Oficina com a Jornalista e Produtora Cultural Suzy Capó e Exibição do Documentário sobre Cláudia Wonder

Cláudia Wonder 03

A Associação de Homossexuais do Acre (Ahac), em parceria com o Cineclube Cocar, fará a exibição do documentário “Meu Amigo Cláudia”, com direção de Dácio Pinheiro, sobre a trajetória da transexual Cláudia Wonder, ícone da cultura gay de São Paulo. Será nesta quinta-feira, 29, às 19 horas, na Usina de Arte. Gratuita, a programação faz parte da 8ª Semana da Diversidade.

A obra é uma colagem de depoimentos da própria Cláudia com auxílio de recursos como filmes antigos, shows em programas de TV, depoimentos de contemporâneos e recortes de jornal. Por meio de sua vida, assistimos ao fervilhante underground paulistano, à cidade perseguir gays e travestis, ao surgimento da Aids e acompanhamos as mudanças políticas por quais o país passou nos últimos 30 anos.

“Claudia Wonder foi, não, Claudia Wonder é a história dessa cidade [São Paulo]”, comenta uma das personalidades mais importantes do teatro brasileiro, o Zé Celso. Ainda em relação ao documentário, o cineclubista e produtor cultural Fabrício Machado diz que “é hipnotizante, resgata imagens e histórias de uma sociedade cruel e homofóbica”.Cláudia Wonder
Foi vocalista da banda Jardim das Delícias e Truque Sujo e ainda realizou diversas performances em clubes noturnos. Além disso, Cláudia ainda escrevia e atuava, tendo participado de peças de teatro e filmes como “O marginal” (1974) e “A próxima vítima” (1983). Durante sua vida, destacou-se também como ativista pelos direitos LGBT. Aos 55 anos, morreu em novembro do ano passado.
Suzy Capó 01

Oficina
Em seguida, a jornalista e produtora cultural Suzy Capó, criadora da produtora Festival Filmes (www.festivalfilmes.com.br), realizará uma oficina na Usina de Arte sobre mercado e distribuição de filmes LGBT. Capó é a mulher que abriu os olhos da mídia e da indústria audiovisual brasileira para a temática da diversidade das manifestações da sexualidade, inserindo no país uma abordagem intelectual e criativa sobre temas até então tabus, como a homossexualidade e demais questões relacionadas aos gêneros e práticas sexuais.

Esta ação faz parte do projeto do Núcleo de Cinema e Vídeo da Usina de Arte em parceria com a VIII Semana da Diversidade.

Resumo da oficina: A produção brasileira com temática LGBT será discutida a partir da exibição documentário MEU AMIGO CLAUDIA, de Dácio Pinheiro. O filme narra a trajetória da performer e ativista transexual Cláudia Wonder do fim dos anos 70 até 2009.

No campo da distribuição será abordado a inserção de filmes de baixo orçamento, mais especificamente LGBT, no mercado nacional. Será oferecido também um panorama mundial do cinema LGBT e formas alternativas de distribuição desses filmes no Brasil.

Finalmente a partir dos temas levantos no documentário serão debatidos com os participantes questões como: – A representação da transexualidade no cinema, – A arte/cultura como instrumento de ativismo político, – A comparação do momento político das décadas de 80/90 com o Brasil contemporâneo.

Oficina Pintando com Giz de Cera

A oficina – Pintando com Giz de Cera tem como objetivo realizar experimentações com giz de cera, um material que é mais conhecido no meio escolar, embora muito presente em nosso cotidiano, é muito pouco explorado pelos artistas. O giz de cera permite efeitos variados muitas vezes até desconhecido de muitos artistas, com resultados muitas vezes semelhantes ao pastel oleoso. A finalidade principal de sua utilização não é substituição de material, mas sim explorar as possibilidades que esse material tão pouco explorado pelos artistas pode oferecer.

Esta ação faz parte do projeto artístico e cultural da Usina de Arte João Donato e Teatro Plácido de Castro.

A realização e da FEM, através da Usina de Arte João Donato, por meio do projeto Artístico Cultural da Usina de Arte e Teatro Plácido de Castro, com financiamento do MinC e patrocínio Cultural das empresas Etam, JM construtora, Construmil, Fidens, Construtora cidade e Camter.


Oficina: Pintando com Giz de Cera

Oficineiro: Ivan Campos

Dias: de 03 a 07 de dezembro de 2012

Horário: das 19h00 às 22h00

Local: Usina de Arte

Público Alvo: Artistas Plásticos, estudantes de artes visuais e demais interessados

Faixa Etária: a partir de 18 anos

Número de Vagas: 16 vagas

Inscrições encerradas!

“Trajetórias – Artes Visuais” apresenta Ivan Campos na Usina de Arte

O programa “Trajetórias – Artes Visuais” apresentará uma exposição do artista plástico Ivan Campos, com vernissage marcado para a próxima terça-feira, 27, às 18h30, na Galeria Chico Silva, na Usina de Arte. O objetivo é aproximar a comunidade da história dos artistas visuais do Estado, além de criar espaços de interação e troca de saberes, dando visibilidade a produção local.

