Estudantes do curso de Artes visuais trabalham com esculturas

Nossos alunos de Artes Visuais estão trabalhando com esculturas neste módulo. O mediador do curso, Jesaias Texeira, explica que todo o conhecimento adquirido de traço, linhas, anatomia e geometria são postos em prática da maneira mais delicada possível para reproduzir formas e detalhes nas esculturas. Confira a galeria.

 

Imagem

De Íris ao Arco-Íris: Um espetáculo gratuito para portadores de deficiência auditiva

FOTO 3

Depois de Fortaleza (CE), Balneário Camboriú (SC) e Cuiabá (MT), o espetáculo “De Íris ao Arco-Íris” será apresentado neste sábado, às 19h, e no domingo, às 18h, na Usina de Arte. O público-alvo são crianças portadoras ou não de deficiência auditiva com idade a partir dos quatro anos. Em 2014, a Fundação Nacional de Artes (Funarte) concedeu o Prêmio Myriam Muniz à produção.

cartaz-íris-2015 (Acre)

A montagem usa bonecos, objetos e o teatro de sombra, além da experiência de um intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras), para contar a história de uma lagarta sonhadora. Após a apresentação, a plateia será convidada para um bate-papo sobre o projeto, incluindo associações locais que atendem à comunidade surda. O ingresso é gratuito.

Sinopse

A lagarta Íris faz de tudo para realizar o desejo de chegar a um determinado endereço encantado. Certo dia, ao se transformar em uma borboleta de cores exuberantes, a personagem aparece de surpresa na festa de aniversário do rei do Jardim Sereno de Manhãzinha, Muito Calor à Tardinha. Mesmo expulsa por não se submeter aos caprichos da realeza, o obstáculo não a faz desistir.

Produção

A obra é uma criação coletiva que dá voz à inquietação artística e pessoal de jovens interessados em investigar o “Teatro para Infância e Juventude” e o “Teatro de Formas Animadas”. Graduados em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o grupo se juntou para pesquisar essas linguagens e construir uma encenação para crianças surdas.

Apoio

Serviço Social do Comércio no Acre (Sesc/AC), Hotel Amazônia, Governo do Estado, Fundação Elias Mansour (FEM), prefeitura de Rio Branco, Secretaria Municipal de Educação (Seme) e Fundação Garibaldi Brasil (FGB).

Mais informações

Espetáculo Infantil “De  íris ai arco-iris”

Local:  Usina de Arte João Donato

Data: sábado, dia 18/07, às 19h

domingo. dia 19/07, às 18h

Entrada gratuita

Denise Oliveira: (68) 3229-6892 | (68) 9978-4316

http://www.usinadeolhares.wordpress.com

Assessoria FGB

Teatro Ânima apresenta o espetáculo ‘A mais forte?’ na Usina de Arte João Donato

Professores da Universidade Federal do Acre (Ufac), Andréa Maria Favilla Lobo e Marcelo da Silva Murilo, reapresentam o espetáculo “A mais forte?”, que estreou em 2012. A reestreia do acontecerá nesta terça-feira, 26 de maio de 2015, às 10h, na Usina de Arte João Donato. A entrada é franca.

A reapresentação faz parte da programação do 1º Encontro de Bolsistas, promovido pela Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proaes). Trata-se de uma produção e adaptação do Teatro Ânima Amazônia da peça de August Strindberg, em diálogo com fragmentos do “Livro do Desassossego”, de Fernando Pessoa.

A montagem tem no elenco a atriz e pesquisadora Andréa Favilla, com direção de Brigitte Bentolila e música de André Favilla. Também contou com a colaboração de Antônio Manso (preparação corporal e assistência de direção) e Marcelo Murilo (assistência de direção e manutenção da montagem).

O espetáculo foi financiado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura, por meio da Fundação Garibaldi Brasil, com apoio da Caixa Econômica Federal e da Ufac.

O espetáculo também será apresentado nesta quarta-feira, 27, às 15h, e na quinta-feira, 28, às 19h, na Usina de Arte João Donato.

(Ascom-Ufac)

ITAÚ CULTURAL OFERECE WORKSHOP DE ARTES VISUAIS “O ALIMENTO NO CAMPO EXPANDIDO”

Convite_Rio Branco_finalO Itaú cultural traz a Rio Branco o workshop O alimento no campo expandido, com Jorge Menna Barreto.

Serão ofertadas 20 vagas, para maiores de 16 anos. As vagas serão preenchidas por ordem de inscrição, direcionada a artistas, professores e estudantes de arte ou profissionais de outra área que trabalhem com arte.

