Cineclube Aquiry está de volta…

O cineclube Aquiry retomará as atividades em julho.

Com uma programação semanal elaborada em ciclos temáticos, o cineclube Aquiry inicia as sessões do segundo semestre de 2009 debatendo o seguinte tema: Sistemas Opressores. O tema e a programação dos próximos ciclos serão pensados e discutidos nas sessões envolvendo todos os participantes do cineclube Aquiry.

Programação de julho

Ciclo Sistemas Opressores

Dia 04 de julho – Sábado 18:00h – Usina de Arte João Donato

El laberinto del Fauno (Labirinto do Fauno), de Guillermo del Toro (2006)

Sinopse: Uma garota e sua mãe se mudam para uma região da Espanha onde ainda há combates da Guerra Civil. No jardim da mansão em que mora a garota encontra um labirinto, que a leva a um mundo de fantasia. Dirigido por Guillermo del Toro e com Sergi López, Federico Luppi e Maribel Verdú no elenco. Vencedor de 3 Oscars.

Dia 11 de julho – Sábado 18:00h – Usina de Arte João Donato

Batismo de Sangue, de Helvécio Ratton (2007).

Sinopse: Um convento dominicano de São Paulo decide ajudar um grupo guerrilheiro, em plena ditadura militar brasileira. Dirigido por Helvécio Ratton (Menino Maluquinho) e com Caio Blat, Daniel de Oliveira, Ângelo Antônio, Marcélia Cartaxo e Cássio Gabus Mendes no elenco.

Dia 18 de julho – Sábado 18:00h – Usina de Arte João Donato

The Last King of Scotland (O Último Rei da Escócia), de Kevin Macdonald (2006).

Sinopse: Um jovem médico escocês é convidado por Idi Amin, um dos mais terríveis ditadores da África, para ser seu médico particular. Com Forest Whitaker e Gillian Anderson. Vencedor do Oscar de Melhor Ator.

Dia 25 de julho – Sábado 18:00h – Usina de Arte João Donato

Persepolis (Persépolis), de Vincent Paronnaud e Marjane Satrapi (2007)

Sinopse: Uma garota sonha em se tornar uma profetisa para salvar o mundo. Mas, quando o novo regime no Irã a obriga a usar véu, ela decide se tornar uma revolucionária. Recebeu uma indicação ao Oscar.

Quando: Todo sábado de julho, às 18 horas
Quanto: Entrada franca
Onde: Cineclube Aquiry na Usina de Arte João Donato (Av. das Acácias, nº  01 – Distrito Industrial – Rio Branco

Informações pelo telefone: 3229 6892 com Wander.

Anúncios

Produtores realizam I Fórum de Audiovisual do Acre


Movimento de audiovisual apresenta amadurecimento e organização no debate sobre políticas públicas.

Visando discutir e apontar caminhos para as políticas públicas para o audiovisual no Acre, o I Fórum Setorial de Audiovisual reuniu produtores da área, gestores públicos e demais interessados pelo segmento. Realizado pelas Câmaras Temática do Conselho Municipal de Políticas Culturais (CMPC) e Técnica do Conselho Estadual de Cultura (CONCULTURA) de Audiovisual, ABDeC/AC, ASACINE, Samaúma – Cinema e Vídeo, e Núcleo de Produção Digital da Usina de Arte João Donato, com apoio da Fundação Municipal de Cultura Garibaldi Brasil(FGB) e Fundação Elias Mansour(FEM).

I Fórum de Audiovisual mobilizou os produtores para o debate sobre políticas públicas.

Na parte da manhã, o evento compôs a mesa para debate com o presidente da FGB, Marcos Vinícius Neves; o presidente da FEM, Daniel Zen; o coordenador do Núcleo de Produção Digital da Usina de Arte João Donato, Maurice Capovilla; o conselheiro Estadual Titular de Audiovisual, Adalberto Queiroz; e a representante titular da Câmara Temática de Audiovisual do CMPC, Alcinethe Damasceno.

O fato de ser iniciativa da própria sociedade rendeu elogios por parte dos presidentes das FGB e FEM em relação ao Fórum. “Esse tipo de Fórum representa um novo momento no diálogo entre sociedade civil e poder público, tendo em vista que eles completam e precisam estar sempre dialogando”, analisa Marcos Vinícius. “Estamos vivendo o processo de implementação e consolidação dos Sistemas de Cultura do estado e municípios, e o audiovisual sai na frente nisso”, ponderou Zen.

