Alunos de MedioTec realizam Mostra Coletiva de artes na Usina

A Usina de Arte João Donato acredita nos sonhos. Para nós, parafraseando Raul Seixas, um sonho que se sonha só é só um sonho, mas sonho que se sonha junto é realidade. E, sonhando junto com nossos alunos artistas, ficamos muito felizes em anunciar a I Mostra Coletiva da Usina, evento que celebra o encerramento do III módulo dos cursos técnicos do Mediotec, a ser realizado de 25 a 27 de abril de 2018 .
Com exposição de esculturas, xilogravuras, fotografias e apresentação de vídeo, durante os três dias de evento, os visitantes poderão ter contato com o trabalho desenvolvido pelos alunos dos cursos de Artes Visuais e Processos Fotográficos, além de assistirem aos espetáculos das turmas de Teatro de Rio Branco e uma performance da turma do Bujari. O público ainda prestigiará uma performance musical ao vivo dos alunos de Documentação Musical e a exibição da série Por acaso, obra de ficção produzida pela turma de audiovisual da manhã e um documentário sobre as periferias de Rio Branco produzido pela turma de audiovisual da tarde.
A proposta da Mostra Coletiva se insere no contexto do que vem sendo desenvolvido há onze anos pela Usina de Arte: compartilhar o trabalho desenvolvido pelos alunos, de modo a valoriza-los não só artística, como profissionalmente, tendo em vista a formação técnica que lhes será certificada ao término do percurso formativo.
Anúncios

Inscrição para Oficinas de Formatação de Projeto – PRODAV TVs Públicas 2015/2016 – Região Norte

Linha de produção de Conteúdos para TVs Públicas do Programa Brasil de Todas as Telas – Ano 2 abre inscrições

 Investimentos de mais R$ 60 milhões em 5 editais regionais vão fomentar a produção de 56 obras para a programação das TVs do Campo Público

663_782842065154393_5890536719810695539_n

Estão abertas, desde o dia 28 de dezembro, inscrições para as cinco Chamadas Públicas regionais da Linha de Produção de Conteúdos destinados às TVs Públicas, do Programa Brasil de Todas as Telas – Ano 2. Pelo segundo ano consecutivo, a linha disponibiliza R$ 60 milhões em recursos do Fundo Setorial do Audiovisual distribuídos pelas cinco regiões do país. Os investimentos fomentarão a produção de 56 obras audiovisuais brasileiras independentes, correspondendo a 200 horas de programação.

Os editais cumprem o cronograma previsto pelo Calendário de Financiamento da ANCINE, compromisso assumido com o lançamento do Plano ANCINE + Simples, plano de ações para a qualificação da gestão do financiamento público do audiovisual.

A Linha de Produção de Conteúdos destinados às TVs Públicas tem como objetivo a regionalização regionalizar a produção de conteúdos audiovisuais independentes para destinação inicial ao campo público de televisão (segmentos de TV universitária, comunitária e educativa e cultural).

Os editais desta linha serão operados por meio de uma parceria entre a ANCINE, a Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), e contam com o apoio da Associação Brasileira de Televisão Universitária (ABTU), Associação Brasileira de Canais Comunitários (ABCCOM) e Associação Brasileira de Emissoras Públicas Educativas e Culturais (ABEPEC).

Podem apresentar projetos as empresas produtoras brasileiras independentes registradas na Ancine que tenham sede na região em que se inscreverem, por no mínimo 2 anos, ou comprovada atuação de sócio nesta região, por igual período.

Os interessados devem preencher e finalizar a inscrição eletrônica disponível no site do BRDE e enviar a documentação requisitada no edital em envelopes lacrados, entregues por portador ou por serviço de encomenda registrada, para o escritório regional correspondente. Os projetos inscritos precisarão observar obrigatoriamente as descrições das propostas de programação definidas no Anexo I de cada um dos editais.  O prazo de inscrição se encerra em 31 de março.

A linha prevê o financiamento do valor integral da produção das obras na modalidade de investimento (aplicação de recursos com participação do FSA nos resultados comerciais dos projetos). A primeira licença das obras que compõem a programação será destinada para exibição inicial pelos canais do campo público de televisão, de forma não onerosa, pelo período de 1 ano, com exclusividade de seis meses.