A proposta do workshop é, segundo as palavras do próprio artista Jorge Menna, propor uma reflexão sobre os usos do solo na arte e na agroecologia. A partir de aula prática de mapeamento de matinhos comestíveis, desenho de observação e produção de sucos específicos (bebidas à base de frutas e folhas verdes locais). A ideia é resultado de uma pesquisa que o Jorge vem realizando há algum tempo.

A metodologia aplicada será a partir de aula prática e teórica, envolvendo exercícios de registro, desenho de observação e preparação de alimento.

A ação recebe o apoio do Governo do Acre, por meio da Fundação Elias Mansour.

Mais informações no site de Jorge Menna: http://cargocollective.com/jorgemennabarreto

Serviço:

Inscrições: de 25/05 a 19/06 de 2015

Período: de 25 a 27 de junho

Horário: das 9h às 13h

Local: Usina de Arte João Donato

Carga horária: 12h

VAGAS PREENCHIDAS!

A partir de agora, somente inscrições para CADASTRO RESERVA pelo link https://docs.google.com/forms/d/18xivz5bNxB78r9NWM70xiSXBTk0s7xUhlZK4ZMi9GYg/viewform?usp=send_form

Maiores informações:

Telefones: (68) 3229.6892

(68) 9923-4987

(68) 9978-4316

Espetáculo “Exú – a boca do universo”, do Palco Giratório do Sesc

Cena do espetáculo Exú - a boca do universo. Fonte: Festival do Teatro Brasileiro (site)
Cena do espetáculo Exú – a boca do universo.
Fonte: Festival do Teatro Brasileiro (site)

Neste fim de semana, a Usina de Arte João Donato recebe o espetáculo Exú – a Boca do Universo, do Núcleo Afrobrasileiro de Teatro de Alagoinhas. O espetáculo faz parte da programação do Palco Giratório do SESC.

Sinopse

“Exú – a boca do universo” é um espetáculo de celebração à vida. O espetáculo narra sem compromisso cronológico momentos em que Exu se mostra diferente daquilo que tanto se pregou na cultura ocidental sobre o orixá que rege a comunicação e a liberdade no candomblé. Optando por uma dramaturgia músico-poética, pela encenação em um espaço aberto e por atores que se personificam sobre as diversas concepções do orixá Exu, o humano e o divino se entrelaçam na celebração à condição de estar vivo. Exu em suas várias facetas se mostra no espetáculo como alguém que valoriza o movimento da vida, do falar ao agir, do pensar ao sentir.

Serviço

Duração: 60min

Classificação etária: 18 anos

Companhia: Núcleo Afrobrasileiro de Teatro de Alagoinhas

Data: 23/05/2015 (sábado) | às 20h

Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)

Sujeito à lotação do espaço

Local: Usina de Arte João Donato

Espetáculo de dança do ventre ‘Mulheres’ estreou em Rio Branco, na Usina de Arte

Por G1 AC (adaptado)

(Foto: Aquele Casal Fotógrafo)

(Foto: Aquele Casal Fotógrafo)

A primeira apresentação ocorreu no último sábado (02/05), na Usina de Arte. O espetáculo ficará em cartaz nos dias 2, 9, 16 e 30 de maio, sempre às 20h.

Com produção do Studio Alimah de Dança do Ventre, essa é primeira temporada do espetáculo, após duas apresentações piloto realizadas no final de 2014. O grupo conta com dez dançarinas do ventre com idade entre 16 e 50 anos.

Após temporada na capital, o evento fará oficina de dança do ventre no dia 5 de junho na cidade de Cruzeiro do Sul. Nos dias 5 e 6 de junho, o grupo deve fazer duas apresentações no Teatro dos Náuas.

O Studio Alimah de Dança do Ventre é coordenado pela professora Yane Alimah e existe há 4 anos na capital acreana.

Serviço

O quê: Espetáculo Mulheres – Dança do Ventre

Quando: 2, 9, 16 e 30 de maio, às 20h

Onde: Usina de Arte João Donato (Avenida das Acácias, 1.155, bloco B, Distrito Industrial, Rio Branco-AC)

Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

 

Liga das Quadrilhas Juninas do Acre traz a Rio Branco o espetáculo Calendário Revirado

calendariorevirado.giros

O projeto de intercâmbio da Liga das Quadrilhas Juninas do Acre (Liquajac), financiado pelo Fundo Municipal de Cultura, da Fundação Garibaldi Brasil (FGB), com o apoio cultural do governo do Estado, por meio da Fundação Elias Mansour (FEM), traz a Rio Branco-AC, hoje, o espetáculo de dança-teatro Calendário Revirado, do Grupo Afixirê (MA), com direção de Xico Cruz.

