Coletivo Cênico Joanas Incendeiam e a Cia. Duas de Criação apresentam palestra, oficina e espetáculo gratuitamente

O Coletivo Cênico Joanas Incendeiam e a Cia. Duas de Criação, da Cooperativa Paulista de Teatro, realizarão, na Usina de Arte (Endereço – Avenida das Acácias, nº 1.155 – Distrito Industrial – Fone: 3229-6892)

Imagem

Sexta-feira, dia 24, às 17 horas, uma palestra sobre o processo criativo de “Homens e Caranguejos”, que envolve a “Mitodologia em Artes Cênicas aplicada ao Trabalho do Ator”, método construído por Luciana Lyra, diretora e dramaturga.

Sábado, dia 25, das 9h às 13 horas, a oficina “Mitodologia em Artes Cênicas aplicada ao Trabalho do Ator”. Durante a oficina, a mitodologia (complexo de procedimentos de criação que relaciona os mitos pessoais de cada artista ao tema-guia abordado no espetáculo “Homens e Caranguejos”), criada por Luciana Lyra, será o ponto de partida para experimentos cênicos com atores e estudantes de teatro que queiram conhecer e compartilhar experiências. (Inscrições Encerradas!)

Sábado e domingo, dia 25 às 20h00 e 26 às 18h30 horas, o espetáculo “Homens e Caranguejos”, adaptação da obra homônima do pernambucano Josué de Castro, humanista ícone da luta pela democracia social no Brasil, que dedicou sua vida ao combate à fome.

O projeto recebeu o Prêmio Funarte de Teatro Myrian Muniz/2012, na categoria de circulação, e conta com o apoio do Governo do Acre, por meio da Fundação Elias Mansour (FEM), para a realização local.

Homens e Caranguejos

A trama gira em torno do personagem Menino. Ao lado do Pai, depois de enfrentar a seca do nordeste e a morte do irmão mais velho, ele chega à cidade e, consequentemente, aos mangues. Sua vida se divide em função de três coisas: o trabalho de catador de caranguejo, que realiza a serviço do Padre; a vontade de brincar; e a amizade com Cosme, um homem sábio que vive num mocambo com as pernas imóveis.

Por não sair de casa, Cosme se mantem informado das novidades do mundo pelos jornais que o Menino leva, enquanto só pode observar a Aldeia dos Demais, comunidade ficcional onde moram, com o reflexo de um pequeno pedaço de espelho. É ele, inclusive, quem provoca certa consciência política no Menino e o instiga a lutar contra o Rei Dom Agamenon pelo direito a uma parte de terra na região. E, assim, começa uma verdadeira revolução.

Atrizes/Criadoras

Beatriz Marsiglia

Camila Andrade

Juliana Mado

Letícia Leonardi

André Gonzaga (Assessoria FEM)

Imagem

OFICINA – Mitodologia em Artes Cênicas aplicada ao trabalho do ator

Neste mês de maio a Usina de Arte João Donato receberá o Coletivo Joanas Incendeiam que ministrará a oficina Mitodologia em Artes Cênicas aplicada ao Trabalho do Ator.

A proposta da oficina é compartilhar o processo de criação do espetáculo Homens e Caranguejos com atores, estudantes de teatro e artistas em geral, por meio de experimentos dos procedimentos da Mitodologia em Artes cênicas, criada por Luciana Lyra.

Durante o processo de criação do espetáculo Homens e Caranguejos, o Coletivo Joanas Incendeiam tomou contato com a Mitodologia em Artes Cênicas- complexo de procedimentos de criação que relaciona os mitos pessoais de cada artista ao tema-guia abordado no espetáculo. A mitodologia criada por Luciana Lyra, da Cia. Duas de Criação, diretora e dramaturga de Homens e Caranguejos,  será o ponto de partida para experimentos cênicos com atores e estudantes de teatro interessados em conhecer e compartilhar dos procedimentos de criação do espetáculo.

Oficineira: Luciana Lyra

Dia: 25 de maio de 2013

Horário: das 9h00 às 13h00

Local: Usina de Arte

Inscrições Encerradas!