“Todas as exposições serão acompanhadas de projetos educativos. Artistas, alunos, professores e toda a comunidade poderão vivenciar a prática nas artes visuais por meio de oficinas, palestras, debates, conversas com os artistas ou visitas guiadas”, explica Carol Di Deus, diretora da instituição.

A exposição estará aberta ao público de 28 de novembro a 31 de dezembro, das 9 às 11 horas e das 15 às 19 horas. A ação, realizada pela Fundação Elias Mansour (FEM), faz parte do projeto Artístico e Cultural da Usina de Arte e Teatro Plácido de Castro. A entrada é franca.

Sobre o artista – Ivan Campos Moreira, nasceu em Rio Banco (AC), no dia 14 de março de 1967. Desde os oito anos de idade, criava os desenhos e pinturas para os bordados de sua mãe, a maior incentivadora do artista. Recebeu grande influência das histórias em quadrinhos, desenvolvendo sua arte de forma autodidata.

Ivan criou um estilo que ele mesmo prefere não definir, mas que, para muitos apreciadores das artes plásticas, interage com o realismo, surrealismo e expressionismo de forma muito particular, quase abstrata. As telas, em sua maioria, mergulham na temática amazônica.

Muitos de suas obras estão nas mãos de compradores nos Estados Unidos, Japão, Alemanha, Itália, Argentina e no restante do Brasil. Duas, inclusive, foram selecionadas para o “Projéteis de Arte Contemporânea”, que contou com a participação de artistas de todos os estados e regiões do país.

Serviço: Trajetórias – Artes Visuais; Ivan Campos – 28/11 a 31/12 – Galeria Chico da Silva na Usina de Arte – Visitação aberta ao público – Contato: 3229-6229 – Entrada franca

Por André Gonzaga (Assessoria FEM)

Fonte: http://www.agencia.ac.gov.br/index.php/noticias/cultura/21669-trajetorias–artes-visuais-apresenta-ivan-campos-na-usina-de-arte.html

Estudantes da rede pública participam de aula inaugural dos cursos do Pronatec na Usina de Arte

Imagem

 

Com esforço do Instituto Dom Moacyr (IDM) e da Fundação Elias Mansour (FEM), o governo do Acre ampliou a oferta de cursos profissionalizantes para os alunos da rede pública de ensino, por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), nas áreas de artes dramáticas, artes visuais, áudio e vídeo, e ainda composição e arranjo.

A aula inaugural ocorreu na última quarta-feira, 7, na Usina de Arte. Os alunos estudarão cinco módulos diferentes, com carga horária total de 900 horas, que abrangem conteúdos específicos e integrados – quando há intercâmbio entre as artes -, sendo que a última etapa corresponde ao estágio supervisionado. A previsão de conclusão do curso é para dezembro de 2013.

Imagem

 

“É uma oportunidade única e, sem dúvidas, um momento histórico na formação de novos agentes de cultura para o Acre. Esses estudantes sairão daqui qualificados para o mercado de trabalho, com o conhecimento técnico e a capacidade de batalhar pela sua renda, e ainda terão a arte como aliada, sairão com uma sensibilidade diferente, verdadeiros artistas”, comenta Francis Mary, presidente da FEM.

Como funciona

Foram disponibilizadas 120 vagas, totalmente gratuitas, com aulas de segunda-feira a sexta-feira. Desse total, cerca de apenas 15% ainda não foram preenchidas. Os pais dos estudantes menores de 18 anos da rede pública de ensino devem procurar a Usina de Arte portando seus documentos pessoais, comprovante de residência, histórico escolar do filho e duas fotos 3×4. Mais informações pelo telefone 3229-6892 (falar com Lane).

No caso de desistência por mudança de cidade, problemas de saúde ou admissão em emprego, o aluno poderá, posteriormente, inscrever-se em outro curso. Caso não ocorra essa justificativa, uma nova matrícula no Pronatec ficará bloqueada pelo período de três anos. “Por isso é importante que vocês participem e levem muito a sério, com disciplina e pontualidade”, ressalta o presidente do IDM, Marco Brandão.

Por André Gonzaga (Assessoria FEM)

Fonte: http://www.agencia.ac.gov.br/index.php/noticias/educacao/21496-estudantes-da-rede-publica-participam-de-aula-inaugural-dos-cursos-do-pronatec-na-usina-de-arte.html

USINA DE SABERES

Neste mês de novembro a Usina de Arte João Donato realizará uma série de oficinas livres na intenção de aproximar experiências e criar espaços de interação e troca de saberes nas diferentes linguagens artístico-culturais. As oficinas são abertas a toda comunidade e profissionais da área de arte e cultura. Os interessados deverão realizar sua inscrição através dos links abaixo.
Esta ação faz parte do Projeto Artístico e Cultural da Usina de Arte João Donato e Teatro Plácido de Castro. É uma realização do Governo do Povo do Acre através da Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour.