Reflexões entre gestores e produtores

Em debate estava o panorama político do audiovisual. O papel do governo no fomento à produção, distribuição, exibição e formação, foi abordado tanto pelos representantes da sociedade civil como pelos gestores públicos. Em sua fala inicial, Daniel Zen defendeu a política de financiamentos específicos ao audiovisual através de editais públicos. Também destacou que o sistema público de comunicação deve ser utilizado pelos produtores locais, desde que se leve em conta um padrão de qualidade mínimo para as obras.

O problema de recurso para o audiovisual que remetem à velha máxima do “cobertor menor do que o corpo” foi falado por Marcos Vinícius. Reconhecendo que atualmente os editais de financiamento no âmbito do município dispõem de recurso muito abaixo do necessário para as produções da área, o presidente da FGB sugeriu que se pensasse o incentivo de maneira dividida pelos entes federativos e até editais conjuntos entre municípios e Estado. “O município poderia ser mais eficaz fomentando as necessidades voltadas à circulação e exibição do audiovisual, levando em conta o baixo orçamento disponível. Se tivermos uma divisão de competências entre as esferas municipal, estadual e federal, obteremos melhores resultados”, avalia Marcos.

Quem também enfatizou o atual momento de conscientização do movimento de audiovisual acreano foi Maurice Capovilla. “Sinto-me sensibilizado com a agitação que tem acontecido nos últimos tempos em Rio Branco.”, afirma. Capovilla ressaltou a importância do papel da formação no cinema. “As escolas de cinema são fundamentais em qualquer lugar do mundo. A escola é a reflexão, é a crítica, é a formação.”

Adalberto Queiroz destacou a evolução do pensamento onde a coletividade se sobressai ao individualismo e como isso culminou neste encontro. “Se nos anos 70, os produtores de cinema tivessem focado apenas para o próprio umbigo, hoje não estaríamos realizando ações como este Fórum. Temos esse sentimento de que não podemos fazer nada só.”, disse o conselheiro titular do ConCultura. Alcinethe Damasceno ressaltou que o audiovisual acreano não pode mais esperar e deve criar novas produções. “O cinema tem uma importância cultural, educacional e econômica. Não podemos adiar mais o tempo de produzirmos”, afirma a conselheira do CMPC.

No período da tarde, os conselheiros se dividiram em três grupos onde seriam discutidos diagnósticos e soluções para os eixos: Produção; Circulação e Exibição; e Formação. Logo em seguida, os membros dos grupos se reuniram e expuseram suas reflexões para o debate. Com a sensação de saldo positivo por parte dos presentes, o I Fórum de Audiovisual se concluiu com a promessa de novos eventos do gênero para aprimorar as políticas públicas para o audiovisual.

Fonte: http://culturarb.blogspot.com/

Lançamento TELA VIVA

Tela Viva

Primeiro Festival de Cinema Estundantil Acreano

 

festival estudantil

 

 

Informações:   www.nicoladigrazia.it

Primeiro edital do Fundo Municipal de Cultura é lançado pela Fundação Garibaldi Brasil

Decidido pelo Conselho Municipal de Cultura, o Fundo  Municipal de Cultura(FMC) vem para financiar produções culturais de Rio Branco.

O FMC é um dos principais mecanismos de financiamento da cultura rio-branquense.



O FMC faz parte do Sistema Municipal de Cultura e o edital deste ano foi definido pelo próprio Conselho Municipal de Cultura no II Fórum Setorial do Conselho Municipal de Políticas Culturais, realizado no final de maio.

Este edital contempla projetos das áreas de Esporte, Artes e Patrimônio Cultural com o recurso de R$142,5mil. Os projetos poderão se focar para: Formação, Produção, Circulação, Intercâmbio, Manutenção de grupos e entidades, e Concessão de pequenos apoios. Cada projeto poderá atingir o valor máximo de R$8mil, com exceção daqueles destinados aos pequenos apoios, onde o limite é de R$2mil. Cada proponente poderá aprovar, no máximo, um projeto.

