Porque a criança pode renovar o mundo e a poesia o nosso olhar sobre ele

Sê criança em toda a beleza que pode existir no começo de uma vida… Sejamos criança!

Este é um momento mais que especial para que falemos sobre meninice, leveza, beleza, descoberta, curiosidade e poesia!
O escritor Gabriel García Márquez dizia que “a poesia é a única prova concreta de existência do homem”. E a Usina diz com convicção: a infância é a única prova concreta da existência da poesia!

Fora Fernando Pessoa quem nos fez acreditar que

“a imaginação e a poesia eternizam formas possíveis de ser criança.
Quando as crianças brincam
E eu as oiço brincar,
Qualquer coisa em minha alma
Começa a se alegrar.”

Hoje foi para nossa equipe um dia mais que especial… foi um dia de imaginários e histórias de encantamento e lendas!
95 crianças viajando entre os encantos do Mapinguari, do Curupira, da Mãe da Mata, do Boto cor-de-rosa, da Cobra Grande…

Seres folclóricos encantaram crianças de todas as idades da Balões Encantados, escola que nos visitou neste dia. Elas entraram na brincadeira e, ao som do Jabuti Bumbá, rodopiaram e tocaram tambores!

Pularam e cantaram, se fantasiaram e se deixaram tomar pela aura do imaginário infantil… Ah, Roseana Murray…
“Se pudesse o menino pularia
corda
com a linha do horizonte,
se deitaria sobre a curvatura
da Terra
para sempre e sempre
saudar o sol,
encheria os bolsos
de terra e girassóis.
Mas chove uma chuva fina
e o menino vai até a cozinha
fritar ideias”

fotografia: Hannah Lydia

E, sim, porque a criança pode renovar o mundo e a poesia o nosso olhar sobre ele, Manoel de Barros acreditou que:
“No descomeço era o verbo.
Só depois é que veio o delírio do verbo.
O delírio do verbo estava no começo, lá
onde a criança diz: Eu escuto a cor dos
passarinhos.”

Usina de Arte apresenta experimento cênico Cartas para o Universo

Se o universo é infinito, o que dizer da infinitude do amor para quem ama? Ou acredita amar? Ou pensa ser amado? AMOR e AMAR são mais que palavras, são razões para que qualquer humano se sinta sobre-humano.

Arte: Hannah Lydia

O amor é universal e se manifesta todos os dias nas pequenas e grandes coisas da vida, do cotidiano. Ele é diverso e, por vezes, quem ama ou diz amar veste máscara, usa de artifícios e disfarces na tentativa de ter próximo o ser amado ou aprisionado.

É sobre este sentimento em suas diferentes formas e intensidades que o experimento cênico Cartas para o Universo fala. Por meio de performances corporais e declamação de poemas de Carlos Drummond, Manoel de Barros, Fernando Pessoa e Cecília Meireles, os participantes brincam e jogam em cena com o AMOR.

O trabalho foi montado com base nos exercícios realizados durante a primeira etapa do curso de Iniciação à Linguagem Teatral ofertado pela Fundação Elias Mansour na Usina de Arte João Donato e ministrado pela professora e atriz Claudia Toledo. A sonoplastia da montagem é autoral, incluindo parte da música O seu amor, dos Doces Bárbaros.

Convidamos, com amor, todos a assistirem à Cartas para o Universo na Usina de Arte, dia 15/08/2019, às 16h ou às 19h. Entrada gratuita.

E vamos ao AMOR! AMAR…