Aos alunos do Curso de Cinema e Vídeo da Usina de Arte João Donato

Olá pessoal, tudo bem? Na próxima segunda-feira(03/11), haverá gravação do programa REZA A LENDA, Histórias acreanas, às 14:00hs.
Atividade faz parte do Curso de Cinema e Vídeo complementando as oficinas de Realização.
 
Abraços, Wander.

O Núcleo de Produção Digital no Festival Internacional de Televisão 2008

O programa REZA A LENDA, HISTÓRIAS ACREANAS, realizado pelo Núcleo de Produção Digital da Usina de Arte João Donato,  foi selecionado no Festival Internacional de Televisão 2008. Será exibido no dia 06 de novembro no Rio de Janeiro, na sala OI Futuro – MOSTRA DE PILOTOS BRASILEIROS. 
 

Maiores informações acesse:

www.ietv.org.br/festival2008

28 de Outubro é o Dia Internacional da Animação

Foi nesta data que, em 1892 (3 anos antes do cinematógrafo ser apresentado pelos irmãos Lumiere), que Emile Reynaud realizou a primeira projeção do seu teatro óptico no Museu Grevin, em Paris. Essa projeção foi à primeira exibição pública de imagens animadas (desenhos animados) do mundo.

Para celebrar o Dia Internacional da Animação, 28 de Outubro, a Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-metragistas do Acre – ABDeC/AC em parceria com a Associação Brasileira de Cinema de Animação (ABCA), participa da mostra de curta-metragens nacionais e internacionais que acontece em 150 cidades de todos os Estados brasileiros e no Distrito Federal.  

A Mostra oficial será exibida simultaneamente às 18h30 (horário local) do dia 28 de outubro, na Biblioteca da Floresta Marina Silva, sendo o maior evento simultâneo do gênero, as ser realizado no país. Nesta data será exibida 1 hora de curtas-metragens estrangeiros (coreanos, americanos, poloneses, portugueses, franceses e russos) e 1 hora de curtas-metragens brasileiros.

O Programa brasileiro também será enviado para os 51 países integrantes da Associação Internacional do Filme de Animação (ASIFA) que lançou o evento, contando com o apoio de diferentes grupos internacionais filiados. Em 2008 o Dia Internacional da Animação está sendo realizado em 51 paises que farão intercâmbio de suas mostras.

Rio Branco (AC) participa pela primeira vez da mostra, e a idéia, segundo Rose Farias, coordenadora do evento local, é que no próximo ano, a mostra se estenda para mais duas cidades acreanas.  

“Pela primeira vez iremos realizar uma mostra no gênero aqui no Acre. Quando pintou o convite, logo achei interessante, pois o cinema de animação é fantástico e a cada ano amplia o foco de atuação, interagindo com as diversas linguagens artísticas. Iremos mobilizar estudantes na área das artes visuais, produtores independentes, abdistas, cineclubistas, enfim, a mostra está aberta a quem quiser ver o que de mais interessante está sendo criado no gênero animação”.

Nesse mesmo dia, após a mostra de animação, acontece no espaço, a mostra de filmes do ganhador do DCTV 2008, o cineasta acreano Silvio Margarido.

A mostra em Rio Branco conta com ao apoio do Governo do Estado, através da Fundação de Cultura Elias Mansour e Biblioteca da Floresta Marina Silva.  

Local: Biblioteca da Floresta Marina Silva
Endereço: Via Parque da Maternidade, s/nº – Centro.

Horário: 18h30 (horário local)

Coordenação Local: Rose Farias
E-mail:
farias.rose@gmail.com
Telefone: (68) 9971-6732

Revelando os Brasis III: três vídeos acreanos foram selecionados

 
Obras estão sendo exibidas no Rio de Janeiro  Três vídeos acreanos estão sendo exibidos no Rio de Janeiro durante o lançamento dos    quarenta vídeos realizados pelo projeto Revelando os Brasis Ano III. Desenvolvido pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e pelo Instituto Marlin Azul, o programa tem a proposta de fomentar a produção e a inclusão de obras audiovisuais. Neste ano foram selecionados 16 vídeos de ficção e 24 documentários. 

