Estudantes do curso de Artes visuais trabalham com esculturas

Nossos alunos de Artes Visuais estão trabalhando com esculturas neste módulo. O mediador do curso, Jesaias Texeira, explica que todo o conhecimento adquirido de traço, linhas, anatomia e geometria são postos em prática da maneira mais delicada possível para reproduzir formas e detalhes nas esculturas. Confira a galeria.

 

Imagem

De Íris ao Arco-Íris: Um espetáculo gratuito para portadores de deficiência auditiva

FOTO 3

Depois de Fortaleza (CE), Balneário Camboriú (SC) e Cuiabá (MT), o espetáculo “De Íris ao Arco-Íris” será apresentado neste sábado, às 19h, e no domingo, às 18h, na Usina de Arte. O público-alvo são crianças portadoras ou não de deficiência auditiva com idade a partir dos quatro anos. Em 2014, a Fundação Nacional de Artes (Funarte) concedeu o Prêmio Myriam Muniz à produção.

cartaz-íris-2015 (Acre)

A montagem usa bonecos, objetos e o teatro de sombra, além da experiência de um intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras), para contar a história de uma lagarta sonhadora. Após a apresentação, a plateia será convidada para um bate-papo sobre o projeto, incluindo associações locais que atendem à comunidade surda. O ingresso é gratuito.

Sinopse

A lagarta Íris faz de tudo para realizar o desejo de chegar a um determinado endereço encantado. Certo dia, ao se transformar em uma borboleta de cores exuberantes, a personagem aparece de surpresa na festa de aniversário do rei do Jardim Sereno de Manhãzinha, Muito Calor à Tardinha. Mesmo expulsa por não se submeter aos caprichos da realeza, o obstáculo não a faz desistir.

Produção

A obra é uma criação coletiva que dá voz à inquietação artística e pessoal de jovens interessados em investigar o “Teatro para Infância e Juventude” e o “Teatro de Formas Animadas”. Graduados em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o grupo se juntou para pesquisar essas linguagens e construir uma encenação para crianças surdas.

Apoio

Serviço Social do Comércio no Acre (Sesc/AC), Hotel Amazônia, Governo do Estado, Fundação Elias Mansour (FEM), prefeitura de Rio Branco, Secretaria Municipal de Educação (Seme) e Fundação Garibaldi Brasil (FGB).

Mais informações

Espetáculo Infantil “De  íris ai arco-iris”

Local:  Usina de Arte João Donato

Data: sábado, dia 18/07, às 19h

domingo. dia 19/07, às 18h

Entrada gratuita

Denise Oliveira: (68) 3229-6892 | (68) 9978-4316

http://www.usinadeolhares.wordpress.com

Assessoria FGB

4ª MOSTRA USINA DE OLHARES

Depois de agraciar o público com produções audiovisuais em 2008, 2009 e 2011, a Mostra Usina de Olhares chega a sua 4ª edição no dia 2 de julho de 2015 com exibições na Filmoteca da Biblioteca Pública, localizada no centro de Rio Branco. A 4ª Mostra Usina de Olhares traz nove obras, entre documentário, animações e ficção.
CARTAZ IV MOSTRA USINA DE OLHARES 2015A ideia do evento é mostrar ao público produtos de conclusão de cursos de formação inicial e continuada (FIC) e de cursos técnicos ofertados na Usina de Arte João Donato, no âmbito do Pronatec, entre 2013 e 2015. Serão exibidos um média-metragem, De lá pra Cá, e oito curtas-metragens, Crisálidas, Sr. Smith, Um plano para Zion, Simpliciópolis, Raças, O que os ouvidos não ouvem o coração não sente, O Chico Pop e Bito e Outros Contos. (os filmes em 40′ no link https://youtu.be/yq8M_Bpfuyk )
As produções são trabalhos produzidos pelos alunos sob orientação dos mediadores e são resultado de um processo de construção coletiva. Todas tiveram a participação dos alunos desde a escolha do tema e concepção das personagens até a edição final das imagens.

Cena do filme De lá pra cá Cena do filme De lá pra cá

O média-metragem De lá pra cá (2013) tem roteiro inspirado em livros do artista acreano Hélio Melo e é resultado de um projeto artístico que integrou os quatro cursos técnicos da Usina, oferta 2012-2013. O curta Crisálidas registra as intervenções, no centro de Rio Branco, de uma instalação de esculturas realizada por alunos de Artes Visuais da Usina em 2013. Sr. Smith, Um plano para Zion e Simpliciópolis são animações criadas pelos alunos do curso FIC de Roteirista de Animação, oferta 2014. Os filmes tematizam a lida do homem do campo, a existência dos extraterrestres e a rotina simples, tediosa e fatídica da vida humana.

Arte da animação Um plano para Zion Arte da animação Um plano para Zion

Raças, O que os ouvidos não ouvem o coração não sente e Chico Pop são documentários produzidos como atividade de finalização de módulo das turmas do curso de técnico em Produção de Áudio e Vídeo nos meses de abril e maio de 2015. O primeiro é um registro documental sobre os maus tratos e abandono de animais domésticos, sobretudo daqueles classificados com SRD, isto é, sem raça definida; o segundo é resultado de uma pesquisa sobre a Rádio Difusora Acreana, “a voz das selvas”; e o último faz uma abordagem emocionada sobre o ativista e jornalista cultural acreano Chico Pop.