As Chamadas Públicas regionais estão disponíveis para consulta no site do Fundo Setorial Audiovisual assim como uma seção de Perguntas Freqüentes do portal da ANCINE na internet, para tirar as dúvidas dos interessados.

Mais informações
A Chamada Pública PRODAV 08/2014 (Norte) pode ser encontrada no site www.brde.com.br/fsa
Dúvidas sobre a Chamada Pública podem ser enviadas para o e-mail:
Utnnorte01@gmail.com ou pelo telefone (92) 3215-4762

Propostas contempladas na primeira Chamada Pública já estão em fase de produção

A primeira Chamada Pública da Linha de Produção de Conteúdos destinados às TVs Públicas teve adesão de todas as regiões do país e número recorde de inscrições.  Os cinco editais resultaram na participação de 26 unidades federativas e 768 propostas inscritas – maior número já alcançado por uma linha do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). Do total de propostas inscritas, 94 foram selecionadas, contemplando 83 empresas brasileiras independentes.

Inscrição para Oficinas de Formatação de Projeto – PRODAV TVs Públicas 2015/2016 – Região Norte

Para auxiliar os produtores independentes na qualificação dos projetos a serem inscritos nos editais, serão realizadas Oficinas de Formatação de Projeto em todas as capitais do país. Serão 3 oficinas por capital, cada uma dedicada a uma tipologia (animação, documentário e ficção). São 30 vagas por oficina a serem preenchidas por ordem de inscrição, desde que cumpridos os requisitos obrigatórios. Cada oficina tem carga horária de 20h/aula.

Para se inscrever em uma oficina, o(a) proponente deverá preencher o formulário de inscrição online (disponível em http://goo.gl/forms/4hqg8YnznZ) apresentando uma proposta de projeto para a categoria da oficina que pretende cursar.

Após o envio dos dados, o Escritório Regional da sua região confirmará a inscrição por e-mail e encaminhará o Termo de Compromisso (carta de intenção) para que a empresa produtora independente responsável pelo projeto assine, comprometendo-se a inscrever o projeto na chamada pública. O Termo deverá ser apresentado no 1° dia da oficina.

Em Rio Branco, as oficinas acontecerão na Usina de Arte João Donato, localizada na Avenida das Acácias, 1.155, Bloco B, Distrito Industrial, CEP 69.920-202.

CRONOGRAMA PARA OFICINAS EM RIO BRANCO

Documentário – 19 a 21/02/16 – com Gavin Andrews

Sexta – das 18h às 22h (4 horas de oficina)

Sábado – das 09h às 13h e das 14h às 18h (8 horas de oficina)

Domingo – das 09h às 13h e das 14h às 18h (8 horas de oficina)

Animação – 26 a 28/02/16 – com Jonas Brandão

Sexta – das 18h às 22h (4 horas de oficina)

Sábado – das 09h às 13hh e das 14 às 18h (8 horas de oficina)

Domingo – das 09h às 13hh e das 14 às 18h (8 horas de oficina)

Ficção – 16 a 19/03/16 – com Ana Alice de Morais

Quarta – das 18h às 22h (4 horas de oficina)

Quinta – das 18h às 22h (4 horas de oficina)

Sexta – das 18h às 22h (4 horas de oficina)

Sábado – das 09h às 13h e das 14h às 18h (8 horas de oficina)

mais informações pelo telefone: (68) 3229-6892

 

 