O projeto, dirigido a moradores de municípios brasileiros com até 20 mil habitantes,  contribui para a formação de receptores críticos e a produção de obras que registrem a memória e a diversidade cultural do país, revelando novos olhares sobre o Brasil.

Os vídeos produzidos e filmados no Acre revelam a singularidade e a diversidade dos povos que moram no Estado. Histórias como a de jovens de Xapuri que transformaram um espaço de opressão – uma delegacia abandonada – em lugar para reflexão ou ainda a que conta a lenda do surgimento do daime nas aldeias indígenas.

Os 40 diretores selecionados para a terceira edição do projeto participaram de oficinas preparatórias de Introdução à Linguagem Audiovisual, Roteiro, Direção, Produção, Fotografia, Som, Edição, Direção de Arte, Mobilização, Direitos Autorais e Comunicação Colaborativa.

O Núcleo de Produção Digital da Usina de Arte João Donato foi convidado para auxiliar na produção de um dos vídeos acreanos. Os alunos do curso de cinema Luiz Felipe Cavalcanti de Albuquerque e Wander Moreira da Silva estiveram uma semana na aldeia Jacobina I, em Marechal Thaumaturgo. O autor do projeto selecionado é Vandete Cerqueira Sereno Kaxinawá, morador da Aldeia Jacobina I, que fez o vídeo de ficção “YUBE NAWA AÎBU” (A Mulher Jibóia Encantada).

“Foi muito gratificante oferecer o apoio técnico. Aprendemos muitas coisas com a comunidade”, destacou Wander.

Fonte: http://www.agencia.ac.gov.br

Foto: Wander Silva.

Imprimir E-mail

 Por Viviane Teixeira.  

1° EDITAL DO PROGRAMA DE FOMENTO À PRODUÇÃO AUDIOVISUAL

O 1º Edital do Programa de Fomento à Produção Audiovisual Independente do Norte-Nordeste é um projeto do Centro Audiovisual do Norte e Nordeste (CANNE), através da Fundação Joaquim Nabuco do Ministério da Educação e da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura.
O presente Edital será integrado pelos anexos de I a VIII, que serão disponibilizados para serem baixados, nos sites da Fundação Joaquim Nabuco e do CTAv, nos endereços eletrônicos:
www.fundaj.gov.br e www.ctav.gov.br, respectivamente.

Este 1º Edital tem como objetivo geral conceder apoio técnico para a co-produção de obras audiovisuais independentes e inéditas de curtas e longas-metragens,  dos gêneros ficção, documentário ou experimental, através da cessão dos equipamentos audiovisuais de filmagem e edição, que se encontram disponíveis no CANNE, a saber:
– Uma Câmera cinematográfica de 35mm – Aaton III, conforme anexo VI;
– Uma Câmera de vídeo digital Sony HVR Z1, conforme anexo VI;
– Uma Ilha de edição digital HD com plataforma Final Cut.

O processo de seleção do 1° Edital do Programa de Fomento à Produção Audiovisual Independente do Norte-Nordeste será coordenado pela Fundação Joaquim Nabuco que exerce atividade executora no referido Centro e será supervisionado pelo CTAv/SAv/Minc

Deverão ser selecionados, neste Edital:

• no mínimo sete curtas-metragens e um longa-metragem a serem realizados com equipamento de 35mm; 
• no mínimo sete curtas- metragens e um longa-metragem a serem realizados com equipamento digital;
• e no mínimo dois projetos de curta metragem e um de longa metragem para utilização da ilha de edição não linear, de segunda a sexta-feira, em horário comercial.

Todos os projetos deverão ser realizados no período de fevereiro a julho de 2009.

 Somente poderão concorrer ao Edital projetos de produção audiovisual de caráter cultural, representados por Pessoas Jurídicas de natureza audiovisual, sediadas nas regiões Norte e Nordeste há pelo menos dois anos, com registro na Agência Nacional do Cinema (Ancine).

Informações e inscrições:
Centro Audiovisual do Norte e Nordeste (CANNE)
Endereço eletrônico: canne@fundaj.gov.br
Fone:(81) 3073.6720

Endereço postal:
Fundação Joaquim Nabuco – Campus Derby
Diretoria de Cultura – CANNE
Rua Henrique Dias, 609, Derby. Recife-PE.
CEP: 52.010-100.