Para apresentar projetos para o FMC é preciso que o proponente seja domiciliado em Rio Branco pelo menos há um ano, inscrito no Cadastro Cultural e esteja em dia com as prestações de contas de projetos anteriores na FGB. Membros das Comissões de Análise Técnica e de Avaliação e Seleção de Projetos do FMC, cargos comissionados e funcionários da FGB, bem como seus parentes estão impedidos de participar do edital. Os projetos serão recebidos no Parque Capitão Ciríaco, localizado na Avenida Dr. Pereira Passos, nº 225, Bairro Seis de Agosto. O prazo para entrega de projetos vai até o dia 13 de julho.

O blog http://www.culturarb.blogspot.com/ e o site http://www.riobranco.gov.br/ disponibilizarão para download os anexos (formulários, roteiros e tabela de referências) a partir do dia 24 de junho. Para obter maiores informações, basta entrar no blog CulturaRB ou ligar para os telefones 3224-0269 e 3224-7941.

Circuito Revelando os Brasis no Acre

exibicao revelando os brasis

Movimento cineclubista já!

 

 Rio Branco recebe seminário sobre consolidação e sustentabilidade de cineclubes.

 

Você é daqueles cinéfilos que não se contentam com os filmes que passam nos grandes cinemas? Que não ficam satisfeitos em apenas assistir, mas querem também discutir e trocar idéias? Que acreditam que o cinema é fundamental no processo educativo? Então entre nesse clube! Durante o Seminário Circuito em Construção: Auto-sustentabilidade Cineclubista, produtores culturais, cineastas, dirigentes públicos da área da educação e da cultura, e demais interessados estarão juntos discutindo o processo de implantação do movimento cineclubista, sua consolidação e sustentabilidade.

 

O Seminário vai acontecer nos dias 26 e 27 de junho, na Filmoteca da Biblioteca Pública. O horário é das 17 às 21horas no primeiro dia, e das 9h30 às 17horas no segundo dia. A realização é da Associação Samaúma Cinema e Vídeo, com apoio do Governo do Estado, por meio da Fundação Elias Mansour e ALEAC; da Papelaria Arnaldo, e parceria da ABDeC e Cineclube Batelão.

 

PROGRAMAÇÃO

 

Palestras e mesas-redondas compõem a programação do Seminário. A primeira palestra acontece na sexta-feira, com o tema: “Cineclubes, uma rede em defesa dos direitos do público”, ministrada por Antônio Claudino de Jesus, Presidente do Conselho Nacional de Cineclubes e Vice-Presidente da Federação Internacional de Cineclubes. Em seguida, serão apresentados relatos de experiências locais: Fátima Almeida (Cineclube Aquiry); Arison Jardim (Cineclube Batelão); Sérgio Carvalho (Circuito Documentário); Tonivan (Filmoteca Acreana) e Wander Silva (Núcleo de Produção Digital da Usina de Arte João Donato) estarão juntos falando sobre o movimento cinematográfico no Acre.

 

No sábado, serão realizadas três palestras: Direitos Autorais, por Gilvan Veiga Dockhorn, Diretor Regional do Conselho Nacional de Cineclubes/RS e Cineclube Vagalume/RS; Programação e Distribuição de Conteúdo, com Frederico Cardoso, Coordenador Executivo do Cine Mais Cultura; e Auto-Sustentabilidade Cineclubista, com Eduardo Ades, Representante da ONG Tela Brasilis.

 

Para finalizar, uma grande mesa-redonda sobre Mecanismos de Financiamento da Cultura, composta por Daniel Sant’Ana, Diretor-Presidente da Fundação Elias Mansour; Karla Martins, Chefe do Departamento de Incentivos Fiscais à Cultura; Marcos Vinícius Neves, Presidente da Fundação Garibaldi Brasil; Alcinete Damasceno, Representante Titular da Câmara Temática de Audiovisual do Conselho de Políticas Culturais de Rio Branco; Rose Farias, Presidente da ABDeC-AC; Adalberto Queiroz, Presidente da ASACINE e Eduardo Ades, Representante da ONG Tela Brasilis.

Dúvidas ou mais informações, entre em contato pelo e-mail: samaumacinevideo@gmail.com

 

Por  Giselle Lucena.

Entradas Mais Antigas Anteriores