Estudantes do curso de Artes visuais trabalham com esculturas

Nossos alunos de Artes Visuais estão trabalhando com esculturas neste módulo. O mediador do curso, Jesaias Texeira, explica que todo o conhecimento adquirido de traço, linhas, anatomia e geometria são postos em prática da maneira mais delicada possível para reproduzir formas e detalhes nas esculturas. Confira a galeria.

 

Anúncios

Imagem

Gosta de escultura?

Algumas das esculturas que nossos alunos de Artes Visuais estão trabalhando.

O curso técnico de artes visuais do Mediotec, ofertado pelo IDM na Usina de Arte, é abrangente e dá uma ótima base para o processo de aprendizagem das técnicas artísticas, explica o Mediador Jesaias Texeira de Oliveira.

As peças produzidas abaixo são modeladas com gotículas que amolecem o barro, permitindo que se modele indefinidamente, desde que não seque. Molha-se delicadamente as pontas dos dedos e com capricho aplica-se a técnica,buscando a forma. Pode levar horas até que o resultado esperado seja realizado, o barro (a escultura) traduz o pensamento. A escultura é uma conquista da mente,através da paciência.

QUEIMADAS – PERFORMANCE EXPERIMENTAL

Nesta quinta-feira, 26, às 18h, na Usina de Arte, os educandos dos cursos técnicos/PRONATEC da Usina apresentarão uma Performance Experimental.

A Usina de Arte adota como prática pedagógica a metodologia de aprendizagem por projetos integrados, sobretudo no desenvolvimento dos cursos técnicos, com o objetivo de estimular os educandos a atuarem como sujeitos ativos no processo de aprendizagem.

Nossos atuais cursos técnicos em execução estão finalizando o primeiro módulo de estudos, intitulado Laboratório de Sensibilização e Integração das Áreas, cujas competências foram desenvolvidas por meio de uma experimentação integrada com a participação dos mediadores e educandos das quatro áreas (Teatro, Música, Artes Visuais e Audiovisual). O tema escolhido para a realização do projeto foi “Queimadas” com a idéia de apresentar artisticamente as conseqüências que elas provocam no meio ambiente. As turmas foram divididas em grupos para trabalhar elementos diferentes relacionados ao tema: a floresta, o ar, as cinzas e o fogo.

As experimentações resultaram em uma performance itinerante construída por meio de instalações, ambientações sonoras e atuações cênicas que ocuparão os silos, o restaurante das caldeiras e o ateliê. A metodologia utilizada permitiu que os educandos se tornassem sujeitos ativos em todas as etapas do processo, pois foram postos na condição de coautores do trabalho, sugerindo idéias, propondo intervenções, construindo objetos e cenários.

Os cursos técnicos são ofertados no âmbito do PRONATEC, com parceria do Governo do Estado do Acre, e têm como ofertantes o Instituto Dom Moacyr e a Fundação de Cultura Elias Mansour.

 

 

USINA DE SABERES DANÇA CONTEMPORÂNEA – MOVIMENTO E IMPROVISAÇÃO

Em parceria com a Coordenação de Dança da Funarte, a Usina de Arte João Donato recebe a dançarina Irupé Sarmiento a oficina de Dança Contemporânea Movimento e Improvisação. Argentina, nascida em Salta, passa a integrar o Ballet Taller Juvenil de la Provincia de Salta em 1998. Entre 2004 e 2008 faz parte do elenco do Ballet Contemporáneo del Teatro General San Martín em Buenos Aires no rol de Primeira Bailarina, sob direção de Maurício Wainrot, onde trabalhou em obras como: Playback de Carlos Casella, Amargo Ceniza de Carlos Trunsky, Stetl de Richard Wherlock, Bolero de Mark Ribaud, Bésame e Memorias de Ana María Stekelman, Efímero de Paul Vasterlin, Gilles e Purcel Pieces de Tom Wiggers, entre outras. Ganhou o Clarín de revelação, prêmio concedido pela imprensa argentina no ano 2007.

De 2008 à 2012 foi solista da São Paulo Companhia de Dança. Trabalhou com coreógrafos como Alessio Silvestrin em Polígono, Paulo Caldas em Entreato, Mauricio de Oliveira em Os Duplos, Henrique Rodovalho em Inquieto e Rodrigo Pederneiras em Bachiana N.1, além das remontagens de Prélude `a L’Apre`es-midi d´un Faune de Marie Chouinard, Les Noces de Bronislava Nijisnka, Serenade de Geroge Balanchine, Gnawa de Nacho Duato e Supernova de Marco Goecke. A partir de 2010 começa a desenvolver trabalhos coreográficos no Programa de Desenvolviemento de Habilidades da São Paulo Cia de Dança. Em fevereiro de 2012 participa do Holland Dance Festival.
Esta oficina faz parte do Projeto de Oficinas de Capacitação Artística e Técnica em Circo, Dança e Teatro/ 2012 da FUNARTE e também do Projeto Artístico e Cultural da Usina de Arte João Donato e Teatro Plácido de Castro. É uma realização do Governo do Povo do Acre através da Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour e do Ministério da Cultura através da FUNARTE.

Tema: Oficina de Dança Contemporânea – Movimento e Improvisação

Oficineiro: Irupé Sarmiento

Dias e Horário:

Turma A – De 26 a 31 de outubro das 14h30 às 17h30

Turma B – De 26 a 31 de outubro das 18h30 às 21h30

 

Local: Usina de Arte João Donato

Inscrições gratuitas através dos links

Turma A: Inscrições Encerradas!

Turma B: Inscrições Encerradas!

 

Sinopse: Esta oficina prática tem como objetivo permitir ao bailarino/ intérprete o auto-conhecimento do seu corpo. Através de técnicas mistas de dança contemporânea que envolvem improvisação e criação de seqüências de movimentos trabalhar a expressão do bailarino através da sua pulsação interna tomando contato com as infinitas possibilidades de uso do seu corpo.

Público Alvo:  bailarinos, dançarinos, artistas cênicos e estudantes de dança

Nº de Vagas: 15 vagas por turma (O preenchimento do formulário não garante a vaga na oficina, a positivação se dará através de mensagem encaminhada para o seu e-mail. Fique atento a sua caixa de mensagens).

Espetáculo Inservíveis ou da inutilidade das coisas deste mundo e de outros

Teaser do espetáculo

Imagens Dialógicas

Esta oficina teórico/prática teve como objetivo trabalhar a integração das artes, correspondendo à filosofia da Usina de Arte João Donato, que busca estabelecer uma interface entre as diversas linguagens artísticas.

A oficina teve como foco o diálogo entre o cinema, o desenho e a pintura, e entre o teatro e a fotografia.

A elaboração da cenografia de um espetáculo teatral serviu de objeto para que o diálogo entre essas linguagens fosse estabelecido.

 

 

Vídeo do ensaio:

 

Ecologia e Paisagens Sonoras

Aqueles que participaram da oficina de Ecologia e Paisagens Sonoras puderam compartilhar experiências, refletir e aprender a observar um pouco mais a natureza sonora do meio em que vivemos. A oficina ministrada pela excelente professora Janete EL Haouli foi uma verdadeira vivência sobre o que escutamos e o que nos passa despercebido no dia a dia. O quanto os sons, percebidos ou não, podem influenciar e até nos prejudicar em nosso cotidiano.8

Entradas Mais Antigas Anteriores