Alunos da Usina realizam intervenção artística

Há cinco anos, o centro da cidade de Rio Branco foi palco de uma intervenção artística bastante inusitada. Intitulada “Crisálidas”, a exposição ao ar livre mexeu com o público que, curioso, interagiu com as obras espalhadas pelas praças e pontos turísticos da cidade. Com uma proposta semelhante – envolver a população e mexer com as sensações dos cidadãos a caminho do trabalho, da escola, ou simplesmente passeando pela capital – os alunos do curso técnico de Artes Visuais da Usina de Arte João Donato convidam a todos para prestigiar a intervenção “Quimeras”, nesta sexta-feira, 25 de maio, a partir das 8 horas na Praça da Revolução.

“Decidi fazer algo diferente dessa vez: ficou na mão dos alunos a escolha temática da exposição” diz Marcelo Zuza, mediador responsável por uma das turmas do curso de Artes Visuais. “Então eles tiveram a liberdade de trabalhar as próprias idéias, de acordo com aquilo que era pensado individualmente, mas desenvolvendo as obras coletivamente. Daí o título escolhido.” Além da liberdade criativa, o mediador diz que os alunos estão tendo uma participação especial na produção. “Por conta da aproximação temática com ‘Crisálida’, resolvi convidar os alunos que desenvolveram aquela primeira intervenção, o que dá uma característica de intercâmbio cultural entre as gerações de alunos do curso de Artes Visuais”.

Segundo o dicionário Michaelis da Língua Portuguesa, “quimeras” significa, dentre outras coisas, qualquer animal fantástico representado pela composição de partes de animais diferentes; uma criação da imaginação, fantasia geralmente impossível, irrealizável; devaneio, sonho. A Usina de Arte existe por conta dos sonhos. Não só daqueles que, como Marcelo, acreditam na capacidade dos alunos, mas dos sonhos destes alunos que estão dando seus últimos passos para concluírem o ensino médio, aptos para o mercado de trabalho como profissionais técnicos na área das artes. Não esqueça: sexta-feira, a partir das 8 horas, na praça Plácido de Castro. Contamos com sua presença.

Alunos Mediotec da Usina apresentam peça de Millôr Fernandes

Hoje às 16 horas, aqui na nossa Usina de Arte, os alunos do curso Técnico de Teatro/MedioTec, da professora Claudia Toledo, apresentarão o espetáculo Liberdade liberdade.
O texto, uma adaptação da obra homônima de Millôr Fernandes, escrito em 1965, logo após o golpe militar, traz frases, sentenças e retrospectiva na história abordando a liberdade: poesias de Castro Alves, discursos da Revolução Francesa e sobre a escravidão, declaração dos direitos humanos, julgamento de Sócrates, fragmentos de textos de Bertold Brecht, dramaturgo alemão.
A professora explica que “enxugamos o espetáculo em 50 minutos, pois eram quase 2 horas, mas sem deixar perder a essência. Nosso público são alunos das escolas públicas.” Hoje será a sétima turma a assistir ao espetáculo.
Convidamos toda a comunidade para esta oportunidade ímpar de acompanhar um espetáculo tão rico em influências e com a assinatura de um dos maiores humoristas e tradutores de Shakespeare. Millôr Fernandes foi um dos mais completos artistas do Brasil. Contribuiu em inúmeras artes e é conhecido pelo público jovem por ser um bom frasista.
A professora ressalta: “de certa forma, o texto aborda o momento histórico presente. Dá pra fazer uma comparação bem legal do cenário político daquela época e de hoje, e outras épocas também, sobretudo a postura diante dos governantes”.

Chato – Indivíduo que tem mais interesse em nós do que nós temos nele.
Millôr Fernandes (Verbete do “dicionário” millornês)

Liberdade à mostra!

Os tempos são modernos, mas há honrada tradição:
A luta pela liberdade é chama viva em todo coração
Todos querem ser livres, mas temem abrir mão:
A liberdade d’outros não mais lhe pertencerão!
Jeronymo Artur

Hoje é sexta-feira, dia de rememorar os últimos acontecimentos aqui na Usina de Arte João Donato. Após fazer um balanço geral com os resultados das duas últimas semanas, nossa equipe não poderia estar mais feliz e orgulhosa. É perceptível o quanto os alunos evoluíram como artistas e, principalmente, como grupo. Ao tempo que, em alguns meses, teremos encerrado o ano letivo, ficamos duplamente emocionados:

Primeiro porque a Mostra Coletiva, realizada entre os dias 25 e 27 de abril últimos, marcou o encerramento do Módulo III dos Cursos Técnicos – mantidos pelo Instituto Dom Moacyr na Usina de Arte por meio do Mediotec, programa do Governo Federal financiado pelo PRONATEC. E, por encerramento, subtende-se o findar de mais uma etapa, a penúltima antes de nos despedirmos dessa galera que está, há quase um ano, dividindo o dia-a-dia conosco.

No entanto, nos mantemos resilientes: parafraseando o ditado, sabemos que filhos são criados para o mundo. E todo aquele que se cria entre as cercas desta antiga usina de castanha, se daqui não sai artista, já sabe como fazer arte. E a equipe da Usina de Arte não poderia se sentir mais honrada, por saber que, apesar da saudade que virá com a despedida, entregará à sociedade uma nova geração de artistas.

Deixamos aqui um breve registro do que aconteceu na 1ª Mostra Coletiva da Usina, nossa homenagem a equipe de estagiários, alunos e professores dos cursos técnicos de Fotografia, Artes Visuais, Audiovisual, Teatro e Música – cuja apresentação virou trilha sonora. Além disso, você pode conferir, na íntegra, a peça “Liberdade, Liberdade”, adaptação do texto de Millôr Fernandes, encenada pela turma de teatro da tarde.

Seguimos planejando algumas novidades para o próximo semestre, pensando sobre alguns projetos que podem sair do papel nos próximos meses e mantendo nossas linhas de comunicação sempre abertas para receber dúvidas, críticas ou caso tenham alguma sugestão.