4ª MOSTRA USINA DE OLHARES

Depois de agraciar o público com produções audiovisuais em 2008, 2009 e 2011, a Mostra Usina de Olhares chega a sua 4ª edição no dia 2 de julho de 2015 com exibições na Filmoteca da Biblioteca Pública, localizada no centro de Rio Branco. A 4ª Mostra Usina de Olhares traz nove obras, entre documentário, animações e ficção.
CARTAZ IV MOSTRA USINA DE OLHARES 2015A ideia do evento é mostrar ao público produtos de conclusão de cursos de formação inicial e continuada (FIC) e de cursos técnicos ofertados na Usina de Arte João Donato, no âmbito do Pronatec, entre 2013 e 2015. Serão exibidos um média-metragem, De lá pra Cá, e oito curtas-metragens, Crisálidas, Sr. Smith, Um plano para Zion, Simpliciópolis, Raças, O que os ouvidos não ouvem o coração não sente, O Chico Pop e Bito e Outros Contos. (os filmes em 40′ no link https://youtu.be/yq8M_Bpfuyk )
As produções são trabalhos produzidos pelos alunos sob orientação dos mediadores e são resultado de um processo de construção coletiva. Todas tiveram a participação dos alunos desde a escolha do tema e concepção das personagens até a edição final das imagens.

Cena do filme De lá pra cá Cena do filme De lá pra cá

O média-metragem De lá pra cá (2013) tem roteiro inspirado em livros do artista acreano Hélio Melo e é resultado de um projeto artístico que integrou os quatro cursos técnicos da Usina, oferta 2012-2013. O curta Crisálidas registra as intervenções, no centro de Rio Branco, de uma instalação de esculturas realizada por alunos de Artes Visuais da Usina em 2013. Sr. Smith, Um plano para Zion e Simpliciópolis são animações criadas pelos alunos do curso FIC de Roteirista de Animação, oferta 2014. Os filmes tematizam a lida do homem do campo, a existência dos extraterrestres e a rotina simples, tediosa e fatídica da vida humana.

Arte da animação Um plano para Zion Arte da animação Um plano para Zion

Raças, O que os ouvidos não ouvem o coração não sente e Chico Pop são documentários produzidos como atividade de finalização de módulo das turmas do curso de técnico em Produção de Áudio e Vídeo nos meses de abril e maio de 2015. O primeiro é um registro documental sobre os maus tratos e abandono de animais domésticos, sobretudo daqueles classificados com SRD, isto é, sem raça definida; o segundo é resultado de uma pesquisa sobre a Rádio Difusora Acreana, “a voz das selvas”; e o último faz uma abordagem emocionada sobre o ativista e jornalista cultural acreano Chico Pop.

Documentário RaçasDocumentário Raças

Bito e Outros Contos é um curta de ficção produzido como trabalho final do curso técnico em Produção de Áudio e Vídeo com roteiro inspirado em contos da escritora Florentina Esteves. O roteiro do filme possibilita uma viagem ao passado da história do Acre e é todo gravado em chroma key, técnica pouco usada em filmes de ficção aqui em nosso estado, sendo adotada mais por campanhas publicitárias.

Curta de ficção Bito e Outros Contospersonagem do curta Bito e Outros Contos

O evento é uma ação do governo do Acre e governo federal, por meio do Instituto Dom Moacyr e da Fundação Elias Mansour, realizado pelo Núcleo de Produção Digital da Usina de Arte.

Fim… temporário. O mundo e os cursos da Usina não acabaram. Ufa!!!

Nesta sexta-feira, 21, aconteceu na Usina de Arte o encerramento da etapa 2012 dos Cursos Técnicos e FIC’s  do Programa Nacional de acesso ao Ensino Técnico e Emprego – Pronatec.

Com a temática do “Fim do Mundo”, os educandos expuseram, durante o evento, trabalhos como apresentações musicais, exibição de vídeos, esquete teatral, instalações visuais.

A programação teve como objetivo materializar as habilidades adquiridas nessa primeira etapa de estudos e pesquisa de artes integradas dos cursos técnicos  Áudio e Vídeo, Composição e Arranjo, Artes Dramáticas e Artes Visuais e dos cursos FIC’s Iluminação, Ilustração, Figurinista, Produtor de Vídeo, Produtor Cultural, Cenotecnia, Operador de Áudio e Designer Gráfico.

O resultado das apresentações foi gratificante tanto para os educandos quanto para os mediadores e equipe pedagógica e técnica da Usina de Arte.

