Espetáculo de dança do ventre ‘Mulheres’ estreou em Rio Branco, na Usina de Arte

Por G1 AC (adaptado)

(Foto: Aquele Casal Fotógrafo)

(Foto: Aquele Casal Fotógrafo)

A primeira apresentação ocorreu no último sábado (02/05), na Usina de Arte. O espetáculo ficará em cartaz nos dias 2, 9, 16 e 30 de maio, sempre às 20h.

Com produção do Studio Alimah de Dança do Ventre, essa é primeira temporada do espetáculo, após duas apresentações piloto realizadas no final de 2014. O grupo conta com dez dançarinas do ventre com idade entre 16 e 50 anos.

Após temporada na capital, o evento fará oficina de dança do ventre no dia 5 de junho na cidade de Cruzeiro do Sul. Nos dias 5 e 6 de junho, o grupo deve fazer duas apresentações no Teatro dos Náuas.

O Studio Alimah de Dança do Ventre é coordenado pela professora Yane Alimah e existe há 4 anos na capital acreana.

Serviço

O quê: Espetáculo Mulheres – Dança do Ventre

Quando: 2, 9, 16 e 30 de maio, às 20h

Onde: Usina de Arte João Donato (Avenida das Acácias, 1.155, bloco B, Distrito Industrial, Rio Branco-AC)

Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

 

Liga das Quadrilhas Juninas do Acre traz a Rio Branco o espetáculo Calendário Revirado

calendariorevirado.giros

O projeto de intercâmbio da Liga das Quadrilhas Juninas do Acre (Liquajac), financiado pelo Fundo Municipal de Cultura, da Fundação Garibaldi Brasil (FGB), com o apoio cultural do governo do Estado, por meio da Fundação Elias Mansour (FEM), traz a Rio Branco-AC, hoje, o espetáculo de dança-teatro Calendário Revirado, do Grupo Afixirê (MA), com direção de Xico Cruz.

Calendário Revirado, com classificação livre, se apresenta na Usina de Arte João Donato, às 18 horas, com ingressos no valor de R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia).

A encenação do espetáculo é da bailarina pernambucana Leila Nascimento, que o define: “É um convite ao perder-se; divagar pelos anos, personagens, memórias… encontrar-se no repertório corporal e afetivo de uma bailarina que carrega em seu matulão histórias de muitas elas”. Leila é antropóloga, coreógrafa, bailarina e quadrilheira, coordena o grupo Matulão de Dança e atualmente trabalha no Núcleo Educativo do Paço do Frevo da Prefeitura do Recife/PE.

A trilha sonora do espetáculo é composta pelo MambemBricantes e Flávia Wenceslau.

Serviço:

Espetáculo de dança-teatro com o Grupo Afixirê (MA)

Dia 26 (domingo) às 18h

Teatro da Usina de Arte

Produção: Grupo Afixirê

Ingresso: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)

Indicação: Livre

Duração: 40 min

O projeto “Travessia”, da performer paulista Talma Salém será realizado em Rio Branco no dia 23/01

travesia-580x387

O projeto “Travessia”, da performer paulista Talma Salém será realizado em Rio Branco no dia 23, sexta, às 10 horas, na Praça da Revolução. O trabalho tem a colaboração do coreógrafo americano Sherwood Chen. A performance transmídia é uma intervenção para espaços públicos.

“O trabalho proporciona a alteração do espaço-temporal por meio de uma movimentação instável e contínua. Chamo de um corpo quadrúpede, sem rosto, que avança lentamente buscando no horizonte do olhar para trás seu ponto de equilíbrio”, explica Talma Salem.

A intervenção foi criada dentro do projeto “Guerrilha Poética: cartografia dos sentidos”, contemplado pelo prêmio Funarte Petrobras Klauss Vianna 2012 e é fruto de um processo de imersão em uma sala de ensaio de um antigo hospital transformado no Instituto Cultural Mundo Novo, em São Paulo, após três semanas de convivência com 20 outros artistas.