O Acre na fase final do Festival de vídeo estudantil em Rio Grande do Sul

Os curta-metragens (”A Escolha” e “Amores imperfeitos”), estão concorrendo em Rio Grande do Sul,   no 7° Festival de Vídeo Estudantil e Mostra de Cinema.
Já é uma grande satisfação que os 2 curtas juntos superaram as seleções, entre os vídeos inscritos.  Ao todo foram 307 inscrições de 41 cidades diferentes, de 14 estados brasileiros.
Entre os dias 5-9 novembro vamos ver o que acontece em Guaíba.

Seria ótimo conseguir um patrocinador, para as passagens (a minha e a de um aluno  do projeto audiovisual), para torcer até o resultado final!

Abraços, Nicola Di Grazia.

O Estado do Acre têm dois documentários selecionados para mostra competitiva FESTCINE Amazônia 2008 (6ª edição)

  FESTIVAL

 

Um evento que tem como objetivo principal divulgar, integrar e promover discussões em torno da produção de cinema e vídeos nacionais e internacionais, legendados ou narrados na Língua Portuguesa, em especial, que tenham como temática central o meio ambiente. O Festival acontece uma vez por ano, em Porto Velho – RO, no mês de novembro.

Sua primeira edição foi em 2003. Já nessa primeira edição, superou todas as expectativas.

A adesão do público foi tão grande que as salas de exibição tradicionais foram pequenas. Hoje, o festival adquiriu uma forma itinerante e acontece, simultaneamente, em espaços tradicionais e, também, nos espaços alternativos: Cinema no Circo, Cinema no Terreiro e Cinema nos Bairros.

O Festcine Amazônia exibe e pensa o meio ambiente, não somente através da produção independente de trabalhos audiovisuais. É um espaço de várias cenas e um objetivo comum: colocar a arte e a técnica da sétima arte a serviço da preservação da natureza e da sustentabilidade da vida no planeta.

 

FILMES SELECIONADOS DO ESTADO DO ACRE – MOSTRA COMPETITIVA FESTCINEAMAZONIA – 2008

TÍTULO

DIREÇÃO

GÊNERO

ESTADO

O que o senado tem de melhor

Luiz Felipe Cavalcanti de Albuquerque.

  Wander Moreira da Silva.

DOCUMENTÁRIO

AC

Aos trancos e barrancos

Ney Ricardo da Silva.

DOCUMENTÁRIO

AC

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A lista completa dos selecionados e maiores informações,

acesse: www.festcineamazonia.com.br/

Abraços, Wander.

Aldeia Jacobina I, parte I A Viagem…

A terceira edição do Revelando os Brasis, projeto de inclusão e de formação audiovisuais realizado pelo Instituto Marlin Azul e pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, convidou o Núcleo de Produção Digital da Usina de Arte João Donato para uma parceria de co-produção em um dos projetos selecionados.

O autor deste projeto selecionado é Vandete Cerqueira Sereno Kaxinawá, morador da Aldeia Jacobina I, no Estado do Acre, que irá realizar o vídeo de ficção “YUBE NAWA AÎBU” (A Mulher Jibóia Encantada).

O Núcleo de Produção Digital iniciou a viagem no dia 18/09/2008 com destino à Cruzeiro do Sul, onde Vandete estava nos aguardando para nos levar até a Aldeia. A viagem seguiu tranqüila até o município de Marechal Thaumaturgo, pois até o momento utilizávamos o meio de transporte aéreo. No sábado (20/09), providenciamos os mantimentos e o combustível que julgamos necessários e fomos conhecer o nosso novo meio de transporte. Eram dois barcos com motor, nos quais passaríamos a viver pelos próximos dias. Ótimo! Tudo certo, organizados e, o melhor de tudo, confiantes, fomos subir o rio Juruá por dois dias. Partimos aproximadamente às 11:00h, horário local, mas nossa viagem foi interrompida antes de completarmos uma hora de viagem, pois um dos motores quebrou e nos obrigou a pernoitar em uma escola na Reserva Extrativista do Alto Juruá, na localidade denominada Estirão do Térgio.