Calendário Revirado, com classificação livre, se apresenta na Usina de Arte João Donato, às 18 horas, com ingressos no valor de R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia).

A encenação do espetáculo é da bailarina pernambucana Leila Nascimento, que o define: “É um convite ao perder-se; divagar pelos anos, personagens, memórias… encontrar-se no repertório corporal e afetivo de uma bailarina que carrega em seu matulão histórias de muitas elas”. Leila é antropóloga, coreógrafa, bailarina e quadrilheira, coordena o grupo Matulão de Dança e atualmente trabalha no Núcleo Educativo do Paço do Frevo da Prefeitura do Recife/PE.

A trilha sonora do espetáculo é composta pelo MambemBricantes e Flávia Wenceslau.

Serviço:

Espetáculo de dança-teatro com o Grupo Afixirê (MA)

Dia 26 (domingo) às 18h

Teatro da Usina de Arte

Produção: Grupo Afixirê

Ingresso: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)

Indicação: Livre

Duração: 40 min

ESCOLAS DE CINEMA E ARTE – O que fazer com elas? VII capítulo

 

 No VII capítulo e último da série ESCOLAS DE CINEMA E ARTE – O que  fazer com elas?  Maurice Capovilla, através da experiência incrível vivenciada no Acre, comprova que a esperança é a única que não morre.

 

 Por Maurice Capovilla

VII. A USINA DE ARTE DO ACRE

                          

                        A volta por cima

O Núcleo de Produção Digital da Usina de Arte João Donato devolveu a esperança perdida de se montar um curso livre e regular de cinema sem morte prematura.

  

A Usina de Arte João Donato nasce da visão avançada de um Secretário de Educação, na época o professor Binho Marques, hoje governador do Estado do Acre, ao implantar uma escola de arte em Rio Branco sem um projeto pedagógico antecipado.  O curioso dessa iniciativa foi que a arquitetura, resultado da restauração de antiga fabrica de processamento de castanha, indicava claramente espaços com a destinação certa para uma escola livre de arte, onde poderiam conviver o teatro, o cinema, a música, as artes plásticas, a dança… E o que  considerássemos  arte.

Durante dois anos, entre 2005 e 2006, reuniões mensais foram realizadas com as áreas envolvidas, com  o objetivo de formatar o projeto de uma escola híbrida,  capaz de abrigar as múltiplas linguagens das artes e  preencher um espaço importante de formação artística.  Inaugurada em 24 de abril de 2006, a Usina começa a funcionar regularmente em 2007, com os Núcleos de Teatro, Cinema e Música.

O Núcleo de Cinema começa a se estruturar em meados de 2005, quando a Secretaria do Audiovisual do MinC  lança o Edital do Programa Olhar Brasil, visando criar em 11 estados do país,  através de convênios, os Núcleos de Produção Digital, destinados a implantar centros de formação e produção audiovisual em estados periféricos ao eixo Rio/São Paulo, com repasses de recursos e equipamentos  em alta definição (HD),  na previsão das mudanças  tecnológicas que iriam se implantar na área das Comunicações.

O Acre apresentou um projeto de formação, denominado Curso de Cinema e Vídeo e foi contemplado com um NPD. O projeto obteve em seguida registro na Lei Rouanet, visando patrocínios através de benefícios fiscais e previa um Curso de 2 anos,  com  um enfoque definido.

O Curso se propôs como objetivo principal: “formar realizadores polivalentes, capazes de criar e produzir bens culturais nas áreas do cinema, do vídeo e da televisão, visando a formação integral do estudante para o exercício da criatividade e colocar em prática novos métodos de ensino das artes audiovisuais a partir da concepção de que o conhecimento do mundo moderno e globalizado se transmite através de linguagens, códigos  e tecnologias que tem como suporte a imagem e o som”.

A partir desses princípios germinou a ideia do Curso se implantar como uma oficina de pesquisa voltada para a prática e desenhada para expressar a realidade do Acre.  “O objetivo era abrir espaço para uma nova geração de artistas e realizadores, futuros profissionais ecléticos, capazes de manejar com estilo pessoal, as várias linguagens artísticas audiovisuais com domínio das técnicas que são as ferramentas de expressão do nosso tempo”.