“Um olhar para dentro. Um corpo que avança e traça só o seu caminho”, define a artista. O projeto é contemplado com o Prêmio Funarte de Artes de Rua, e tem o apoio cultural local do governo do Estado, por meio da Fundação Elias Mansour (FEM).

O encontro laboratório

O projeto envolve também uma oficina, uma espécie de encontro laboratório, nos dias 23, 24 e 25 deste mês, na Usina de Arte, das 15 às 18 horas. As inscrições para a formação podem ser efetuadas pelo link https://goo.gl/forms/P5t8okzGYK

“O objetivo é encontrar criadores locais e compartilhar metodologia de criação relacionados à pesquisa”, diz Talma Salem, que propõe no encontro um espaço de experimentações ligadas à performance “T r a v e s si a”.

O laboratório se destina a artistas profissionais e amadores com interesse nas artes do corpo e na criação para o espaço público.

Grupo de Danças Folclóricas e Rede Banzeiro na Usina de Arte

1960283_652049064852362_848954691_n

Neste sábado, dia 22 de fevereiro de 2014, a partir das 19 horas, acontece mais um evento na Usina de Arte. Desta vez a alegria e a arte ficam por conta de movimentos artísticos acreanos cujo trabalho é marcado pela busca de valorização e resgate da cultura popular, bem como pela reunião de artistas, especialmente músicos e atores, em torno da pesquisa, experimentação e das estéticas musical e visual.

 O Grupo de Danças Folclóricas fará uma mostra de 4 cenas folclóricas destacando temas regionais e amazônicos como o Reizado e a Dança de Ritual Indígena. As apresentações teatrais e musicais do grupo são compostas, em sua maior parte, por pessoas da terceira idade.

Rede Banzeiro, uma articulação que reuni artistas para ministrar oficinas nas comunidades, nos bairros, levando a música, a poesia, e a estética visual às comunidades locais, trará ao palco um ensaio da brincadeira carnavalesca Maria Xota.

Além da programação artística, o evento oferecerá ao público bazar e bar.

A proposta de realização do evento é contribuir para a difusão da cultura popular e suas tradições identitárias, entrelaçando público, identidade, arte e alegria.

ENTRADA GRATUITA! 

Dupla de bailarinas realizará oficina que resultará na montagem de uma intervenção de dança urbana na cidade

Imagem

Relações interpessoais, degradação do meio ambiente, economia, política e desenvolvimento. Esses são alguns dos motes do projeto “Macaco Nu”, que inicia sua turnê em três cidades partindo da capital amazonense. Idealizado pelas bailarinas e performers Mab Cardoso e Milianie Lage Matos. O projeto passará por Manaus (AM), Rio Branco (AC) com encerramento em Salvador (BA).

Com clara postura crítica, o projeto tem em sua descrição um posicionamento engajado: “Utilizaremos a dança urbana como tecnologia micropolítica para mudanças positivas, entendendo a arte como um manifesto, uma arte ativista”, define assim o projeto a bailarina Milianie Lage Matos.

Buscando, sobretudo, abordar coisas com as quais as pessoas estão familiarizadas por ângulos inesperados e inexplorados, o projeto traz dentre as técnicas utilizadas o Butô, dança originária do Japão, e a proporção áurea, também de origem oriental, para o resultado estético a que se propõe. “Por ter um resultado prioritariamente filosófico mais do que artístico, a Dança Butô traz como referencial estético a verdade do ser humano, expressa através da liberação das convenções das formas do corpo e do pensamento, às quais estamos acostumados a reproduzir por meio de estruturas normatizadas que estipulam nosso comportamento”, avaliam as idealizadoras.

A proposta chega a Rio Branco nesta semana com a realização de uma oficina no período de 24 de setembro a 4 de outubro de 2013, na Usina de Arte João Donato. A partir do trabalho realizado durante a oficina, dois alunos serão selecionados para compor o processo de criação de uma obra a ser apresentada no dia 5 de outubro na Praça da Revolução, no centro de Rio Branco, a partir das 16h.