OFICINA DE TRILHA SONORA PARA GAMES

Oficineiro: Renan Ventura

Dias: de 12 a 16 de novembro de 2012

Horário: das 19h00 às 21h00

Local: Usina de Arte

Sinopse: A oficina de Trilha Sonora para Games tem como objetivo introduzir o aluno ao universo dos jogos eletrônicos focando no processo de produção de um jogo, as principais técnicas e estruturas de composição de trilhas sonoras. Através de exercícios teóricos e práticos a oficina pretende demonstrar a função da música e dos sons nos jogos eletrônicos.

Renan Medeiros é um jovem músico que tem se dedicado a pesquisa de composição e arranjo de músicas para Games, é integrante do VGMus, uma orquestra brasiliense de músicos que arranja e executa músicas de jogos eletrônicos.

Público Alvo:  Músicos, Realizadores Audiovisuais, estudantes de música, cinema e vídeo e demais interessados no estudo desta área.

Faixa Etária: a partir de 18 anos com conhecimentos na área de música, jogos eletrônicos ou cinema e vídeo.

Número de Vagas: 16 vagas (O preenchimento do formulário não garante a vaga na oficina, a positivação se dará através de mensagem encaminhada para o seu e-mail. Fique atento a sua caixa de mensagens).

OFICINA DE ILUSTRAÇÃO – INTRODUÇÃO AO UNIVERSO DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS | PRODUÇÃO DE REVISTA

Oficineiros: Fernando França e Branco Medeiros

Dias: de 12 a 30 de novembro de 2012

Horário: das 18h30 às 22h00

Local: Usina de Arte

Sinopse: A oficina pretende trabalhar as etapas de produção de revistas em quadrinhos envolvendo técnicas para a criação de roteiros, ilustração e práticas de edição digital e finalização de revista.

A oficina será ministrada pelo artista plástico e mestre em literatura Fernando França que abordará os processos de criação de roteiros e ilustração e pelo artista visual e designer Branco Medeiros que focara as ferramentas para ilustração e design e as práticas de edição digital.

Público Alvo:  Profissionais e estudantes de artes visuais, design, comunicação, letras, história e demais interessados no tema.

Faixa Etária: a partir de 18 anos

Número de Vagas: 16 vagas (O preenchimento do formulário não garante a vaga na oficina, a positivação se dará através de mensagem encaminhada para o seu e-mail. Fique atento a sua caixa de mensagens).

OFICINA DE VÍDEO DOCUMENTÁRIO – UM CINEASTA E SEUS DOCUMENTÁRIOS

Oficineiros: Rogério Corrêa

Dias: de 19 a 23 de novembro de 2012

Horário: das 18h30 às 22h00

Local: Biblioteca da Floresta

Inscrições gratuitas através do BLOG: usinadeolhares.wordpress.com

Sinopse: A idéia é aproximar o público do fazer cinematográfico através de palestras e debates com o diretor e produtor Rogério Corrêa. O foco do curso é a produção de documentários, colocando em discussão as questões que diferenciam a linguagem documental e a ficcional, inclusive debatendo sobre um filme que utiliza as duas linguagens (Tem Coca-Cola no Vatapá). A oficina também abordará a história do cinema brasileiro e mundial traçando paralelos com os documentários exibidos durante a oficina.

Rogério Corrêa é diretor e produtor, formado em cinema pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, fez carreira como curta-metragista desde a década de 70, com filmes como Roças (1975) e Negra noite (1986). Distanciou-se do cinema em 1987, e voltou a filmar em 2002, com o curta Na garupa de Deus (2002). Estreou em longa com No olho da rua (2010). Rogério reúne em seu currículo uma filmografia de mais de 30 títulos e experiência na docência de cursos e oficinas na área.

Público Alvo:  Alunos e professores de cinema e vídeo, realizadores independentes, cineclubistas e comunidade em geral interessada no tema.

Número de Vagas: 16 vagas (O preenchimento do formulário não garante a vaga na oficina, a positivação se dará através de mensagem encaminhada para o seu e-mail. Fique atento a sua caixa de mensagens).

 

FAÇA SUA INSCRIÇÃO NAS OFICINAS DE NOVEMBRO CLICANDO NO LINK:

1 . OFICINA DE TRILHA SONORA PARA GAMES COM RENAN MEDEIROS

LINK PARA INSCRIÇÃO: https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?fromEmail=true&formkey=dDJMb2d5TDZIaFdDWnQtM2J3QUtPcWc6MQ

2 . OFICINA DE ILUSTRAÇÃO – INTRODUÇÃO AO UNIVERSO DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS | PRODUÇÃO DE REVISTA

LINK PARA INSCRIÇÃO: https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?fromEmail=true&formkey=dFloaThkbGpfMEJzVEk1UVp5RC1feGc6MQ

3. OFICINA DE VÍDEO DOCUMENTÁRIO – UM CINEASTA E SEUS DOCUMENTÁRIOS

LINK PARA INSCRIÇÃO: https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?fromEmail=true&formkey=dElLM3U4UEloMVRlcDZkaEFCYnZUT1E6MQ