Imagem

Curriculo da Oficineira: Atriz, performer, diretora, dramaturga e professora de teatro. É pós-doutora em antropologia pela Universidade de São Paulo (USP), mestre e doutora em artes cênicas pela UNICAMP-SP, especialista em ensino da história das artes e das religiões pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), graduada em artes cênicas pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e direto pela Universidade Católica de Pernambuco. Atuou como professora da graduação e pós-graduação em artes da Universidade de Guarulhos (UNG-SP) da pós-graduação latu senso da Faculdade Paulista de Arte (FPA) e, atualmente, é mestre da Escola Livre de Teatro de Santo André (ELT). Toma parte do NAPEDRA (Núcleo de Pesquisa em Performance e Drama) da USP, projeto temático subsidiado pela FAPESP e do Grupo Terreiro de Investigações Cênicas da UNESP-SP. É atriz da Companhia Paulistana de Teatro Os Fofos Encenam e artistas fundadora da Cia. Duas de Criação (PE/SP).

Público Alvo:  Atores, estudantes de Teatro ou artistas em geral

Faixa Etária: a partir de 18 anos com conhecimentos na área de teatro.

Número de Vagas: 15 vagas (O preenchimento do formulário não garante a vaga na oficina, a positivação se dará através de mensagem encaminhada para o seu e-mail. Fique atento a sua caixa de mensagens).

Gravura: do traço ao plástico (convite)

 Gravura: do traço ao plástico (convite)

Imagem

Gravura: do traço ao plástico

No dia 10 de maio de 2013, a partir das 17 horas, acontecerá na Usina de Arte João Donato a mostra Gravura: do  traço ao plástico, que trará a exposição de trabalhos dos estudantes do curso técnico de Artes Visuais do PRONATEC, produzidos durante a oficina Gravura em Plástico, ministrada pelo artista plástico e gravurista Paulo Félix.

Imagem

A oficina, de 28 horas, integra o currículo do curso e tem como foco o conhecimento e a utilização de técnicas para a criação de gravuras feitas em matrizes de plástico, material recolhido nos lixões da cidade e que serviram de suporte para a produção das obras.

Dessa forma, além do conhecimento técnico e do desenvolvimento de habilidades criativas, a oficina procura mostrar aos estudantes como é possível produzir uma arte ecologicamente correta e economicamente viável, desde que se esteja constantemente pesquisando novas e inovadoras técnicas de produção. Essa prática espelha a preocupação da Usina de Arte em respeitar os princípios da sustentabilidade.

Durante a mostra, acontecerá um bate-papo com o artista Paulo Félix, momento em que o público poderá conhecer um pouco mais sobre o processo de criação e as possibilidades de uso de chapas ou lâminas de plástico para a execução de gravuras.

Sobre o artista: de uma grande capacidade criativa e domínio em varias áreas das artes, o artista plástico Paulo Félix começou sua careira como  autodidata. Nascido no seringal Niterói, fez seus primeiros desenhos  com graveto na areia, onde os burros passavam com as pélas da borracha. Ganhou prêmios na Listel no estado do Acre, nos concursos Cores da Cidade e Salão Hélio Melo. Aprendeu gravura com os grandes mestres do Rio de Janeiro na faculdade de Belas Artes, se especializando em ponta seca no metal e no polietileno.

1ª Assembleia Geral da Usina de Arte João Donato

Neste último sábado, dia 27 de abril de 2013, foi realizada a 1ª Assembleia Geral de funcionários da Usina de Arte.

A Assembleia Geral é uma instância de participação que tem como função escutar os funcionários e usuários diretos (pais e estudantes) da Usina no que diz respeito aos processos e rotinas do espaço. Nas assembleias, além de serem analisados e avaliados os processos internos da instituição e seu Regimento, são sugestionadas melhorias para esses procedimentos. Também são avaliados, nestes encontros, as ações culturais e educacionais desenvolvidas pela Usina de Arte.

A abertura contou com a participação da presidente da Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour, Francis Mary, e teve como pauta a socialização do planejamento interno da instituição para 2013, as estatísticas de ações realizadas em 2011 e 2012, bem como a apresentação dos trabalhos desenvolvidos acerca da construção do Regimento Interno da Usina, do Projeto Político-Pedagógico e do Plano de Desenvolvimento Institucional.

“Foi um momento de trabalho, socialização e descontração, onde pudemos, longe da rotina do trabalho, discutir pontos fundamentais para o desenvolvimento da instituição”, disse Carol Di Deus, coordenadora geral da Usina de Arte.

Para Simone Pessoa, coordenadora de Programas e Projetos de Extensão e Formação da Usina, “A assembleia vai possibilitar que cada um possa vivenciar ainda mais a construção dos nossos processos de gestão, o que vem fortalecer a democracia participativa já adotada pela Usina, tendo em vista que conta com a participação da comunidade externa e com todos os funcionários e colaboradores da instituição.”