Oficina com a Jornalista e Produtora Cultural Suzy Capó e Exibição do Documentário sobre Cláudia Wonder

Cláudia Wonder 03

A Associação de Homossexuais do Acre (Ahac), em parceria com o Cineclube Cocar, fará a exibição do documentário “Meu Amigo Cláudia”, com direção de Dácio Pinheiro, sobre a trajetória da transexual Cláudia Wonder, ícone da cultura gay de São Paulo. Será nesta quinta-feira, 29, às 19 horas, na Usina de Arte. Gratuita, a programação faz parte da 8ª Semana da Diversidade.

A obra é uma colagem de depoimentos da própria Cláudia com auxílio de recursos como filmes antigos, shows em programas de TV, depoimentos de contemporâneos e recortes de jornal. Por meio de sua vida, assistimos ao fervilhante underground paulistano, à cidade perseguir gays e travestis, ao surgimento da Aids e acompanhamos as mudanças políticas por quais o país passou nos últimos 30 anos.

“Claudia Wonder foi, não, Claudia Wonder é a história dessa cidade [São Paulo]”, comenta uma das personalidades mais importantes do teatro brasileiro, o Zé Celso. Ainda em relação ao documentário, o cineclubista e produtor cultural Fabrício Machado diz que “é hipnotizante, resgata imagens e histórias de uma sociedade cruel e homofóbica”.Cláudia Wonder
Foi vocalista da banda Jardim das Delícias e Truque Sujo e ainda realizou diversas performances em clubes noturnos. Além disso, Cláudia ainda escrevia e atuava, tendo participado de peças de teatro e filmes como “O marginal” (1974) e “A próxima vítima” (1983). Durante sua vida, destacou-se também como ativista pelos direitos LGBT. Aos 55 anos, morreu em novembro do ano passado.
Suzy Capó 01

Oficina
Em seguida, a jornalista e produtora cultural Suzy Capó, criadora da produtora Festival Filmes (www.festivalfilmes.com.br), realizará uma oficina na Usina de Arte sobre mercado e distribuição de filmes LGBT. Capó é a mulher que abriu os olhos da mídia e da indústria audiovisual brasileira para a temática da diversidade das manifestações da sexualidade, inserindo no país uma abordagem intelectual e criativa sobre temas até então tabus, como a homossexualidade e demais questões relacionadas aos gêneros e práticas sexuais.

Esta ação faz parte do projeto do Núcleo de Cinema e Vídeo da Usina de Arte em parceria com a VIII Semana da Diversidade.

Resumo da oficina: A produção brasileira com temática LGBT será discutida a partir da exibição documentário MEU AMIGO CLAUDIA, de Dácio Pinheiro. O filme narra a trajetória da performer e ativista transexual Cláudia Wonder do fim dos anos 70 até 2009.

No campo da distribuição será abordado a inserção de filmes de baixo orçamento, mais especificamente LGBT, no mercado nacional. Será oferecido também um panorama mundial do cinema LGBT e formas alternativas de distribuição desses filmes no Brasil.

Finalmente a partir dos temas levantos no documentário serão debatidos com os participantes questões como: – A representação da transexualidade no cinema, – A arte/cultura como instrumento de ativismo político, – A comparação do momento político das décadas de 80/90 com o Brasil contemporâneo.

Foi dada a largada

Neste último final de semana, começaram as atividades do Territórios Híbridos aqui na Usina de Arte. O primeiro encontro aconteceu simultaneamente em Rio Branco- AC e São Carlos-SP e os participantes puderam interagir via web.

No sábado, 18, reunimos todos os doze participantes para discussão do tema: a Internet como mediadora na aquisição de conhecimento sobre os espaços urbanos.  Além disso, também tivemos o workshop de roteiro ministrado por Clemilson Farias.


Já no domingo, 19, a equipe participou do workshop de filmagem ministrado por Italo Rocha e do workshop de produção com Clemilson.

Em seguida, foram formadas seis duplas que serão responsáveis pela criação e produção de um documentário com duração entre 5 e 8 minutos, abordando um aspecto relacionado à outra cidade envolvida na ação.

Palestra dia 25 e 26 na Usina de Arte

Entradas Mais Antigas Anteriores