SERVIÇO

O que é: Oficina de Dança e Performance

Onde: Usina de Arte João Donato Quando

Quando: 24 de setembro a 4 de outubro de 2013

Quanto: gratuito

Faixa Etária: acima de 16 anos

Informações: telefone 3229-6892 e blog usinadeolhares.wordpress.com

Inscrições no link: Inscrições encerradas!

Vagas limitadas !

USINA DE SABERES DANÇA CONTEMPORÂNEA – MOVIMENTO E IMPROVISAÇÃO

Em parceria com a Coordenação de Dança da Funarte, a Usina de Arte João Donato recebe a dançarina Irupé Sarmiento a oficina de Dança Contemporânea Movimento e Improvisação. Argentina, nascida em Salta, passa a integrar o Ballet Taller Juvenil de la Provincia de Salta em 1998. Entre 2004 e 2008 faz parte do elenco do Ballet Contemporáneo del Teatro General San Martín em Buenos Aires no rol de Primeira Bailarina, sob direção de Maurício Wainrot, onde trabalhou em obras como: Playback de Carlos Casella, Amargo Ceniza de Carlos Trunsky, Stetl de Richard Wherlock, Bolero de Mark Ribaud, Bésame e Memorias de Ana María Stekelman, Efímero de Paul Vasterlin, Gilles e Purcel Pieces de Tom Wiggers, entre outras. Ganhou o Clarín de revelação, prêmio concedido pela imprensa argentina no ano 2007.

De 2008 à 2012 foi solista da São Paulo Companhia de Dança. Trabalhou com coreógrafos como Alessio Silvestrin em Polígono, Paulo Caldas em Entreato, Mauricio de Oliveira em Os Duplos, Henrique Rodovalho em Inquieto e Rodrigo Pederneiras em Bachiana N.1, além das remontagens de Prélude `a L’Apre`es-midi d´un Faune de Marie Chouinard, Les Noces de Bronislava Nijisnka, Serenade de Geroge Balanchine, Gnawa de Nacho Duato e Supernova de Marco Goecke. A partir de 2010 começa a desenvolver trabalhos coreográficos no Programa de Desenvolviemento de Habilidades da São Paulo Cia de Dança. Em fevereiro de 2012 participa do Holland Dance Festival.
Esta oficina faz parte do Projeto de Oficinas de Capacitação Artística e Técnica em Circo, Dança e Teatro/ 2012 da FUNARTE e também do Projeto Artístico e Cultural da Usina de Arte João Donato e Teatro Plácido de Castro. É uma realização do Governo do Povo do Acre através da Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour e do Ministério da Cultura através da FUNARTE.

Tema: Oficina de Dança Contemporânea – Movimento e Improvisação

Oficineiro: Irupé Sarmiento

Dias e Horário:

Turma A – De 26 a 31 de outubro das 14h30 às 17h30

Turma B – De 26 a 31 de outubro das 18h30 às 21h30

 

Local: Usina de Arte João Donato

Inscrições gratuitas através dos links

Turma A: Inscrições Encerradas!

Turma B: Inscrições Encerradas!

 

Sinopse: Esta oficina prática tem como objetivo permitir ao bailarino/ intérprete o auto-conhecimento do seu corpo. Através de técnicas mistas de dança contemporânea que envolvem improvisação e criação de seqüências de movimentos trabalhar a expressão do bailarino através da sua pulsação interna tomando contato com as infinitas possibilidades de uso do seu corpo.

Público Alvo:  bailarinos, dançarinos, artistas cênicos e estudantes de dança

Nº de Vagas: 15 vagas por turma (O preenchimento do formulário não garante a vaga na oficina, a positivação se dará através de mensagem encaminhada para o seu e-mail. Fique atento a sua caixa de mensagens).

Próxima Entradas mais recentes