O domingo amanheceu chuvoso. Passou o almoço e a chuva continuava, nos desanimando ainda mais. Pelo visto, íamos perder o domingo inteiro. Felizmente, o barqueiro chegou às 14:30h com outro motor e conseguimos sair às 15:30h com uma fraca chuva que aumentava e diminuía conforme a viagem. Resolvemos parar às 18:00h aproximadamente, porque não agüentávamos mais o frio, a fome e o cansaço. Mas sem dúvida, o pior nesse dia foi o tremendo frio que passamos e, o engraçado, quando parou o barco e descemos, o frio foi tão forte que não parávamos de tremer. Batemos uma aposta para ver quem iria tomar banho no rio. Adivinhem quem ganhou? Ninguém é claro.

Na segunda-feira (22/09), deixamos a comunidade de Belfor bem cedo e após uma hora e meia de viagem encontramos com o Felipe Kaxinawá, ex-cacique da Aldeia Jacobina I, ocasião na qual paramos e aproveitamos a companhia para fazer o desjejum tipicamente regional, com carne de veado, farinha, melancia colhida na praia e biscoito, às margens do rio Juruá.  No início da tarde chegamos à foz do rio Breu, localidade que apresenta uma comunidade maior com residências em ambas as margens, comércio limitado (quando voltamos este comércio nos vendeu uma carne enlatada com o prazo de validade vencido em 2005), escola e telefone público. Fizemos um breve descanso, alguns telefonemas, abastecemos os motores e prosseguimos com a viagem, pois não podíamos perder tempo por causa da vazante do rio, se não iríamos empurrar o barco nos bancos de areia. Chegamos à Aldeia Vida Nova no fim da tarde. O coordenador geral de cultura, Pedro Paulo Kaxinawá, nos recebeu e explicou os rituais tradicionais, enquanto os mirins pegavam as nossas bagagens, o interessante era que não podíamos ajudar. O jantar foi na casa do professor da Aldeia, Floriano Kaxinawá. Os homens sentam ao redor dos utensílios com os alimentos e a mulheres sentam acompanhadas das crianças no outro lado, ou seja, as refeições são realizadas de forma em que os homens ficam separados das mulheres e das crianças. Logo depois do jantar, voltamos à escola da Aldeia, onde ficamos até tarde ouvindo estórias, conversando e aprendendo um pouco da cultura indígena, iluminados pela luz de uma poronga.

Chegamos ao final da tarde de teça-feira (23/09) na Aldeia Jacobina I, Esta parte da viagem foi a mais cansativa e demorada, passamos a maior parte do tempo fora da canoa empurrando-a para ultrapassar os troncos caídos no rio, que não eram poucos, além dos inúmeros bancos de areia. Para ganharmos tempo o Pedro Paulo Kaxinawá me levou por um atalho na floresta, cortando os meandros, com isso o barco ficou mais leve tornando a viagem mais rápida. Na Aldeia Cruzeirinho, ALDEIA CENTRAL, fomos pintados com urucum e jenipapo, para sermos protegidos durante a viagem e deu certo chegamos todos bem apesar do cansaço, da fome, mas a curiosidade e o encantamento eram maiores. Ainda jogamos futebol antes do jantar e, logo após o jantar houve uma reunião com objetivo de nos apresentar e explicar a nossa presença na Aldeia.

A nossa alimentação durante a viagem baseou em carne, sardinha e salsicha em conserva (enlatada), farinha de macaxeira, biscoitos salgados, biscoito doce (acabou no segundo dia) e melancia colhida nas praias. Em dois jantares tivemos galinha caipira, o primeiro na Reserva Extrativista do Alto Juruá, na casa do José, no Estirão do Térgio e o segundo jantar foi na casa do professor Floriano Kaxinawá, na Aldeia Vida Nova, por sinal a melhor galinha caipira que apreciei até hoje.

 

Abraços, Wander e Felipe.

Núcleo de Produção Digital + Justiça & Cidadania =

No mês de setembro/2008, o Núcleo de Produção Digital da Usina de Arte João Donato, realizou uma parceria com  o Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região através do programa de televisão Justiça & Cidadania. Confira o resultado desta junção no  http://www.trt14.jus.br/ascom/videos/justicaecidadania.asp 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Abraços, Wander.