A novidade do projeto é sua formatação. O Curso iniciou-se no segundo semestre de 2007 com 40 alunos e a configuração dos conteúdos programáticos foi baseada em trimestres temáticos, cinco no total. Os três primeiros foram dedicados ao documentário, à linguagem da televisão e à ficção. Os dois últimos foram diluídos entre produção de projetos curriculares e Oficinas de Especialização. As disciplinas foram distribuídas em áreas de abordagem teórica, técnica e prática e foram ministradas em oficinas semanais, regulares, progressivas, modulares e interativas, de modo que, seus conteúdos estivessem diretamente ligados aos temas dos projetos de filmes propostos. A partir da formação polivalente resultante de três trimestres completos, o objetivo do Curso era capacitar especialistas nas diversas áreas, consumadas de forma incompleta em Produção, Edição de Imagem, Fotografia em HD e Captação de Som.  As áreas de Roteiro, Cenografia, Figurinos, Edição em HD, Maquinaria, Elétrica e Direção em Cinema, Vídeo e Televisão serão configuradas para se realizar em 2010.

O curso, encerrado em dezembro de 2009, graduou 19 alunos, que realizaram trabalhos individuais e participaram de projetos coletivos. Ao todo foram realizadas 46 Oficinas de 20 horas semanais perfazendo o total de 920 horas aula e realizados 29 filmes com durações variadas em curta e média metragem. 

Como resultado desse processo, os alunos graduados e outros incorporados, fundaram a Samaúma Cinema e Vídeo, uma associação corporativa preparada para atuar em todas as áreas do audiovisual do Acre, da difusão à produção, da atuação como agentes culturais à formação básica no ensino de segundo grau. Um grupo atuante que dará impulso colateral às iniciativas  levadas a cabo pelas  políticas públicas federais,  estaduais e municipais  na área do audiovisual.

O projeto do NPD ainda contempla a Oficina da Imagem e do Som, um item de interação com a Usina de Arte e com outras áreas artísticas da comunidade cultural, um espaço livre de criação aberto às  artes cênicas, plásticas e musicais  e voltado à produção independente local,  com o objetivo de funcionar como uma usina de ideias e linguagens que se interagem para criar e produzir projetos cênicos, musicais, filmes, vídeos, instalações, programas de rádio e televisão, abastecer os alunos  e os artistas em geral  de métodos e processos de trabalho e suprir suas necessidades de informação e pesquisa. Participarão da Oficina alunos, artistas, professores e realizadores locais integrados na ação de produzir bens simbólicos de reflexão da realidade cultural acreana tendo como epicentro a Imagem e o Som.

Há uma pergunta que se faz até hoje: para que servem as escolas de cinema no Brasil?  Antes respondia prontamente: servem para aglutinar jovens com um desejo imenso de fazer cinema… Agora posso completar:  é na escola que alunos e professores aprendem a aprender… A fazer e a amar o cinema…  Foi o que aconteceu no Acre.  A transformação de jovens com experiência e formação diversas, desconhecidos entre si, selecionados mais pela sensibilidade do que pela informação, que se integram em dois anos e meio no processo de fazer filmes e se formam como verdadeiros cineastas,  capazes de refletir a visão que se tem do Acre para num futuro próximo apresentá-la ao resto do país.

  É para isso que serve uma escola. 

2° Festival do Júri Popular em Rio Branco-AC

O 2° Festival do Júri Popular apresentará mais de 40 filmes de curta-metragem de diversas partes do Brasil através da Mostra Competitiva e Hors-Concours e será realizado simultaneamente em 20 cidades do país. Rio Branco – AC, está pela primeira vez entre as sedes da Mostra.

A proposta do evento é levar ao público a experiência de analisar os filmes por completo e opinar diretamente em todas as categorias. Com a opinião integrada de todas as cidades sairão os vencedores.

O 2° Festival do Júri Popular em Rio Branco acontecerá entre os dias 01 a 07 de fevereiro de 2010, na Filmoteca da Biblioteca Pública a partir das 19h.

Mais informações acesse:

 http://www.festivaldojuripopular.com.br/2010/index.html

e-mail: samaumacinevideo@gmail.com

II MOSTRA USINA DE OLHARES

O Núcleo de Produção Digital da Usina de Arte João Donato é uma realização do governo do estado do Acre em parceria com a Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura.  O projeto, integrado ao programa Rede Olhar Brasil, visa capacitar jovens realizadores polivalentes, capazes de criar bens culturais nas áreas do cinema, do vídeo e da televisão.
A II Mostra Usina de Olhares representa o trabalho mais importante dos alunos do   Curso de Cinema e Vídeo do NPD da Usina de Arte,  realizado durante o tempo de sua formação. A Mostra pode ser encarada como uma experiência didática e ao mesmo tempo, a expressão de uma nova geração de realizadores capazes de manejar, com estilo próprio, as linguagens audiovisuais e suas técnicas, que são as ferramentas de expressão do nosso tempo.

Programação Completa da Mostra:

Programação do 1º dia

Programação do 2º dia

Programação do 3º dia

Programação do 4º dia

nos vemos lá!!!

Entradas Mais Antigas Anteriores