aconteceu hoje à tarde, na escola municipal Francisco Augusto Bacurau, a exibição do curta-metragem Coisa-Malu.

Quando as luzes se apagaram, as crianças não faziam ideia da viagem que iriam fazer durante os próximos 25 minutos… A tela logo se encheu de cores, música, dança e seres fantásticos.  

WP_20170324_14_12_17_Pro

Ao fim da exibição, Tobias Rezende, um dos realizadores do filme, fez um bate papo com as crianças, que tinham entre 6 e 7 anos. Elas mais falaram sobre o que gostaram e o que lhes encantou, do que mesmo perguntaram. Entre as poucas perguntas que fizeram, insistiram na curiosidade em torno da transformação de Malu em uma mosca, em uma coisa, como disseram.

WP_20170324_14_34_09_Pro (2)

Malu também sente curiosidade em saber quem é ela, quando instigada pelo personagem Pífano a definir que “coisa” ela é. Enfim, conclui que pode ser muitas coisas, mas que principalmente ela é a coisa-malu.

Segundo o dicionário Aurélio, coisa é “tudo aquilo que não sabemos a resposta, ou que esta seja demasiada complicada ou inibidora de responder a outrem.” Então é isso. Isso é Malu. Tobias Rezende explica que o filme gira em torno do questionamento “que coisa eu sou?”, por isso o nome do curta-metragem ser Coisa-Malu.

E para encerrar a aventura das crianças, Tobias presenteou cada uma delas um marca texto e um cartão postal personalizados com a arte de Coisa-Malu.

WP_20170324_14_40_50_Pro

Esperamos que este seja apenas o começo da história da Usina de Arte com a escola Francisco Augusto Bacurau, que nos recebeu tão bem e muito agradeceu a visita em forma de cinema.

WP_20170324_14_43_01_Pro

Entradas Mais Antigas Anteriores