Documentário RaçasDocumentário Raças

Bito e Outros Contos é um curta de ficção produzido como trabalho final do curso técnico em Produção de Áudio e Vídeo com roteiro inspirado em contos da escritora Florentina Esteves. O roteiro do filme possibilita uma viagem ao passado da história do Acre e é todo gravado em chroma key, técnica pouco usada em filmes de ficção aqui em nosso estado, sendo adotada mais por campanhas publicitárias.

Curta de ficção Bito e Outros Contospersonagem do curta Bito e Outros Contos

O evento é uma ação do governo do Acre e governo federal, por meio do Instituto Dom Moacyr e da Fundação Elias Mansour, realizado pelo Núcleo de Produção Digital da Usina de Arte.

Teatro Ânima apresenta o espetáculo ‘A mais forte?’ na Usina de Arte João Donato

Professores da Universidade Federal do Acre (Ufac), Andréa Maria Favilla Lobo e Marcelo da Silva Murilo, reapresentam o espetáculo “A mais forte?”, que estreou em 2012. A reestreia do acontecerá nesta terça-feira, 26 de maio de 2015, às 10h, na Usina de Arte João Donato. A entrada é franca.

A reapresentação faz parte da programação do 1º Encontro de Bolsistas, promovido pela Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proaes). Trata-se de uma produção e adaptação do Teatro Ânima Amazônia da peça de August Strindberg, em diálogo com fragmentos do “Livro do Desassossego”, de Fernando Pessoa.

A montagem tem no elenco a atriz e pesquisadora Andréa Favilla, com direção de Brigitte Bentolila e música de André Favilla. Também contou com a colaboração de Antônio Manso (preparação corporal e assistência de direção) e Marcelo Murilo (assistência de direção e manutenção da montagem).

O espetáculo foi financiado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura, por meio da Fundação Garibaldi Brasil, com apoio da Caixa Econômica Federal e da Ufac.

O espetáculo também será apresentado nesta quarta-feira, 27, às 15h, e na quinta-feira, 28, às 19h, na Usina de Arte João Donato.

(Ascom-Ufac)

Espetáculo de dança do ventre ‘Mulheres’ estreou em Rio Branco, na Usina de Arte

Por G1 AC (adaptado)

(Foto: Aquele Casal Fotógrafo)

(Foto: Aquele Casal Fotógrafo)

A primeira apresentação ocorreu no último sábado (02/05), na Usina de Arte. O espetáculo ficará em cartaz nos dias 2, 9, 16 e 30 de maio, sempre às 20h.

Com produção do Studio Alimah de Dança do Ventre, essa é primeira temporada do espetáculo, após duas apresentações piloto realizadas no final de 2014. O grupo conta com dez dançarinas do ventre com idade entre 16 e 50 anos.

Após temporada na capital, o evento fará oficina de dança do ventre no dia 5 de junho na cidade de Cruzeiro do Sul. Nos dias 5 e 6 de junho, o grupo deve fazer duas apresentações no Teatro dos Náuas.

O Studio Alimah de Dança do Ventre é coordenado pela professora Yane Alimah e existe há 4 anos na capital acreana.

Serviço

O quê: Espetáculo Mulheres – Dança do Ventre

Quando: 2, 9, 16 e 30 de maio, às 20h

Onde: Usina de Arte João Donato (Avenida das Acácias, 1.155, bloco B, Distrito Industrial, Rio Branco-AC)

Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

 

RECITAL DE VIOLINO COM LEONARDO FEICHAS NA USINA DE ARTE

leonardo feichas
Nesta quinta-feira, 23, a Usina de Arte recebeu uma ilustre visita, o violonista Leonardo Feichas, mestre pela Unicamp e professor de Música da UFAC.

Leonardo realizou um recital de violino para alunos dos cursos da Usina de Arte executando alguns prelúdios famosos da obra do compositor mineiro Flausino Valle (1894-1954), entre os quais A porteira da fazenda, Tico-tico e Ao pé da fogueira. Executou também composições de Marcos Raggio de Salles (1885-1965), violinista e compositor de família paraense, nascido em Salvador, que foi provavelmente o primeiro compositor a escrever para violino solo no Brasil.

Durante as execuções, Leonardo foi fazendo contextualização histórica e observações sobre as técnicas de composição violinística dos dois artistas familiarizando o público com as obras interpretadas.

Ao final do recital, Leonardo bateu um papo com os alunos.

Sobre Leonardo Feichas

Natural de Itajubá–MG, iniciou os estudos musicais ao 11 anos no Conservatório Estadual Juscelino Kubitschek em Pouso Alegre – MG estudando violino. Em 2009 graduou-se em violino na Unicamp e em 2013 concluiu o mestrado em performance também na Unicamp. Participou de diversas orquestras no estado de São Paulo e de festivais no Brasil e no exterior. Como educador musical, atualmente ministra aulas de violino, música de câmara e teoria musical na UFAC. Como violinista tem uma intensa atividade como músico de orquestras, violino solo e camerista em formações instrumentais como violino-violão, violino-piano e violino-guitarra. Como pesquisador, tem como objeto de estudo o repertório para violino solo brasileiro, especificamente o conjunto de 26 Prelúdios Característicos e Concertantes para Violino Só do compositor Flausino Valle.

Seminário Cultura e Acreanidade

Entradas Mais Antigas Anteriores